Por que meditar parece tão difícil?

Yoga no Everest

HOME > BLOG > Yoga no Everest

Qualidade de Vida | 14 jan 2021 | Equipe YogIN App


Yoga no Everest

Dr Jon Kedrowski alpinista profissional ūüßó‚Äć‚ôÄÔłŹ com 4 cumes do Everest (ponto mais alto do globo ūüĆć). Jonkedski √© praticante de Yoga ūüßėūüŹĽ‚Äć‚ôāÔłŹ e usa as t√©cnicas nos momentos mais extremos nas expedi√ß√Ķes em montanhas ūüŹĒ .
Nesta foto, ele ensina algumas posturas a outros alpinistas do seu grupo no heliponto do acampamento ūüŹē base do Everest ūüŹĒ.

 

 


Compartilhar: Compartilhar no http://WhatsAppCompartilhar no http://FacebookCompartilhar no http://Twitter

YogIN App

Equipe YogIN App

STUDIO DE YOGA ONLINE - Aulas de Yoga Online ao Vivo e Gravadas.

Deixe um coment√°rio

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Chakrasana
Filosofia do Yoga | 28 jan 2021 | Fernanda Magalh√£es
De Peito Aberto

De Peito Aberto Dentre todos os tipos de posturas existentes na pr√°tica de Yoga, em todos os n√≠veis de dificuldade, as retroflex√Ķes s√£o as que mais geram desconforto. √Č impressionante a quantidade de caretas que observo, como professora, no momento do retorno. N√£o provocando o medo racional como acontece, por exemplo, com as invertidas, os praticantes, a princ√≠pio, sentem-se encorajados a executar as retroflex√Ķes propostas pelo professor. √Äs vezes, at√© podem parecer f√°ceis visualmente, mas no momento que eles se deparam com o peito aberto e ‚Äúexposto‚ÄĚ √© que percebem que independente do n√≠vel de dificuldade da postura, da intensidade da retroflex√£o e da flexibilidade da coluna, o maior desafio a vencer √© emocional. Esse desconforto √© provocado pelo desconhecimento desse movimento de abertura. √Č um movimento estranho ao nosso corpo, podendo parecer at√© mesmo antinatural e com certeza nada familiar. Da mesma forma que enrijecemos nossos quadris ao longo da vida com a nossa resposta ao instinto de fuga, tamb√©m fechamos nosso peito. Se voc√™ ainda n√£o leu, falei sobre as emo√ßoes armazenadas no quadril aqui https://yoginapp.com/para-soltar-o-proximo-passo/#axzz5hudVe6Bc A mesma postura de prote√ß√£o ao perigo, curvando-se para frente e puxando as pernas de encontro ao peito, que torna nosso quadril r√≠gido, tamb√©m bloqueia nossa coragem de se entregar, curva nossos ombros para frente protegendo o peito. Ao longo da vida, os traumas, ¬†rejei√ß√Ķes e inseguran√ßas que passamos v√£o transformando nossa postura em uma armadura. Al√©m disso, n√£o h√° atividades no nosso dia a dia que estimulem a retroflex√£o. Passamos nossos dias curvados e encolhidos no computador, no carro ou at√© mesmo na bicicleta. Assim v√£o se acumulando cada vez mais emo√ß√Ķes em nosso corpo. Em n√≠vel f√≠sico, a retroflex√£o da coluna abre ombros e o peito, liberando tens√£o; alongando os flexores do quadril e aumentando a for√ßa ¬†nas pernas, bra√ßos e m√ļsculos das costas e a mobilidade na coluna ajudando a neutralizar os danos da m√° postura. Analisando pelo corpo energ√©tico, a postura trabalha e ativa nosso anahata chakra, o chakra card√≠aco, onde reside nosso verdadeiro Eu e onde a compaix√£o e o amor se manifestam. Inseguran√ßa e ansiedade contribuem para um desequil√≠brio deste chakra. Ent√£o voc√™ chega na sua aula de yoga e, de repente, voc√™ executa uma abertura de peito que te provoca sensa√ß√Ķes estranhas. Voc√™ faz careta, reclama, evita expor tanto o esterno na pr√≥xima vez ou at√© mesmo foge das aulas. Respostas de medo naturais ao enfrentar o desafio de lidar com toda essa emo√ß√£o armazenada bloqueando seu Eu. E √© realmente assustador se abrir profundamente e descobrir o que est√° escondido sob a superf√≠cie. Partes de voc√™ que n√£o est√£o conscientes s√£o reveladas.   As retroflex√Ķes ativam o sistema nervoso, provocando uma sensa√ß√£o de alerta e at√© mesmo tens√£o. Com o peito exposto, emo√ß√Ķes prontas para serem liberadas e o sistema nervoso informando situa√ß√£o de perigo ao seu corpo, tudo que voc√™ quer √© fugir. new RDStationForms(\'e-book-o-yoga-do-autoconhecimento-31f024e0c3c56e215246-html\', \'UA-68279709-2\').createForm(); Mas para que o trabalho do Yoga aconte√ßa √© necess√°rio limpar essas camadas de prote√ß√£o. As retroflex√Ķes do Yoga oferecem a oportunidade de limpar esse caminho atrav√©s de desafios f√≠sicos e mentais. Exigindo coragem e entrega, em n√≠veis f√≠sicos e emocionais, a inseguran√ßa e o medo s√£o vencidos. Observe se seu medo de subir em Urdhva Danurasana, o arco completo, √© somente por achar que n√£o suporta o peso nas m√£os. J√° ouvi essa justificativa de pessoas bem fortes mas que n√£o se sentiam capazes de tentar. Se voc√™ sente ansiedade, tristeza, ang√ļstia ou dor f√≠sica quando pratica retroflex√Ķes, o segredo √© aprender a lidar com a dificuldade. Foco no momento presente e na respira√ß√£o (especialmente na respira√ß√£o), n√£o d√™ import√Ęncia √†s emo√ß√Ķes que afloram. Se permita sentir se for necess√°rio, mas n√£o entregue o controle a estas emo√ß√Ķes. A tend√™ncia natural do ser humano √© fugir quando as coisas ficam dif√≠ceis. O grande aprendizado da pr√°tica de ¬†Yoga √© encontrar o seu caminho atrav√©s de quaisquer obst√°culos que possam surgir em sua experi√™ncia de vida. E n√£o h√° caminho sem obst√°culos. √Č preciso coragem para permanecer aberto quando a vida nos d√° raz√Ķes para fechar, mas lembre-se que o arco-√≠ris surge ap√≥s uma tempestade. E, enquanto isso, banhe-se de chuva.   Namast√™!      

Podcast de Yoga | 27 jan 2021 | Daniel De Nardi
Suspeitando do EU alheio – Podcast #17

Reflex√Ķes de um YogIN Contempor√Ęneo! O novo projeto de Jimmy Wales, fundador da Wikipedia chama-se WikiTribune, uma Wikipedia de not√≠cias que determinar√° a verdade dos fatos. Ser√°? Saiba mais no 17¬į epis√≥dio de Reflex√Ķes de um YogIN Contempor√Ęneo, um programa semanal de assuntos cotidianos relacionados ao Yoga.   https://soundcloud.com/yogin-cast/suspeitando-eu-eu-alheio-podcast-17     Links Liberdade Disruptiva, o Podcast mencionado no #17 https://soundcloud.com/yogin-cast/liberdade-desruptiva-podcast-16/s-mNIbQ   IndependeŐāncia do JudiciaŐĀrio¬† O Sistema Judicial Hindu por P. B. Mukharji, juiz na Corte Suprema de Calcutta, RefereŐāncia bibliograŐĀfica: THE RAMAKRISHNA MISSION INSTITUTE OF CULTURE. The Cultural Heritage of India. Calcutta, 1970. 5 v. (IngleŐās) (Vol 2, cap. 26, paŐĀg 434 a 439) \"A independeŐāncia do judiciaŐĀrio era uma das caracteriŐĀsticas mais destacadas do sistema judicial hindu. Mesmo nos dias da monarquia hindu, a administracŐßaŐÉo de justicŐßa sempre se manteve separada do Executivo. Era uma regra independente tanto na forma quanto no espiŐĀrito. O sistema judicial hindu foi o primeiro a perceber e reconhecer a importaŐāncia da separacŐßaŐÉo do judiciaŐĀrio do executivo, e deu a esse princiŐĀpio fundamental uma definicŐßaŐÉo e formulacŐßaŐÉo praŐĀtica. O caso de ‚ÄúAnathapindika contra Jeta‚ÄĚ, relatado no Vinaya-Pitaka, eŐĀ uma brilhante ilustracŐßaŐÉo deste princiŐĀpio. Nesse processo, um priŐĀncipe e um cidadaŐÉo comum submetem seu caso aŐÄ corte de justicŐßa, e a corte decidiu contra o priŐĀncipe. O priŐĀncipe aceitou tal decisaŐÉo como uma questaŐÉo de competeŐāncia aŐÄ qual ele estava sujeito. A evolucŐßaŐÉo do princiŐĀpio de separacŐßaŐÉo do judiciaŐĀrio em relacŐßaŐÉo ao executivo foi em grande medida resultado da concepcŐßaŐÉo hindu de que a lei se aplica tambeŐĀm ao soberano. A lei, na jurisprudeŐāncia hindu estava acima do soberano. Ela era o dharma.\"   Artigo da¬†Harvard Business Review sobre Blockchains A verdade sobre os Block Chains - Harvard Business Review - Abril de 2017. https://t.co/BwuAT9Ywie ‚ÄĒ Daniel De Nardi (@danieldenardi) May 8, 2017 A proposta de Jimmy Wales, fundador da Wikipedia The news is broken and we can fix it #WikiTribune Support us at https://t.co/izeIUC1nf5 pic.twitter.com/psxx25pGkU ‚ÄĒ WikiTribune (@WikiTribune) April 26, 2017 Podcast Sobre os 3 EUs da Mandukhya Upanishad https://soundcloud.com/yogin-cast/cerebro-boicotando-o-eu-podcast-03-reflexoes-de-um-yogin-contemporeneo?in=yogin-cast/sets/podcast-reflexo-es-de-um-yogin   Evolu√ß√£o da Qualidade de Vida no Mundo nos √ļltimos 200 anos https://youtu.be/Qe9Lw_nlFQU   Perguntas sobre Wikitribune   Session on @Quora with @jimmy_wales https://t.co/yk8fiAPdPs ‚ÄĒ Daniel De Nardi (@danieldenardi) May 8, 2017   Read Jimmy Wales\' answer to Why has Jimmy Wales picked only left-leaning figures to head his WikiTribune crowdsourced project? Why are there no Conservative advisors? on Quora P√°gina de Cursos do YogIN App https://yoginapp.com/cursos-de-yoga/   Trilha Sonora da s√©rie de Podcasts - Reflex√Ķes de um YogIN Contempor√Ęneo https://open.spotify.com/user/yoginapp/playlist/2YCabHrhxWDjZAYxdVwusa   S√©rie de Podcasts - Reflex√Ķes de um YogIN Contempor√Ęneo Perfil de Guy Kawasaki, mencionado na resposta Tweets by GuyKawasaki   Transcri√ß√£o do Podcast   Suspeitando do EU Alheio #17 Ol√°, meu nome √© Daniel De Nardi e est√° come√ßando o 17¬ļ epis√≥dio de ‚ÄúReflex√Ķes de um YogIN Contempor√Ęneo‚ÄĚ No epis√≥dio anterior, que a gente falou sobre o Blockchain, a gente falou de um redu√ß√£o de concentra√ß√£o de poder em diferentes exemplos, eu dei o exemplo de que antes a concentra√ß√£o do que passaria ase propriedade privada dependeria dos br√Ęmanes isso com a civilidade e a constru√ß√£o de regras e fizeram uma divis√£o clara entre o legislativo, o judici√°rio e o executivo, ent√£o havia aquelas regras de forma muito clara e nem mesmos os reis e os pr√≠ncipes(...) √© citado o caso de um pr√≠ncipe que perdeu para um cidad√£o comum, justamente nessa √©poca, muito antes de Roma falar esses conceitos do executivo ser separado do judici√°rio, na √ćndia esse movimento j√° existia, ent√£o o movimento que dava autonomia para o indiv√≠duo dando mais liberdade, mais poder para o indiv√≠duo e n√£o concentrava esse poder na m√£o dos br√Ęmanes que eram os sacerdotes da √©poca que vinham ganhando muito poder ao determinar as terras e propriedades, ent√£o come√ßou a se criar regras na sociedade que diminu√≠ram a concentra√ß√£o do poder. Depois eu dei um outro exemplo que √© o Tripitaka, que √© o primeiro texto escrito a partir das ideias de Buda, ent√£o ap√≥s a morte de Buda, para n√£o ter uma concentra√ß√£o de poder nas m√£os de um √ļnico monge, eles criaram um conselho, um colegiado, um grupo de monges e decidiram de tudo o que era mais importante dentro dos ensinamentos de Buda, eles criaram hinos e c√Ęnticos a partir desses ensinamentos, que come√ßaram a ser repetidos por todos aqueles monges e por todos os seguidores dos monges. Ent√£o n√£o havia a concentra√ß√£o de poder da palavra de Buda nas m√£os de apenas um, essa pluralidade que fazia com que o poder fosse validado porque era v√°rias pessoas falando a mesma coisa, se um mudasse o que era dito seria visto como algu√©m que estivesse deturpando, ent√£o √© justamente a distribui√ß√£o de poder que a mensagem conseguiu ir pra frente sem deturpa√ß√£o at√© se escrever o livro, que √© o primeiro que contem a palavra de Buda. Ent√£o a gente v√™ mais um exemplo de n√£o concentra√ß√£o de poder para que o resultado seja mais efetivo. E, por fim, citei o caso dos Blockchain que eu acredito que seja mais para dez, vinte anos a√≠ pra frente uma alternativa para menos concentra√ß√£o na m√£o do Estado. Ao inv√©s de a gente ter de relatar tudo ao Estado, como a venda de uma casa, vamos poder estabelecer uma rela√ß√£o direta com o comprador e, ap√≥s o contrato firmado, qualquer pessoa ter√° acesso ao contrato e a negocia√ß√£o que estar√° em um drive virtual, o arquivo n√£o poder√° ou n√£o ser editado de acordo com a autoriza√ß√£o de ambas as partes, as regras n√£o ser√£o estabelecidas pelo governo, mas pelas pessoas que estiverem negociando diretamente e isso √© maravilhoso no sentido da autonomia no sentido de voc√™ mais uma vez diminuir os custos, a legisla√ß√£o e ajustar mais perfeitamente porque √© voc√™ negociando diretamente com a pessoa. A tend√™ncia dessa dissolu√ß√£o de poder √© interessante de diversas formas, mas pode haver situa√ß√£o em que isso n√£o estar√° t√£o n√≠tido quanto esses exemplos que a gente viu agora. Um outro exemplo dessa dissolu√ß√£o do poder √© a Wikip√©dia, que cria conte√ļdo a partir de muitas contribui√ß√Ķes, mas h√° v√°rios ‚Äúxerifes‚ÄĚ dos textos que verificam a veracidade e relev√Ęncia do texto, qualquer um poder√° ser este xerife. A Wikip√©dia cria um sistema inteligente de as pessoas criarem e verificarem o conte√ļdo para evitar propagandas e coisas do tipo, ela tem um sistema muito eficaz na distribui√ß√£o porque n√£o h√° uma concentra√ß√£o, n√£o h√° uma pessoa ou um grupo dizendo o que √© correto, na verdade h√° esse grupo, mas qualquer um pode fazer parte, √© aberto, ent√£o elimina a possibilidade de ficar nas m√£os de uma pessoa. Quem criou a Wikip√©dia foi Jimmy Wales, o novo projeto dele √© o Wikivideo (vou deixar o link), ele demonstra que a m√≠dia ap√≥s a inven√ß√£o da internet ficou t√£o focada em click que perdeu o foco na credibilidade, que era o principal papel da m√≠dia antes da internet. Voc√™ pagava um jornal porque acreditava que ele estava filtrando as melhores informa√ß√Ķes e te entregava um conte√ļdo mais pr√≥ximo da verdade. O que aconteceu √© que, segundo ele e eu concordo com ele, a internet √© diferente do sistema anterior, jornal tev√™, porque na internet a informa√ß√£o n√£o fica registrada como no papel, n√£o √© um documento, ent√£o o que acontece muitas vezes √© que voc√™ clica em uma mat√©ria √© direcionado para outra, aquilo d√° o dinheiro que o site queria, as vezes nem era o que voc√™ estava buscando, muitas vezes √© s√≥ uma not√≠cia sem relev√Ęncia, as vezes o site cria not√≠cias e de desaparece logo em seguida. H√° sites que s√£o criados s√≥ para gerar uma not√≠cia, para dar um buzz e fazer dinheiro em cima de clicks porque isso gera dinheiro, por exemplo, se voc√™ inscreve o seu blog dentro do Google, de Adsense, voc√™ ganha um valor por cada click. Ent√£o perde-se o compromisso com a verdade, a partir do momento em que se paga pelo clique ele passa a ser mais importante e como √© tudo muito variado(..)por exemplo, voc√™ tem alguns jornais na banca de jornal, se caso um estiver falando muitas besteiras, no dia seguinte voc√™ compra outro. A variedade dos cliques √© muito grande, ent√£o s√£o tantas op√ß√Ķes que acaba ficando dif√≠cil n√£o clicar, diferente do caso do jornal. O Jimmy Wales come√ßou a condenar isso dizendo que havia uma distor√ß√£o muito grande e prop√īs uma ideia chamada Wikitribune, que receber√° doa√ß√Ķes de crowdfunding e vai contratar jornalistas para fazer um sistema parecido com o da Wikip√©dia, mas diferente desta, eles ter√£o jornalistas profissionais trabalhando para validar as verdades das not√≠cias. Ent√£o haver√° a contribui√ß√£o dos usu√°rios, mas os jornalistas ser√£o contratados para verificar a veracidade. A ideia, aparentemente √© muito boa, profissionais e a comunidade conseguir√£o validar informa√ß√Ķes da m√≠dia e poder√£o dar uma resposta mais pr√≥ximas da verdade. Inclusive os especialista poder√£o colocar toda a fonte e as maneiras com as quais conseguiram chegar a elas. Como eu falei a ideia √© muito boa, o ponto √© como ela vai ser implantada, porque aqui a gente tem que fazer um divis√£o que √© entender o funcionamento do osso c√©rebro trabalhando pelo menos 90.000 em fun√ß√£o da escassez e justamente por isso as not√≠cias chamam muito a aten√ß√£o, not√≠cias violentas, alarmantes. Vou deixar um v√≠deo mostrando o quanto o homem vem melhorando, √© bem interessante este estudo que vai mostrando a evolu√ß√£o de acordo com a expectativa de vida e qualidade de vida. Voc√™ v√™ que a humanidade como um todo est√° melhorando, mas as not√≠cias ruins sempre vem porque a gente √© atra√≠do pelo medo, a not√≠cia ruim chama mais aten√ß√£o porque ela acende regi√Ķes do nosso c√©rebro respons√°veis pelo medo, ent√£o a gente fica mais atento por uma preserva√ß√£o pr√≥pria. Por outro lado, o ser humano tem a tend√™ncia a sempre agira baseado na escassez e no individualismo puro, ent√£o voc√™ n√£o acredita em atitudes desapegadas, feitas simplesmente por um bem maior, √© interessante olhar o podcast 3 que fala dos tr√™s Eu‚Äôs (eu do corpo, da mente e do cora√ß√£o) e a medida que o corpo, especialmente a mente, trabalha com a escassez a voz interna, do eu, ir√° trabalhar para os valores mais universais, espirituais e pode a ver uma atitude mais altru√≠sta. S√≥ que o ponto √© quando envolvemos a pol√≠tica, √© complicado acreditar que as pessoas estar√£o agindo desta forma, porque a conex√£o √© muito pessoal e n√£o √© poss√≠vel de ser mensurada, voc√™ pode aparentemente fingir que est√° fazendo o bem, mas aquilo est√° sendo feito para cumprir uma vontade pessoal. N√£o vejo tanto problema quando √© algo privado, porque neste caso, n√£o h√° obrigatoriamente uma imposi√ß√£o. Por exemplo, o respons√°vel pelo Mcdonald‚Äôs fez algo para o bem porque ele queria que as pessoas comessem melhor ou mais barato, ou fez porque queria ganhar mais dinheiro e ficar famoso. Independentemente de qual seja a inten√ß√£o dele, no final quem decide √© voc√™, por mais que houve uma inten√ß√£o, n√£o final a decis√£o √© sua. Quando a gente vai para o plano p√ļblico, o racioc√≠nio √© outro porque a decis√£o de um pol√≠tico interfere diretamente na vida de outras pessoas que n√£o escolheram por aquilo, se voc√™ vai ao Mcdonald‚Äôs e acha que est√° caro, voc√™ pode ir embora, √© uma decis√£o sua, √© privado. E pode de fato observar as pessoas e acreditar que elas est√£o agindo de maneira altru√≠sta, mas quando entra na esfera p√ļblica fica mais complicado. Quando a gente trata de quest√Ķes pol√≠ticas, eu prefiro sempre pensar que vai haver um interesse ego√≠sta na decis√£o de determinada pessoa. Essa ideia aparentemente boa de resolver as mentiras da m√≠dia com um sistema que seria um validador da verdade, ideia est√° boa e abnegada porque o pr√≥prio Jimmy Wales n√£o recebe sal√°rio da Wikip√©dia, ele faz um trabalho volunt√°rio, se ganhasse a esfera p√ļblica acaba tendo consequ√™ncia n√£o t√£o boas. Se eu acredito na inten√ß√£o do Jimmy Wales? Posso at√© acreditar que ele esteja querendo fazer o bem, mas existem brechas que se ele n√£o estiver(...)n√£o tem como a gente saber, n√£o tem como voc√™ chegar nele e saber se ele est√° fazendo de forma pura, uma inten√ß√£o que vem do cora√ß√£o ou por ego√≠smo de ganhar mais poder. Imagine o quanto de poder existe quando se pode validar todas as not√≠cias do mundo atribuindo veracidade a elas, se toda a not√≠cia que todas as m√≠dias sociais derem, as pessoas irem no seu site verificar se √© verdade ou n√£o. Qual o poder de influ√™ncia no mundo quando se tem isso. Entendido que pode haver uma abnega√ß√£o na atitude, isso pode existir, mas quando envolve as esferas p√ļbicas e pol√≠ticas, como no caso, temos que tomar algumas precau√ß√Ķes e n√£o aceitar acreditam que todos est√£o fazendo por bem. Por exemplo, ter√° os jornalistas e os contribuintes, estes jornalistas ser√£o pagos atrav√©s dos fundos de doa√ß√£o, por√©m quem ir√° entregar o contracheque ser√° o pr√≥prio Jimmy Wales, ele que vai pagar os profissionais para pesquisar, eles ter√£o autonomia, por√©m n√£o h√° uma autonomia total quando esta se vincula a um pagamento. Haver√° um grupo de jornalistas e muitas pessoas verificando, qual ser√° o peso do algoritmo? Na Wikitribune n√£o ficar√° claro o quanto de peso ter√° o jornalista e quanto ter√° a sociedade que estar√° contribuindo com o algoritmo. A partir do momento em que se coloca um peso no algoritmo e se contrata jornalistas, pode-se dizer e determinar o que √© verdade ou n√£o a partir de decis√Ķes pessoais. Um outro ponto √© que os profissionais remunerados ter√£o um tempo maior para se dedicar ao trabalho, diferente do colaborador que n√£o estar√° sendo remunerado. Digamos que um jornalista e um colaborador tenham vis√Ķes contr√°rias, o jornalista ter√° muito mais recursos para investigar e criar o conte√ļdo, enquanto o colaborador, por mais certo que possa estar, n√£o ter√° tempo e ferramentas para criar um conte√ļdo contundente e poder√° se desmotivar e desistir. Al√©m do algoritmo, quem √© remunerado tem uma outra vantagem de atuar com mais tempo e poder de persuas√£o que um colaborador, aqui j√° come√ßa a ter outra distor√ß√£o nas not√≠cias. O Jimmy Wales fez uma sess√£o de perguntas e respostas no site Cora e perguntaram pra ele qual era a motiva√ß√£o dele para o Wikitribune, ele responde que na posse do presidente Donald Trump houve muito embate de quantas pessoas haviam no dia e que o Wikitribune ajudaria de alguma forma. Isso j√° n√£o me agrada, independente do lado que ele defenda, voc√™ ter como motiva√ß√£o a pol√≠tica e se colocar como validador das not√≠cias do mundo, come√ßa parecer um pouco estranho, come√ßa a parecer um pouco (...) pode n√£o ser, como eu falei, se eu tivesse que acreditar eu gostaria de acreditar q eu o projeto √© isento, mas ele tem muitas brechas para ser um projeto de poder totalit√°rio. Se isso passa a se tornar uma conven√ß√£o, se a verdade √© apenas o que o Wikitribune valida, ele come√ßa a ter o poder da verdade nas m√£os e para distorcer √© muito simples, hoje em dia voc√™ tem uma quantidade tamanha de informa√ß√£o para qualquer √°rea, numa mesma situa√ß√£o voc√™ consegue provar coisas opostas. Existe uma escola de economia chamada de Escola de Virginia ou Public Choice que tem uma premissa muito simples, mas que √© t√£o √≥bvia. Eles colocam que quando uma pessoa cria empresa ou tem alguma rela√ß√£o de trabalho a premissa √© de que esta pessoa vai agir de maneira ego√≠sta e que precisa ver o m√°ximo de regras pra cont√™-la, o ego√≠smo e a busca impetuosa pelo poder (em geral a gente sabe que as pessoas abrem empresas para exercer os seus dons e para ganhar a vida, est √© a motiva√ß√£o da maioria das pessoas), mas pra proteger esse capitalismo selvagem criam-se v√°rias regras, porque o indiv√≠duo est√° agindo de forma ego√≠sta, s√≥ que quando entra na esfera p√ļblica parece que tudo muda. A Public Choice n√£o v√™ o ser humano com divis√Ķes entre aqueles que agem tendo como foco interesses pessoais e aqueles que s√£o abnegados, eles pensam que se um empres√°rio, toma decis√Ķes por meios pessoais(...) como eu falei, pode haver a decis√£o de um eu do cora√ß√£o? Pode, mas a gente tem que partir do pressuposto que se a gente n√£o consegue medir isso e s√≥ observar em n√≥s mesmos s√≥ voc√™ poder√° perceber a conex√£o, que a sua vida tomou um sentido e que est√° caminhando com foco naquilo que √© mais importante pra voc√™, poder√° at√© mentir isso para as pessoas, n√£o vai fazer bem e ir√° tir√°-lo da conex√£o, mas n√£o h√° como ningu√©m medir pra voc√™ e afirmas se voc√™ est√° no seu caminho, que est√° seguindo o seu Dharma ou agindo de forma abnegada. Ent√£o a gente sempre tem de dar um passo pra tr√°s e procurar proteger, saber que a princ√≠pio voc√™ mesmo sempre estar√° agindo de forma abnegada, √† medida que s√≥ voc√™ pode saber sobre si mesmo, o outro tem de suspeitar e que pode se beneficiar das confian√ßa alheia. Ent√£o a gente precisa pensar sempre que as pessoas est√£o agindo de forma pessoal para nos proteger, a pr√≥pria Public Choice coloca que quando h√° cria√ß√£o de leis e cargos √© feito para beneficiar quem criou. Ent√£o a Public Choice sempre entende o indiv√≠duo como um indiv√≠duo em qualquer ambiente e n√£o existe uma divis√£o do indiv√≠duo ego√≠sta no campo privado e abnegado quando estra no campo pol√≠tico. Ent√£o vamos criar regras para n√£o dar muito poder para eles porque uma pessoa no √Ęmbito privado n√£o pode impor nada a ningu√©m, quem est√° no campo p√ļblico pode, temos de tomar cuidado quando essas decis√Ķes s√£o tomadas porque elas podem nos afetar diretamente. Algumas coisas s√£o interessantes para a agente responder, qual √© o real interesse de quem prop√Ķem as mudan√ßas? Qual √© o real interesse de Jimmy Wales? Ser√° que √© validar as not√≠cias ou ele quer adquirir poder? Existe alguma forma de deter esse poder? A gente pode criar mais recursos, mas os pol√≠ticos de alguma forma tem um jeito de deter a expans√£o de poder que √© o sistema judici√°rio. No caso do Wikitribune, se come√ßar a ganhar muito poder, como vamos parar a sua expans√£o? At√© porque todo o recurso ser√° oriundo de doa√ß√Ķes volunt√°rias, n√£o por publicidade. Entra um ponto que se s√≥ as not√≠cias de Wikitribune forem v√°lidas n√£o ser√°, ent√£o. Um outro meio de monop√≥lio ainda maior que o da m√≠dia atual? Precisamos questionar, ali√°s esse √© um dos pontos que a Escola de Virg√≠nia faz, questionar como se resolve a quest√£o da desigualdade social, sendo que os recursos est√£o escassos, pagar para pol√≠ticos que se dizem abnegados resolver esse problema? Como resolv√™-lo? De fato h√° um problema com a m√≠dia atual, mas como podemos resolver esse problema? Colocando um grande fiscalizador da veracidade das not√≠cias? Fica para cada um pensar, se quiser colocar nos coment√°rios a sua opini√£o, eu vou ficar feliz, ler e a gente vai debatendo. O questionamento pra mim, inicialmente eu nem tinha pensado num tipo de solu√ß√£o, porque eu n√£o acho que seja simples de solucionar. Talvez o Wikitribune seja um alternativa com alguma mudan√ßa, mas qual √© a solu√ß√£o eu tamb√©m n√£o sei. O que eu tenho visto como uma forma que tem funcionado √© o sistema de patrocinadores, no sentido de mecenato, que √© a contribui√ß√£o a partir do conte√ļdo consumido, tem alguns podcast que eu acompanho e que tem esse sistema e que contribuo com quantias baixas de doa√ß√£o, mas que para a pessoa que est√° produzindo faz uma grande diferen√ßa e √© nisso que eu acredito, numa pessoa sem muito poder de validar, com ideia que consiga vender, ser remunerada pelo trabalho e desenvolver com mais dedica√ß√£o, financiada pelos seus pr√≥prios consumidores. N√£o √© o caso do nosso podcast que √© realizado com o interesse em divulgar os nossos produtos e servi√ßos, obviamente a gente usa esse espa√ßo para falar sobre yoga e dar opini√Ķes, mas temos produtos que vendemos. Quem quiser ajudar o podcast, pode ir at√© o site e adquirir um dos nossos cursos que, de alguma forma, voc√™ estar√° ajudando este projeto a se manter. Mas essas pessoas que s√£o jornalistas amadores ou profissionais n√£o tem o que vender, diferente do nosso caso que podemos vender um servi√ßo que consegue se vender online e agrada as pessoas, por√©m quem tem um servi√ßo relacionado a conte√ļdo escrito ou falado n√£o tem um servi√ßo para vender, ent√£o sendo financiadas diretamente pelo seu p√ļblico √© uma boa solu√ß√£o. Como no caso do Petryum que √© um canal internacional que tem essa l√≥gica. O sistema de crowdfunding para podcast e blogs que acho que s√£o muito mais eficazes, al√©m de dissolver o poder, o p√ļblico escolhe quem quer patrocinar, √© um sistema democr√°tico. Uma das perguntas que fizeram para o Jimmy Wales, no Cora, questiona porque todos os conselheiro do Wikitribune s√£o do partido democrata. Ent√£o √© como se o UOL fosse criar um portal e todos os conselheiros fossem vinculados a um √ļnico partido, seja l√° qual for, no caso deles s√£o dois partidos, digamos que por aqui no Brasil s√≥ existisse PT e PSDB, se todos os conselheiros fossem de apenas de um partido como o outro reagiria? Isso n√£o √© saud√°vel e n√£o tem como confiar plenamente. Quando √© feita essa pergunta, √© exposta uma rela√ß√£o com os nomes de todos os integrantes, um dos nomes da lista √© de Gui Kawasaki, que √© o embaixador da apple, Jimmy Wales responde que n√£o sabia qual era o partido pol√≠tico de Kawasaki. Se voc√™ contrata algu√©m para ser conselheiro da sua empresa, pelo menos uma vez voc√™ ir√° acessar o perfil da pessoa na m√≠dia social que ela se relaciona. O perfil de Kawasaki no Twitter (vou deixar o link pra voc√™s verem) de dois ou tr√™s tweets um √© pol√≠tico, ent√£o se come√ßa a suspeitar que h√° um movimento pol√≠tico, independente de para qual lado for, que n√£o √© favor√°vel a distribui√ß√£o de poder, d√° uma ideia de concentra√ß√£o de poder. Ent√£o pratique o altru√≠smo, pratique a√ß√Ķes sem inten√ß√£o de retorno, isso √© maravilhoso porque mostra a sua verdadeira voca√ß√£o, o seu verdadeiro eu, mas n√£o acredite o eu alheio. Hoje n√≥s vamos ficar com uma m√ļsica de um compositor Nino Horta, que √© um dos primeiros compositores a criar m√ļsicas para trilhas sonoras de cinema, vamos ver outros como John William, mas hoje n√≥s vamos ficar com Nino Horta com a famosa trilha de O Poderoso Chef√£o.

marichyasana
Dicas de Yoga | 26 jan 2021 | Fernanda Magalh√£es
A Postura de Marichi

A Postura de Marichi Marichyasana √© um grupo de posturas realizadas em sequ√™ncia na primeira s√©rie do Ashtanga Yoga. S√£o quatro varia√ß√Ķes, A, B, C e D, encaixadas logo ap√≥s a sequ√™ncia de janu sirsasana e antes de bhujapidasana e kurmasana. Um conjunto de asanas que trabalham a abertura do quadril, com flex√Ķes para frente e tor√ß√Ķes.   Marichyasana √© a pose de Marichi que, em s√Ęnscrito, significa Raio de Luz. Marichi, era um dos filhos do Senhor Brahma, o criador divino.   Come√ßando do princ√≠pio, falaremos sobre Marichyasana A, uma flex√£o para frente com um complicador: umas das pernas dobrada. Esta posi√ß√£o da perna dobrada dificulta a execu√ß√£o da postura para quem te isquiotibiais r√≠gidos. Deve-se evitar levar o peso para a perna dobrada para que aconte√ßa o benef√≠cio da abertura no quadril deste lado. A flex√£o a frente √© realizada apenas com a ativa√ß√£o dos flexores de quadril e sustentada pelo tronco e pernas, j√° que os bra√ßos est√£o em gancho, n√£o participando desse ajuste.   Vejo alguma dificuldade dos alunos em compreender a execu√ß√£o da postura durante as aulas, ent√£o, vamos ao nosso passo a passo:   Partindo de Dandasana, dobre a perna direita com o joelho para o alto e sola do p√© no ch√£o. O calcanhar chega o mais pr√≥ximo poss√≠vel ao seu quadril e o p√© afasta da coxa esquerda mantendo quase um palmo de dist√Ęncia. Mantenha a perna esquerda esticada com joelho e dedos dos p√©s apontados para cima. A perna esquerda faz uma leve rota√ß√£o para dentro, enquanto a perna direita rotaciona para fora.   Flexione o corpo a frente como se quisesse segurar seu p√© esquerdo com a m√£o direita. Fa√ßa uma rota√ß√£o interna no ombro levando o polegar em dire√ß√£o ao ch√£o e envolva sua perna, com o bra√ßo direito ainda rotacionado, pela frente da canela encaixando a axila na frente do joelho. Nesse momento seu tronco faz uma leve tor√ß√£o para o lado esquerdo deixando o ombro direito mais a frente. Deslize o antebra√ßo pela lateral da coxa levando sua m√£o em dire√ß√£o √†s costas.   Um quadril r√≠gido pode dificultar a posi√ß√£o da perna atr√°s do ombro, ent√£o se for preciso, segure sua canela direita com a m√£o esquerda no momento de enla√ßar a canela com o bra√ßo.   Leve agora o bra√ßo esquerdo pelas costas direcionando a m√£o esquerda para encontrar a m√£o direita. Segure, se poss√≠vel, seu punho esquerdo com a m√£o direita. Se n√£o chegar ao punho, fa√ßa um gancho com os dedos ou utilize uma faixa , corda ou toalha entre as m√£os para vencer o espa√ßo que falta para realizar o gancho.     Exalando leve o tronco a frente em dire√ß√£o a canela da perna esquerda. Mantenha a base da coluna alongada tentando levar o queixo na canela e n√£o a testa no joelho. Seu quadril do lado direito subir√° suavemente, mas mantenha a sola do p√© direito firme no ch√£o. Olhar (drishti) no ded√£o do p√© esquerdo.   Fa√ßa algumas respira√ß√Ķes e repita para o lado esquerdo.   A dificuldade provocada pela rigidez de quadril e isquiotibiais pode ser vencida utilizando um cobertor dobrado como assento.   Marichyasana √© uma postura que acalma mente, alonga ombros e quadris. Massageia os √≥rg√£o internos ajudando na digest√£o e aliviando os sintomas da digest√£o inadequada e ineficiente.   √Č uma √≥tima postura para introspec√ß√£o.   As varia√ß√Ķes de Marichyasana n√£o s√£o posturas muito populares no mundo do Yoga ocidental, mas como boa praticante de Ashtanga, me deparei logo com o desafio de ‚Äúfechar os ganchos‚ÄĚ. Erro de principiante lutar contra o pr√≥prio corpo na tentativa de encontrar as m√£os nas costas, ainda mais sem v√™-las.   Foi quando compreendi que Marichyasana n√£o √© sobre fechar ganchos, mas sim, sobre seguir a dire√ß√£o correta para construir espa√ßo, que aprendi a apreciar o processo. E minhas m√£os, ent√£o, finalmente se encontraram.   ‚ÄúPratique, pratique e tudo vir√°‚ÄĚ - SRI K Pattabhi Jois   new RDStationForms(\'e-book-as-origens-da-meditacao-e-do-yoga-84b39b698136958eda59-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();

Filosofia do Yoga | 25 jan 2021 | Daniel De Nardi
O Yoga pode ajudar na redução do Stress?

O Yoga pode ajudar na redu√ß√£o do Stress? Pergunte aos seus amigos, o que √© o stress? Alguns dir√£o, nervosismo, tens√£o muscular, outros frio na barriga, palpita√ß√£o. Eles n√£o est√£o errados, mas isso s√£o os efeitos f√≠sicos do stress; o stress mesmo come√ßa bem antes. Quando o c√©rebro entende que estamos numa situa√ß√£o de perigo, ele avisa ao corpo para que se proteja da amea√ßa. N√£o s√£o apenas os humanos que se estressam, todo animal possui algum tipo de defesa em casos de¬†risco. A sensa√ß√£o de medo aciona o sistema simp√°tico ( que de simp√°tico n√£o tem nada, pois √© o sistema respons√°vel pela luta ou fuga, o sistema simp√°tico √© respons√°vel pelos instintos mais primitivos de sobreviv√™ncia). Quando isso acontece, todas as sensa√ß√Ķes descritas pelas pessoas, come√ßam a aparecer, o batimento card√≠aco aumenta, os vasos sangu√≠neos se contraem para que menos sangue seja perdido caso haja corte, os sentidos se agu√ßam, as pupilas de dilatam para vermos mais detalhes, o sangue sai de √≥rg√£os como est√īmago ou intestinos e se desloca para o c√©rebro e m√ļsculos. Estamos prontos para lutar bravamente pela vida, s√≥ que¬†como ser√° a digest√£o de algu√©m muito estressado durante v√°rios dias?¬† O que desencadeia o stress √© uma percep√ß√£o subjetiva de um risco aparente. Cada pessoa, internamente identifica algum tipo de amea√ßa e aquilo vai afet√°-la na propor√ß√£o direta do seu medo. Em outras palavras, o stress come√ßa por causa de alguma inseguran√ßa, um medo que quanto maior, maior o estado do stress. O stress em si n√£o √© ruim, ele j√° salvou nossas vidas in√ļmeras vezes. O ponto √© que h√° um pre√ßo a ser pago pelo corpo por todas essas altera√ß√Ķes hormonais. Como o corpo gasta muita energia para entrar no estado de luta ou fuga, se o estado for repetido constantemente, o sistema imunol√≥gico cai, a recupera√ß√£o do corpo √© prejudicada e mesmo dormindo, algu√©m com altas taxas de cortisol,¬†permanece¬†cansado. No m√©dio prazo, pode aparecer efeitos como tristeza e depress√£o. A¬†Organiza√ß√£o Mundial de Sa√ļde vem chamando a aten√ß√£o para a gravidade de doen√ßas relacionadas ao cora√ß√£o. 90% das pessoas com diabetes ou doen√ßas card√≠acas desenvolve esses sintomas por causa do estilo de vida. √Č uma unanimidade entre especialistas, que o maior risco de doen√ßas card√≠acas se d√° em pessoas com press√£o alta, altos n√≠veis de colesterol e a√ß√ļcar no sangue. Fatores relacionados √†s respostas do stress e m√° alimenta√ß√£o.   O stress quando salva nossa vida √© bem vindo, o problema √© quando geramos o stress em situa√ß√Ķes desnecess√°rias, por motivos que n√£o valiam esse esfor√ßo luta/fuga. Passar constantemente¬†por situa√ß√Ķes estressantes, desequilibra a vida, tira a pessoa do eixo.   Centenas de estudos como este, demonstram melhorias importantes relacionando medita√ß√£o a redu√ß√£o de ansiedade e depress√£o. Hoje √© comum praticantes procurarem o Yoga para baixar os n√≠veis de cortisol ( um horm√īnio que indica um estado constante de stress),   Mas ser√° que o Yoga consegue fazer isso? A primeira defini√ß√£o do Yoga foi feita por Patanjali, um importante mestre de Yoga dizia que o Yoga √© a suspens√£o das agita√ß√Ķes mente/emo√ß√Ķes. Numa leitura cient√≠fica, Patanjali estaria dizendo que deve-se evitar usar demais o sistema simp√°tico (aquele que ativa fuga/luta) e que tamb√©m deve-se usar o outro sistema o parasimp√°tico, respons√°vel pelo descanso e digest√£o, por reabilitar o corpo, deixando revigorado. Patanjali prop√Ķe um caminho de n√£o agita√ß√£o, n√£o stress, caminho de equilibrio entre o vigor e a calma. Uma pessoa estressada, sente-se de alguma maneira amea√ßada, isso provoca agita√ß√£o. Ela vive o medo, deixa de ser ela mesma e por isso, passa longe do estado sugerido por Patanjali. Por outro lado, a melhor forma de se ativar o sistema parassimp√°tico, produzindo revigoramento f√≠sico e mental √© a pr√°tica de Yoga. O Yoga apresenta muitas ferramentas para atuarmos melhor nas causas do stress e suas respostas.   Contato com sua respira√ß√£o - fisiologicamente uma das respostas mais imediatas do stress sobre o corpo √© a altera√ß√£o da respira√ß√£o. Tornar a respira√ß√£o lenta e profunda muda completamente o estado interno. O c√©rebro entende a respira√ß√£o profunda como um momento de seguran√ßa e com isso diminuiu as subst√Ęncias para defesa como adrenalina e outras.¬† Relaxamento f√≠sico - tanto as posi√ß√Ķes f√≠sicas quanto os exerc√≠cios de relaxamento possibilitam descontra√ß√£o muscular, liberando tens√Ķes e melhorando a circula√ß√£o sangu√≠nea. Medita√ß√£o - o terceiro ponto, relacionado ao quanto, nossa percep√ß√£o de mundo pode mudar e o quanto isso evita o stress, precisaremos voltar a Patanjali. No seu livro Yoga-Sutra, Patanjali trata de kl√™shas, obst√°culos para alcan√ßar a estabilidade YogIN. Para ele, o que dificulta a viv√™ncia constante do EU s√£o esses 5 fatores: ¬† Ignor√Ęncia; Apego; Avers√£o Egotismo; Medo. ¬† Podemos explorar os 5 kl√™shas em outro texto, mas agora, √© o √ļltimo que nos interessa - MEDO! Nos primeiros sutras (aforismos), Patanjali diz que o YogIN s√≥ tem duas possibilidades: ou encontra sua identidade ou ir√° se identificar com personagens, no caso desse kl√™sha, um personagem tomado pelo medo (stress). Em seguida, descreve diversos sentimentos decorrentes dessa identifica√ß√£o com o medo, tais como ang√ļstia, infelicidade e nervosismo. A busca do YogIN √© livrar-se do que lhe afasta do EU, os kl√™shas que impossibilitam a estabilidade mente/psiquismo. A palavra s√Ęnscrita satya, verdade, vem de sat, ser, existir. Ent√£o a verdade de satya n√£o √© no sentido de contar uma verdade, mas de ser verdadeiro. Essa √© a maior verdade, uma verdade que gera convic√ß√£o, pois voc√™ √© voc√™ mesmo e isso √© essencial para estar seguro. Patanjali indica satya como um passo importante na liberta√ß√£o do YogIN. Entre todas as suas t√©cnicas, pranayamas, asanas e especialmente na medita√ß√£o, o que o Yoga se prop√Ķe a fazer √© revelar o EU. Trazer ao praticante aquilo que ele j√° √©, e sempre foi, mas nem sempre trouxe essa ess√™ncia para o mundo. Quando h√° conex√£o com EU h√° esse sentimento de Satya, o verdadeiro sentimento de SER quem se verdadeiramente √©. Para saber se voc√™ tem vivido pr√≥ximo ao EU, olhe para sua vida e observe se mesmo com os altos e baixos, de uma maneira geral a dire√ß√£o¬†faz sentido pra voc√™. Quando voc√™ percebe esse sentido, passa n√£o se incomodar tanto com os obst√°culos, mas aprende com eles. A vida se tona mais leve, seu EU √© mais presente. Por outro lado,¬†se fazendo a an√°lise voc√™ notar que h√° um desalinhamento, que voc√™ parece estar deslocado de lugar, fazendo algo que n√£o gosta, vivendo uma vida que n√£o √© sua, provavelmente, por diversas raz√Ķes, mas o desalinhamento por si s√≥, p√Ķe nosso psiquismo em estado de¬†stress.¬† Viver desconectado daquilo que voc√™ realmente √©, gera inseguran√ßa, voc√™ pisa num terreno desconhecido, logo v√™¬†perigo a frente o tempo todo e o corpo responde com stress. Diminuir o stress requer pr√°tica dos exerc√≠cios de Yoga, mas tamb√©m uma vontade do praticante de vencer esses medos. Encar√°-los para conseguir distinguir dentro das sensa√ß√Ķes o que √© realmente seu, o que verdadeiramente amea√ßa-o, o que √© pura constru√ß√£o do psiquismo. Meditar √© trazer o EU para o eixo e depois tentar traz√™-lo para o dia a dia. Encontrar sua estabilidade interna, para agir no mundo, seguro que o seu EU est√° fazendo o melhor.   ¬† ¬† Baixe GR√ĀTIS o e-book - O Yoga e o Stress