Brand

Yoga, fé, perda e esperança

Yoga, fé, perda e esperança

Conheci o amor verdadeiro e a cumplicidade entre homem e mulher há quase 10 anos durante um intercâmbio nos EUA. Ele sempre esteve ao meu lado nas minhas conquistas e nos meus mais dolorosos aprendizados.
Há tempos nossa conexão vem acompanhada em um número. Ou melhor… 4 números – 1111. Existem várias explicações por traz dessa seqüência de “uns”. E a minha interpretação é simplesmente a minha conexão com meu companheiro de vida. É como dizer “eu te amo”, seja por texto, ligação ou pessoalmente.
Diz a “regra” que não se comenta sobre a gravidez antes de completar 3 meses, para não ter que lidar com as pessoas caso a gravidez seja interrompida antes. Mas quem engravida pensando na possibilidade de perder, certo? Óbvio que existem casos de pessoas que fazem tratamentos e a sua situação é mais delicada.
Pensando nisso, quebrei essa regra e sai contando para os 4 cantos do mundo que seriamos pais, e queria sentir a vibração dos meus amigos e conhecidos.
Até então, nos meus 32 anos de idade, só conhecia 3 casos de uma gestação naturalmente interrompida antes do tempo, e de pessoas próximas que preferiram não comentar sobre o assunto tanto a fundo.
Logo, quando engravidei, pensei “Não vou nem cogitar a possibilidade de perder esse bebê. Sou jovem, saudável, ativa, vegetariana, pratico yoga, faço e desejo o bem’. Mas não foi bem assim que aconteceu.
Anunciamos no dia 11/11 que seríamos pais e na sexta-feira 13 (marcada por tragédias no mundo), descobrimos que há algumas semanas nossa bebê parou de crescer. Horas antes, ganhei de um amigo feirante um linda rosa rosa em homenagem a nossa sementinha. Mal imaginava que seria o símbolo da minha despedida. Foi um dos maiores baques da minha vida. Choramos, como há tempo não chorávamos. Vivemos o luto da nossa primeira grande perda juntos.
Para a grande maioria dos casais, aqueles que seguem a regra de não dividir sua gravidez antes de completar o primeiro trimestre, um aborto espontâneo é um momento muito marcante de dor e sofrimento que não se compartilha com muitos, ou com ninguém. Não se compartilha por medo do julgamento, da culpa, ou simplesmente por que não é uma noticia “agradável”.
Mas queremos quebrar mais um tabu. Não temos medo de compartilhar. Não nos sentimos culpados. Como mãe, fiz as melhores escolhas que podia, cuidei da minha fé, do meu corpo, do meu coração, da minha mente, do meu marido, dos meus alunos, dos meus amigos, da minha família, do mundo que vivo. Mas ainda assim não rolou.
Nós nos permitimos chorar e viver o luto da perda. Mas aceitamos isso como parte de nossa história. E nossa aceitação não seria tão fácil, sem poder acreditar um no outro, sem a presença da nossa família e amigos, sem nossa fé e no meu caso sem minha prática de yoga.
Casais e principalmente mulheres, mães, geradoras de vida, por favor; não sofram sozinhas. É justamente em momentos como esses que precisamos de apoio. Queremos pessoas vibrando com nossa felicidade e cuidando da gente durante nossa gestação (principalmente nos 3 primeiros meses). Mas também queremos apoio quando não dá certo.
Queremos um abraço! Sim só um abraço. Pois esse é o melhor conforto que alguém pode nos dar. Não diga nada, só nos abrace, nos deixe chorar no seu ombro, nos compre uma garrafa de vinho (pois agora podemos beber).
Uma das coisas mais legais que ouvi (depois de 3 dias) foi “Veja como um rascunho que a Vida escreve. O começo não ficou tão bom. Então vamos começar uma nova história”.
Isso me ajudou muito!
Nós somos fortes, mais fortes do que imaginamos. Permita-se chorar no colo de um amigo, mas também permita-se viver e sorrir. Pensem e sintam como mudamos e evoluímos já com essa dolorosa experiência.
Vou aproveitar pra continuar vivendo minha vida feliz, vou viajar, vou retocar minhas tatuagens, vou tomar um bom vinho, vou curtir uma trilha com meus amigos. Vou celebrar a gestação das minhas amigas. Vou viver e espalhar amor e coragem para todas as mulheres que sofrem quietinhas com suas dores da perda. Vou praticar minha linda Yoga.
Logo logo estaremos todas desfilando com nossas barrigas por ai.
A natureza vive provando ser tão sábia, que ainda na nossa fraqueza duvidamos dela. Que a nossa natureza mostre que tudo vai ficar bem. E tudo acontece para o nosso bem, mesmo que demore pra gente compreender.
Fé, yoga, amigos, familia, amor… esperança!
Namastê!!

Sa Souza

Professora de yoga, meio paulista, meio carioca, meio americana, meio do mundo. Atualmente mora no Rio de Janeiro, mas iniciou sua prática de Vinyasa Yoga em 2010, em Washington DC, EUA, onde morou 7 anos. De coração e mente aberta, Sá oferece a seus alunos a oportunidade de respeitar e explorar as suas limitações e emoções com muito bom humor. Canceriana, está sempre buscando construir um karma positivo através de sorrisos, boas energias e boas ações com o próximo. Ama inverter seu mundo de cabeça para baixo e ver a vida de diferentes perspectivas. @sasouza_yoga

  • Avatar

    Merie Angelo - 16 nov 2015

    Pensei em comentar de várias formas...mas acho que nenhuma poderia lhe trazer conforto...como me colocar à seu dispor e lhe desejar o melhor !! Pelo que senti...vc já sabe o que fazer... vou torcer pra que vc siga no caminho da cura...oração sempre fortalece ! sinta-se abraçada,carinhosamente ... ...... paz ....

  • Avatar

    DEZA GOUVEIA - 16 nov 2015

    Só queria te dizer que todo seu relato e toda essa sua passagem sofrida terá um enorme bem para sua alma e a alma de sua bebÊ. não me parece fácil viver essa dor mas haverá um certo instante da sua jornada que você vai entendê-la. seu corpo foi abrigo para um espírito de luz evoluir, seja trazendo amor para você e sua família seja para despertar sensações nunca antes vividas. que deus esteja contigo. amo imensamente você, só não sei o porquê rsrs mas diante desse seu momento estarei sempre em preces por ti. namate

  • Avatar

    Bárbara - 16 nov 2015

    Oi Sá... eu sei examente o que vocês estão sentindo... antes de nascer minha Maricota eu também tive um aborto espontâneo a dor foi uma das experiências mais devastadora que já vivi... mas aí o tempo passou e veio quando eu menos esperava minha sementinha... Sinta meu abraço!!! ????

  • Avatar

    Lara - 18 nov 2015

    UM abraço BEM APERTADO...

  • Avatar

    sonia - 10 abr 2017

    Meu imenso carinho para vc . ????