Blog

#yogaparainiciantes


YogIN App
Filosofia do Yoga | 1 jan 2018 | Daniel De Nardi

O que é o Yoga? 

O que é o Yoga? Vamos responder a pergunta - O que é o Yoga? Saiba mais assistindo a aula completa no vídeo abaixo.         LINKS     Ebook gratuito - As Origens do Yoga e da Meditação   Audiobook - As Origens do Yoga e da Meditação https://yoginapp.com/curso/as-origens-do-yoga-e-da-meditacao/   Playlist da Série - Reflexões de um YogIN Contemporâneo   https://open.spotify.com/user/yoginapp/playlist/2YCabHrhxWDjZAYxdVwusa

Podcast de Yoga | 31 dez 2017 | Daniel De Nardi

Mensagem para 2018 – Podcast #48

Mensagem para 2018 - Podcast #48   Final do ano está chegando. Gravei uma mensagem para 2018! Feliz ano novo!   Links   Texto sobre Saint Petersburg, cidade onde o ballet Quebra-Nozes foi encenado pela primeira vez Playlist da série Reflexões de um YogIN contemporâneo   https://open.spotify.com/user/yoginapp/playlist/2YCabHrhxWDjZAYxdVwusa   Transcrição: Mensagem para 2018 – Podcast #48   Olá, o meu nome é Daniel De Nardi e está começando o 48º episódio de “Reflexões de um YogIN Contemporâneo”, um podcast semanal a respeito de espiritualidade, trazendo temas a respeito do yoga e da Índia para entender questões do mundo em que a gente vive. Hoje eu estou gravando o último episódio de 2017, o podcast nasceu em janeiro de 2017, então esse anos, especialmente pra mim, foi um ano de muito crescimento em termos de produção de conteúdo e de desenvolvimento de ideias porque uma coisa muito boa que a produção de conteúdo exige é que a gente busque informação, busque conteúdo, aumente o próprio repertório para depois ensinar. E isso também está relacionado a questões espirituais, com as questões de melhorias internas que você quer desenvolver para transmitir, é como se fosse quase como uma obrigação ler e estudar para conseguir produzir um conteúdo de qualidade. Da mesma forma, a auto-observação e aquilo que você está propagando, você que é professor de yoga, não se pode dizer da boca pra fora, tem que se viver aquilo para que não parece algo falso e não vai impactar as pessoas. No meu caso, tudo que eu venho estudando e ensinado aqui no podcast são coisas que eu venho aplicando na minha vida pessoal e no meu desenvolvimento pessoal. Então esse ano, por ser todo esse desenvolvimento em 48 episódios, foi de muito crescimento espiritual e intelectual pra mim, além receber feedbacks positivos das pessoas que dizem gostar do conteúdo do podcast e que usam aquilo que u falo para melhorar as suas vidas, usando os conceitos que aqui são abordados para se viver com mais felicidade e menos angústia e sofrimento. Como é final de ano, é muito normal as pessoas quererem fazer planos e objetivos com ações muito bem planejadas. Acho importante buscar objetivos, isso nos mantem mais alertas e vivos porque estamos em busca de algo, mas eu não mantenho nenhum tipo de expectativa em relação aos planos. Plano é uma linha e ele não ai acontecer exatamente como você planejou, então se você colocar toda a sua atenção e propósito em cima de um objetivo muito específico, certamente isso irá gerar algum tipo de frustração. É comum as pessoas fazerem promessas de final de ano em relação a quanto irão ganhar de dinheiro ou quanto irão emagrecer no ano seguinte, no decorrer do tempo essas promessas acabam não se realizando essas promessas não concluídas acabam por gerar algum tipo de frustração. Não é ilegítimo ter algum tipo de objetivo, ele vai te estimular a viver e a agir por aquilo que você acha importante, mas projetar a sua felicidade vai gerar algum tipo de angústia porque o objetivo, mesmo quando alcançado, se transforma em outro objetivo, e em outro, e em outro. Quando se projeta a realização em cima de objetivas, se sujeita aos acontecimentos externos, da natureza como um todo. Muitas vezes um fator histórico pode te impedir de alcançar um objetivo e, então, você fica frustrado por algo que você não tem nenhum controle. A minha proposta para esta mensagem de final de ano é que, ao invés de a gente buscar objetivos, que a gente passe a aceitar o que a gente já tem e já é em 2018. Seria muito mais prazeroso se você aceitasse o seu padrão de vida, trabalhasse para melhorá-lo, mas não ficasse angustiado com o que tem. Da mesma forma o seu corpo, você irá trabalhar para melhorá-lo, a saúde é um dos indicadores muito importante observados pelo yoga, mas tornar esse cuidado algo neurótico em cima da busca por uma peso ideal, isso irá criar frustrações. É muito mais fácil aceitar o que já tem e não buscar algo externo que não tem fim, que irá se desdobrar em muitos outros objetivos. Isso pode ser vivenciado, mas como ponto final irá gerar frustrações. Esta é a minha mensagem de final de ano, do último podcast do ano. Aceite mais, aceite melhor quem você é, o que você tem, e deixe de lado aquilo que você não tem, o que você não é. Se as mudanças forem acontecendo, em decorrência de ações, mas não se pode projetar a uma experiência em sobre um objetivo externo. É bem mais inteligente se voltar pra dentro e aceitar aquilo que já existe, que já é real. Um excelente 2018 para todos, espero continuar produzindo semanalmente o podcast neste próximo ano. O episódio 52 terá completado um ano de podcast, então estamos quase chegando em um ano, que seja m ano pleno de realizações e de encontro com o que você já é. Para finalizar eu vou deixar trecho da música “Quebra-nozes”, que é trilha do ballet homônimo, de Tchaikovsky. Quem estiver acompanhando pelo YogIN App, vai conseguir acompanhar os trechos do ballet. Essa peça é muito famosa, ela se passa no dia do natal, uma menina ganha um presente que ganha a vida e começa a se construir um mundo de fantasia. Ela sempre encenada em salas de concertos pelo mundo na época do Natal, quem nunca assistiu, é uma experiência que vale a pena, toda cidade tem uma apresentação de “O Quebra-nozes” nesta época do ano. Tchaikovsky fez só a trilha sonora, que estreou em 1898 em São Petersburgo (vou deixar um texto sobre a cidade que escrevi há algum tempo atrás). Tenho bastante interesse em conhecer a cidade, até porque foi um grande centro de produção de cultura na Rússia, no século XIX, grande gênios saíram de lá (Dostoievski, Tolstói...). No ano que vem o Brasil irá jogar algumas partidas da Copa do Mundo em São Petersburgo, então certamente vamos saber um pouco mais sobre esta cidade. Com você, Tchaikovsky com “O Quebra-nozes”, um feliz 2018, uma feliz passagem. Quem já está ouvindo este podcast em 2018 lembre-se: entender e aceitar quem se é, é muito mais inteligente do que buscar o que está fora de sim. ohm shanti shanti om!

Filosofia do Yoga | 18 set 2017 | Daniel De Nardi

A construção do Yoga no Brasil

A construção do Yoga no Brasil O Doutor em Ciência da Religião Roberto Simões vem desenvolvendo há pelo menos 5 anos, uma rica pesquisa sobre a construção do Yoga no Brasil! Nessa nova série de podcasts ele traz importantes reflexões sobre como o Yoga vem sendo transplantado no nosso país. É inegável que fatores como a língua e a cultura brasileira influenciaram a forma como o Yoga é ensinado no no Brasil. Gostaria de ressaltar dois pontos que para mim são centrais. O fato de indianos não falarem português (a não ser os poucos que vivem em Goa) dificultou a entrada de referências no Yoga no Brasil. Isso abriu espaço para criações e fusões que só aconteceram por aqui. Roberto fala bastante dessa luta eterna entre tradicionalistas X permissivos - até que ponto o Yoga pode ser ensinado adaptado a vida moderna para pessoas que não desejam vivar sadhus e até onde podemos determinar o que é Yoga?  

1 9 10 11