Blog

ansiedade


Respiração Ujjayi
Podcast de Yoga | 11 abr 2021 | Daniel De Nardi

Qual a melhor técnica do Yoga para a ansiedade? Yoga Falado #21

Yoga e ansiedade! \"A mente é senhora dos sentidos, mas a expiração é senhora da mente.\" Hatha Yoga Pradipika É importante entender que todos temos algum nível de ansiedade. Entretanto, se você sente que a sua está alta, isso é um indício de algo não vai bem com seu emocional. A ansiedade é uma espécie de temperatura do nosso corpo emocional. Seres humanos mantém a temperatura do seu corpo entre 36 e 37 graus. Quando a temperatura passa disso, a pessoa está com febre, um sinal que algo não vai bem com o seu corpo. Com a ansiedade acontece a mesma coisa. Todos temos um nível de ansiedade, que varia de pessoa para pessoa, mas quando começa a atrapalhar sensações de felicidade, há algo a ser observado. Seu termômetro de ansiedade foi acionado, seu emocional não vai bem. Pare alguns instantes e observe quais as preocupações que estão tirando de você a graça da vida. Por que está sorrindo menos? É importante detectar esses pontos de preocupação que estão sugando sua energia - para saber se você está muito preocupado avalie por quanto tempo consegue se manter concentrado vendo um seriado na tv. Quando a preocupação é alta, ela faz com que você faça coisas pensando no que te preocupa. Quando o pensamento é mais forte que a ação, você faz as coisas de forma distraída e mal feitas! Enquanto lê, fica pensando no e-mail que não mandou...  Antes de começar a tentar se concentrar em algo, pare para avaliar se é possível resolver esse problema que está atrapalhando a sua atenção. Avalie se você não está exagerando na atenção dada ao problema. O Yoga não funciona como uma fórmula mágica contra a ansiedade. \"O exercício de cura da ansiedade,\" não existe. O Yoga nos abre o caminho da percepção, da auto-observação para que o praticante de um passo de cada vez em direção aos seus objetivos e sua identidade. A ansiedade, na maior parte dos casos, acontece por confusões de personalidade, por viver a vida de outras pessoas, buscar objetivos que não são seus. Em termos de técnica, a que produz o melhor efeito de redução de ansiedade é a expiração lenta. No Yoga chamada de rêchaka - a fase dos pránáyámas que faz o YogIN descontrair e mergulhar mais para dentro de si. Respirar lentamente é a chave para a alteração de um estado emocional. A medida que você aumenta o tempo da sua expiração, a resposta do corpo é uma redução de batimentos cardíacos e um aumento de tranquilidade. A redução da ansiedade depende de um lado, uma técnica com resposta imediata, mas do outro, uma busca para a verdadeira paz da mente. Para saber mais detalhes sobre a Ansiedade leia este texto Ouça também via:

Por que o Yoga não é uma atividade física
Dicas de Yoga | 8 abr 2021 | Equipe YogIN App

Yoga Emagrece?

YOGA EMAGRECE? Eu poderia responder essa pergunta simplesmente falando: o verdadeiro sentido do Yoga não se preocupa com isso. Mas se eu falasse que o Yoga, como filosofia que busca o autoconhecimento e iluminação da consciência, não liga pra isso também não seria verdade. O Yoga se preocupa com a saúde integral, seu corpo físico, energético, emocional e mental em equilíbrio. Se o excesso de peso estiver atrapalhando a execução dos seus asanas, causando disfunções como falta de energia e dores na coluna, isso não é harmonioso para o seu corpo e você deve atentar para a causa desse sobrepeso através de exames médicos e do auto-estudo, a observância de seus atos. Nenhum exagero é saudável. Exagerar na comida e no sono não são compatíveis com o cotidiano de um yogin, segundo o Bhagav Gita. Krishna diz: O Yoga não é para quem come em excesso ou jejua com exagero, Arjuna; nem tampouco para quem dorme demais ou se entrega a prolongadas vigílias. (Gita VI-16) Aquele que é moderado na comida, na diversão, na ação, no sono, na vigília ou no estar-desperto, para este a prática de Yoga destrói todas as misérias. (Gita VI-17)   Porém, se você está acima do peso para os padrões de magreza indianos, mas se sente cheio de energia, não tem dificuldade para as posturas, seus check ups estão ótimo, ame seu corpo e viva como se sente bem e feliz. Respondendo a pergunta de uma forma direta, o Yoga seria eficiente no emagrecimento por diminuir a ansiedade e aumentar a consciência. Você será mais seletivo nas escolhas dos alimentos ao interpretar que seu corpo é seu templo e, assim, ingerir produtos industrializados, sem vida, não serão sua primeira opção, pois podem inflamar invés de dar energia. Alimentar-se bem com frutas e legumes será um prazer quando você tem essa consciência do prana, da energia vital. Além disso, ao diminuir a ansiedade pessoas que comem por compulsão ou para suprir uma carência emocional poderão facilmente se  livrar desse hábito através de pranayamas e meditação constantes. Escrevemos um artigo sobre Yoga e o aumento de produção de GABA  aqui. O GABA é um neurotransmissor secretado por um receptor sinóptico, que praticamente desaparece do sistema nervoso em situações de ansiedade e nervosismo, sua abundância é relacionada ao oposto, relaxamento e tranquilidade. Pesquisas da Universidade de Medicina de Boston mostraram através de ressonância magnética espectroscópica que praticantes de Yoga obtiveram um aumento de 27% nos níveis de GABA após uma prática de 1 hora. Sabemos que emagrecimento é 70% alimentação. O abdômen tanquinho se constrói na cozinha e não com abdominais, então deixando de comer por impulso e escolhendo com mais consciência seus alimentos, o emagrecimento é um caminho natural. Com relação ao tônus muscular, o Yoga é extremamente eficiente em modelar seu corpo se você tiver disciplina na prática de asanas e aplicar o conceito de tapas, autosuperação, sendo honesto com seu sádhana (prática) tentando realmente dar o melhor de si a cada prática. new RDStationForms(\'newsletter-yogin-formulario-1c3fb174b015350a9cd5-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();  

Postura de Lótus
Meditação | 5 mar 2021 | Daniel De Nardi

A experiência prática da meditação

A experiência prática da Meditação Esse ano, faz 20 anos que comecei a meditar. Foi em 96 que comecei a me aventurar na experiência de aquietar a mente. Antes mesmo de começar o Yoga, já lia e fazia alguns exercícios de meditação. Foi um treinamento que valeu a pena. Me trouxe muita coisa bacana pra minha vida. Dentre elas, reduzir minha dispersão quando preciso fazer alguma tarefa que exige atenção máxima, como escrever, ler ou ver algum filme. Sinto que essa capacidade de abstração dos sentidos, como o sábio Patañjáli, pai do Yoga dizia, me ajuda a explorar melhor tudo me interessa. Uma das coisas que esse tempo de prática me ensinou, é que nosso cérebro tem um princípio de conservação de energia. Esse instinto de sobrevivência dificulta muito qualquer tipo de mudança, mesmo começar um exercício que faz bem para nós como a meditação. O cérebro não quer fazer coisas diferentes, vai resistir até onde conseguir e criará desculpas para que você não mude seus hábitos. Ele não quer gastar energia, logo prefere que você continue lendo os mesmos tipos de livros, assistindo filmes com temas parecidos e também mantendo os exercícios físicos que você está acostumado a fazer. Nem isso o seu cérebro quer que você mude. Ele sempre trabalha pra fazer as coisas com o mínimo gasto de energia, logo mudar é forçar o cérebro a sair da sua zona de conforto e isso faz bem para sua capacidade de adaptação. Se você já teve alguma experiência com Meditação, provavelmente achou desconfortável e se nunca teve, pode esperar por uma experiência árdua. No começo é difícil mesmo. Você luta contra instintos de preservação da sua vida (pode acontecer até mesmo de você abrir os olhos no meio do exercício com medo que algo aconteça enquanto você está de olhos fechados). A proposta da meditação é algo que desafia o cérebro a mudar. Ficar atento a uma só imagem, força seu cérebro a não dispersar a atenção, algo que ele está acostumado e adora fazer. Por isso, ele não vai facilitar a vida e tentará buscar sensações e memórias que façam você parar com o exercício, abrir os olhos e voltar a olhar para as atualizções do seu celular. Persista. Não embarque nessa necessidade de dispersão, pois ela não é tão necessária assim, espcialmente enquanto você estiver meditando. Se deseja vencer, pelo menos alguma parte, dos seus turbilhões mentais, persista. Da mesma forma que cérebro rejeita a mudança, a medida que ele vai aprendendo a permanecer mais tempo focado no mesmo pensamento, a experiência da meditação trasforma-se completamente. Se você já praticou corrida sabe do que estou falando, no início parece insuportável, com o tempo pode até viciar. Meditar é conseguir dar mais atenção a você mesmo. Pense se você ficasse olhando para uma flor durante 5 minutos, sem pensar em mais nada, quantas informações você teria sobre ela que você nem sabia? Agora pensa fazer 5 ou 10, ou 15 ou 20 minutos deste mesmo exercício com você mesmo. Quanto você também não sabe sobre você?

Vídeos de Yoga | 25 fev 2021 | Daniel De Nardi

Playlists de exercícios de Yoga – Grátis

Playlists de exercícios de Yoga - Grátis Sempre falamos dos benefícios do yoga como pratica meditativa, fisica e de auto estudo. Agora queremos apresentar à você instrumentos para praticar conosco gratuitamente. Conheça: Nosso Canal de Podcasts O reflexões de um yogin contemporâneo é o único podcast brasileiro focado em yoga. Alimentado semanalmente pelo head de conteúdo do Yogin App, Daniel de Nardi possui conteúdo teorico profundo sobre meditação, yoga, aprendizado, evolução humana, espiritual e curiosidades. Playlist com exercícios de meditação Faz parte dessa playlist as meditações do #projetoyogin, meditação no Japa Om, no Rio Ganges e mais; Playlist com relaxamentos e visualizações Exercícios de relaxamento para a coluna, relaxamento para serenidade e mentalizações; Playlist com exercícios de Yoga Aprenda a fazer o bhastrika - a respiração de ganho rápido de energia - e o raja pranayama Playlist com músicas para sua prática Música de yoga para a sua prática, para acompanhar você nos exercícios de relaxamento, respiração e mentalização. Playlist com audiobook Ouvir uma leitura enquanto pratica outras atividades, é um ganho de tempo e aprendizado. Outras Acompanhe também o diário de um yogin - sobre reflexões durante uma jornada na índia. Aproveite e boas práticas    

Podcast de Yoga | 4 fev 2021 | Daniel De Nardi

Meditação, Ansiedade e Ciência – Podcast #32

Meditação, Ansiedade e Ciência - Podcast #32 A neurociência tem feito descobertas interessantes sobre como a Meditação pode modificar nosso cérebro. Entenda mais sobre essas pesquisas nesse podcast.   https://soundcloud.com/yogin-cast/meditacao-ansiedade-e-ciencia-podcast-32   Links Podcast Fronteiras da Ciência sobre Meditação e Ansiedade    Página de livros gratuitos do YogIN App https://yoginapp.com/ebook-yoga/   Ebook - As Origens do Yoga e da Meditação https://yoginapp.com/e-book-as-origens-do-yoga-e-da-meditacao   Ebook - Pra que Meditar? Ebook - Como Funciona a Meditação Curso de especialização para professores de Yoga https://yoginapp.com/curso/especializacao-em-yoga-curso-para-professores-de-yoga/ Podcast Fronteira da Ciência Pesquisas sobre efeitos da Meditação       Transcrição do Podcast #32   Meditação, Ansiedade e Ciência - Podcast # 32 Desde que o YogIN App surgiu, nós sempre oferecemos e-books gratuitos, são diversos que já oferecemos e agora tem uma área no site que são esses e-books expostos para baixar aquele que você quiser. Nessa área todos os e-book estão gratuitos, mas esse livros tem um valor, inclusive estão marcados e, eventualmente, podem ser cobrados. Então, se você tiver interesse em aprender, pode ir na página e baixar os livros, poderá ir em qualquer momento oportuno. Então, eu estou fazendo uma série chamada “Yoga e a Meditação” que será composta por cinco e-books, já publiquei três deles, e eles contam um pouco a história e a estrutura do yoga e da meditação, o primeiro deles começa com a origem do yoga e da meditação, tratando sobre as primeiras escrituras a falarem disso, depois, o segundo livro, se chama “Pra quê meditar?”, fala sobre os efeitos que a meditação produz. E agora, recentemente, acabei e publicar o terceiro livro chamado “Como se funciona a meditação” e ele fala do processo que acontece durante a nossa meditação, como é a explicação fisiológica e cientifica do processo meditativo e o que a gente pode ver também como uma explicação filosófica mais profunda da meditação, há explicações técnicas que revelam quais partes do cérebro se envolvem no processo meditativo. Se você se interessa pelo assunto, eu vou deixar na descrição os três livros para que baixe depois. Um outro recado é que no dia 22, daqui a alguns dias, nós vamos lançar o curso de especialização para professores de yoga, então é um curso para quem já realizou uma formação e quer se aprofundar, quer mais dicas de como dar aula de como fidelizar o aluno, de como adequar a aula para o tipo de ambiente. Seja na academia, uma aula particular, na empresa, seja aula pra gestantes, ou até uma adequação para o aluno, um aluno que quer um treinamento mais forte, uma aula com mais alongamento, um aluno que tem dor nas costas...então, a gente vai trabalhando nesses diversos ambientes, nessas diversas dificuldades que o professor tem no dia-a-dia. É um curso que tem 24 horas gravadas, com sei professores do YogIN App e será lançado no dia 22 de setembro. E, nesta semana, saiu uma entrevista no podcast Fronteiras da Ciência com a responsável pela maior pesquisa que já se fez no Brasil sobre Mindfullness, feita pela Universidade do Rio Grande do Sul. Eles estão medindo os efeitos da meditação Mindfullness sobre a ansiedade. Como eles determinam que é este tipo de meditação? Que é a meditação do yoga, e é a meditação que a gente pratica em outras técnicas não só na meditação, mas, por exemplo, quando se faz uma respiração bem feita, acaba tendo muito desses elementos ou mesmo numa postura, então o yoga como um todo vai trabalhando com pequenas meditações, para que no fina haja uma meditação focada, concentrada, com treino prévio, preparação prévia que os outros exercícios já deram. Então dentro desta pesquisa do Mindfullness, ele consideram como meditação levar a sua atenção de uma forma diferente para aquilo que foi determinado por você, esta meditação tem um foco com uma intenção. Ela vai trabalhar a sustentação da atenção, que não é algo comum, e ela busca o não julgamento, a simples observação sem julgamento. Isso, efetivamente, é a meditação do yoga, quando a gente faz um meditação a gente sempre tem o intuito de sustentar a concentração, de manter a mente mais como uma observadora, e não analisando cada um dos fatos. Internamente, dentro do cérebro, como esse processo acontece? Quando a gente começa a meditar, a primeira área que ativada é a frontal, que é o córtex frontal, responsável pelas nossas decisões mais deliberadas, aquelas que a gente pensa, projeta a longo prazo, aquelas decisões que a gente toma de forma mais consciente e não instintiva. O córtex pré-frontal no processo meditativo, primeiro é ativado e, aos poucos, começa a desligar a sua relação com as partes mais internas, ligados os instintos. Na entrevista, ela fala sobre a amidala e no meu livro eu falo sobre o tálamo, que são duas partes do cérebro na área mais interna chamada de área reptiliana, responsável por responder de forma instintiva aos estímulos, por exemplo, quando passa uma cobra em um ambiente, não há controle, haverá a liberação de cortisol, eriçamento na pele, dilatamento das pupilas, então há uma resposta instintiva de sobrevivência, que não necessariamente passou pelo córtex pré-frontal, não se decide ter  ou não medo da cobra, ele simplesmente existe e é mais forte e surge. Mas o que acontece é que uma cobra, um medo real, é bastante raro na vida, a maior parte dos nossos medos e daquilo que gera ansiedade, é criado dentro da nossa cabeça, não é um perigo real porque desde a origem o ser humano sobreviveu graças a sua capacidade de prever alguma catástrofe, algum perigo eminente e começar a se preparar para aquilo. Por outro lado nós usamos também muito a visão do passado, que na entrevista ela chama de “ruminar o passado”, então o ser humano fica numa questão de proteção até mesmo da sua sobrevivência, do seu cérebro, tentando pensar em algum problema que vai dar ou trazendo do passado. Esta projeção gera um nível de ansiedade grande e quem não tem muito esta parte do corte pré-frontal instintiva, então ele não vai pensar de maneira mais consciente “a chance de um avião cair é muito menor do que de eu ser atropelado na rua, isso é uma decisão mais consciente. Mas quando o medo se apodera de quem tem medo de avião, não há argumentos, ele vai para o instinto,, por esses estímulos do sistema reptiliano o mais interno, na entrevista eles falando da amídala, no livro eu falo do tálamo, mas são duas áreas responsáveis por sobrevivência, simplesmente você responder de forma instintiva a sobrevivência, mas como eu falei, essa questão da sobrevivência é essencial para a nossa vida, mas se a gente ficar o tempo inteiro com esse tipo de resposta, acaba gerando um desgaste emocional, uma ansiedade muito grande. Então o processo de meditação desta forma faz com que as áreas mais internas sejam desligadas, e que a influencia na hora das nossas decisões seja menos pelo instinto e mais pela consciência, simplesmente observar e verificar qual é a melhor decisão a ser tomada, sem ruminar o passado – porque temos o hábito de buscar padrões, “Ah, isso já aconteceu assim, vai acontecer de novo”, na vida real não acontece, ela é algo aleatório, a gente vai buscando esses padrões, então manter uma observação e não ter uma resposta do que já foi ruminado do passado e projetado para o futuro, é uma decisão mais consciente, mais relacionada com o córtex pré-frontal que é a primeira região a ser estimulada com a meditação. Há pesquisas, inclusive, do reforço desta região por pessoas que meditam com regularidade. Então a meditação feita desta forma, sem julgamento, com sustentação da atenção e com a intenção de reduzir a atividade da mente, vai criando um novo caminho do córtex pré-frontal para o sistema reptiliano, e esse caminho vai criando uma estrutura de uma tomada de decisão não tão determinada pelos instintos, mas mais por uma decisão consciente, e isso vai reduzindo bastante a ansiedade que, como eu falei, é um processo de ruminar o passado, de buscando padrões  e repetições, ou prevendo catástrofes  que vão acontecer. Quando você tem o seu córtex pré-frontal, a sua decisão com mais atenção, com mais plenitude, não há tanta afetação por esses instintos, então se consegue manter uma tranquilidade, afinal a vida não estará em risco e isso estará bem claro. É mais uma prova de que a ciência está chegando, do quanto as técnicas meditativas – porque essa questão de não julgamento, sustentar a atenção sempre foi tema da literatura do yoga, sempre foi tema do trabalho como um todo do yôgin, de ele conseguir, no momento da meditação, tentar não usar aquilo que ele já tem como background, de memória e simplesmente viver o momento, estar presente e não ficar pensando no passado. A ciência chega a prova de que isto é bem efetivo para a melhoria da qualidade de vida, redução da ansiedade e para a tomada de decisões mais conscientes, então, eu fico bem feliz de isso estar acontecendo porque é uma demonstração do que a gente faz, sempre foi encarado como algo místico, sem comprovação e sem seriedade. Agora, com o desenvolvimento da neurociência, em que você consegue colocar eletrodos no cérebro e medir os efeitos quando a pessoa está meditando, esse desenvolvimento da ciência está trazendo todos os efeitos positivos que a meditação tem, não só na ansiedade, mas também na nossa vida, viver melhor, de uma forma consciente, uma forma com menos decisões baseadas em instintos de sobrevivência, porque no passado, tínhamos que viver assim, a gente tinha problemas eminentes, a qualquer momento poderia aparecer um tigre e nos matar, hoje temos problemas que são reais, mas a maior parte deles, a boa carga deles, é criado dentro da nossa cabeça. Se você explicar para alguém o soeu problema e este analisar de forma fria, provavelmente ele não vai achar que é tão grande quanto você está ali sentindo ele, então talvez ele não seja tão grande, talvez na realidade internamente você tenha criado isso por trabalhar  nessa área reptiliana, por trazer mais os instintos, por trazer mais o medo, mas na realidade efetivamente você não tem  todo esse problema tão grande, e aí, uma decisão mais consciente, observar a situação, tentando se colocar de fora, sem julgar, vai te trazer bastante benefício nesse sendo. A música de hoje é de Phillip Glass, como eu falei. Vou contar uma história do Phillip Glass que escrevi no meu blog há um tempo, que é bastante interessante para mostrar o quanto é importante a gente ser independente para criar aquilo que a gente realmente acredita, à medida que a gente depende de uma situação específica a gente sempre está numa situação em que não há liberdade, não há expressão total. O que o Phillip Glass queria, era criar uma nova forma de música que poderia acontecer, e que depois tomou os cinemas porque ele criou uma trilha repetitiva que acabou sendo usada em todas as trilhas sonoras que a gente vê hoje. Então o Phillip Glass, justamente com Reich, foram um dos primeiros compositores a criar um tipo de música minimalista, que se repete e que hoje é bastante usada em trilhas de filmes. Então o texto que escrevi há alguns anos sobre ele diz assim: “Phillip Glass e Reich no início da década de 1960, começaram um movimento musical que, depois, foi chamado de minimalista, mas eles mesmos, não sabiam o que estava fazendo, simplesmente acreditavam que aquilo era a evolução da música. Como disse o escritor Alex Ross, a irradiou dos anos 1980 e1990 a ponto de ser possível ouvir em qualquer boutique de moda, em algum momento, um balbucio distante um distante, semelhante a Music for 80 musician, de Reich. Entretanto, nem toda a vanguarda não é facilmente aceita pelo mercado, e se o artista sede aquilo que as pessoas querem, jamais conseguirá emplacar o que realmente acredita, nunca fará uma inovação marcante. Phillip Glass e Reich, há eram muito conhecidos no meio música, entretanto, as suas melodias ainda não faziam sucesso para o grande público, por isso, a única forma de preservá-las era fazer trabalhos que dessem sustento para poderem criar livremente. Assim como Reich, Glass ganhava a vida fora da academia musical, dirigindo taxi e fazendo serviços exóticos. Os dois minimalistas formaram por algum tempo uma companhia chamada Chelsea Light Moving em que trabalhavam para garantir uma renda carregando mobília para cima e para baixo nas estreitas escadarias de Nova Iorque. Glass trabalhou também como encanador e, um dia, instalou uma lavadora de pratos no apartamento do crítico de arte Robert Hughes que não conseguiu entender porque o famoso compositor do Soho estava se arrastando no chão da sua cozinha.  

Meditação | 22 set 2020 | Daniel De Nardi

A meditação na visão de um iniciante

O que é a meditação na visão de um iniciante Normalmente você lê por aqui opinião de professores ou praticantes avançados falando sobre meditação, suas experiências e explicação de técnicas. Hoje ouvi esse podcast do Murilo Gun que é um educador digital que eu acompanho e considero como um cara brilhante. Ele fez recentemente um workshop de meditação e compartilhou nesse podcast suas impressões. Vale a pena ouvi-lo, pois apesar de ser iniciante, Murilo teve sacadas profundas do que é a meditação.   https://soundcloud.com/murilogun/meditacao     Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão

YogIN App
Dicas de Yoga | 14 set 2020 | Equipe YogIN App

5 posições de Yoga para aliviar dores nas costas

YogIN TV - 5 posições para aliviar dores nas costas Dores nas costas é o motivo para muita gente começar a praticar Yoga. Muita gente sente desconforto nas costas que pode ser resolvido com algumas posturas de alongamento. A Prof. Mayara, preparou 5 posições para aliviar dores nas costas. https://www.youtube.com/watch?v=jdBOs2-YxQU   Se quiser se inscrever no nosso Canal do YouTube com vídeo semanais sobre Yoga clique abaixo

YogIN App
Vídeos de Yoga | 4 set 2020 | Daniel De Nardi

Yoga e Ansiedade

Ferramentas do Yoga para reduzir a ansiedade Neste vídeo falo sobre as ferramentas que o Yoga possui para reduzir a ansiedade, pesquisas científicas e técnica aplicada na vida. https://youtu.be/Z5mpmgf0iT4?list=PL3Y5CFIJsp-zNlhOw9t2Tdf1ECwPz_lzs

YogIN App
Dicas de Yoga | 10 ago 2020 | Equipe YogIN App

Quero começar a praticar Yoga. Como começar? Existe Yoga Online?

Prática de Yoga Online para trabalhar o corpo e silenciar a mente! Para entender como a prática de Yoga Online ganhou tantos adeptos nos últimos tempos deve-se observar a grande capacidade das técnicas do Yoga é conseguir uma dupla atuação em benefício dos praticantes. Por um lado, as técnicas do Yoga aumentam a energia vital dos proaticantes. Ao mesmo tempo, reduzem os níveis de stress, produzindo relaxando e tranquilidade. A prática do Yoga amplia consideravelmente a consciência corporal. Tais efeitos, já foram comprovados em inúmeras experiências científicas apresentadas em muitos de  artigo como esse que trata de Como o Yoga pode contribuir para o Controle Emocional. A medida que envelhecemos, nos tornamos naturalmente mais rígidos, tensos e inflexíveis. Com o passar dos anos, nossa energia de vida diminui e se nada for feito, caminha-se para o sedentarismo. Tenho certeza que você não se sentiria bem vendo sua vida ficando cada vez mais parada, né?! E também acredito que se você se considera sedentário, pode mudar essa situação. O Yoga provou-se um fantástico método de bem-estar pelo fato de manter-se vivo, com a mesma base de técnicas, por pelo menos 2000 mil anos. Além disso, o depoimento de cada uma dos milhões de praticantes espalhados pelo mundo (só nos USA são mais de 60 milhões) sobre os benefícios que a prática trouxe para suas vidas é a maior das demonstrações do valor da prática. Mas porque você experimentaria o Yoga? Existe Yoga Online? 1. Ganhar flexibilidade e força muscular Muita gente chega no Yoga buscando algum tipo de alívio físico, seja para desconforto nas costas, seja para conquistar mais alongamento. O trabalho corporal no Hatha Yoga, melhor muito o alongamento e a flexibilidade, mas essa é somente a porta de entrada para o Universo do Yoga. 2. Respirar Melhor Uma coisa que torna o Yoga tão diferente de um exercício comum é a sincronização da respiração com os movimentos ou a melhora do processo respiratório. Os yogins atuam na respiração para tranquilizar a mente e relaxar melhor o corpo. 3. Mais consciência corporal A prática de alongamentos com a observação atenta às respostas do corpo ampliam a consciência corporal dos praticantes. 4. Relaxar o corpo Os exercícios de alongamento produzem profunda descontração muscular. Além deles, há exercícios de relaxamento consciente que melhora o conforto corporal. 5. Meditar Yoga é Meditação e uma prática de Yoga que não contribua para a melhoria da meditação não é considerada por nós como uma prática que cumpre seu objetivo. Há dezenas de benefícios reais que a prática de Yoga pode produzir, mas o mais importante deles é ajudar o praticante a meditar melhor e com isso entender melhor a natureza da sua mente e a investigação do EU. Qual a diferença de Praticar Yoga Online pelo YouTube de ter seu próprio Studio de Yoga Online? No YogIN App Studio vocêpode praticar Yoga ao vivo todos os dias com diferentes professores. O estímulo do professor ajuda muito para quem quer praticar Yoga de verdade. Nossos alunos podem confirmar isso. 😀😀😀😀😀😀😀😀😀 Poderá também fazer aulas gravadas montadas em formato de série conforme seu objetivo na prática. Digamos que seu objetivo com o Yoga seja Alongar. No YogIN App Studio você encontra uma série que vai passo a passo produzir melhor alongamento. Agora, se o que você quer no Yoga é Silenciar a Mente. 🙏🙏🙏 Neste caso, você também encontra Séries de Aulas que Silenciam a Mente a partir da Respiração ou Meditação. Alunos do YogIN App Studio recebem materiais complementares para conhecer melhor tudo o que está por trás dessa prática milenar. São livros exclusivos, aulas teóricas espciais e todo o acompanhamento no nosso fórum das dúvidas com relação aos diferentes aspectos da prática. Aulas de Yoga Ao Vivo Todos os Dias No YogIN App Studio você pode fazer aulas de Yoga ao vivo todos os dias. Para conferir a programação com toda a agenda de aulas dos próximos dias - CLIQUE AQUI ! Aulas com o seu Objetivo Para entender melhor como as aulas no YogIN App Studio estão organizadas - CLIQUE AQUI e busque o que espera com a prática de Yoga. new RDStationForms(\'formulario-post-yoga-online-e50c2f5f6660fd97cfa8\', \'UA-68279709-2\').createForm();

YogIN App
Dicas de Yoga | 3 dez 2018 | Daniel De Nardi

Respiratórios do Yoga – Pranayama [SÉRIE DE CONTEÚDOS]

Respiratórios do Yoga - Pranayama - A respiração é um aspecto fundamental para a prática de Yoga. Os pranayamas são técnicas importantes que podem ser usadas em todas as partes da prática de Yoga. Os pranayamas são usados como ferramentas para aquietar a mente. A respiração também pode ser usada para ganho de energia, oxigenando o cérebro e despertando devido a eliminação do gás carbono. Esse respiratório acelerado é conhecido como: kapalabhati ou bhástrika; https://soundcloud.com/yogin-cast/bhastrika-a-respiracao-de-ganho-rapido-de-energia?in=yogin-cast/sets/pranayama-respiracao-yogin Abaixo você também poderá praticar respiratórios de quietude como o tamás pranayama;   Na playlist você pode escolher entre os respiratórios energizantes ou tranquilizantes;   Para baixar o E-book do Treinamento YogIN de Respiração, clique no livro abaixo; Para seguir a Playlist de Pranayamas do YouTube;   Série de Artigos Sobre a Respiração no Yoga e suas aplicabilidades;   https://yoginapp.com/respiracao-pranayama-parte1/ https://yoginapp.com/serie-de-artigos-como-funciona-a-respiracao/ https://yoginapp.com/yoga-e-ansiedade/ Esse podcast com treinamento da Respiração Completa é um ótimo começo para quem está começando no Yoga;   Sobre estímulo a chakras; https://yoginapp.com/quais-asanas-estimulam-o-chakra-do-coracao/   Boas práticas!