Brand

PSOAS, ANSIEDADE E O EQUILÍBRIO EMOCIONAL

PSOAS, ANSIEDADE E O EQUILÍBRIO EMOCIONAL

A ansiedade é algo que pode atacar qualquer um de nós de modo inesperado, todo mundo hora ou outra passa por um momento d nervosismo, preocupação e ansiedade de tempos em tempos.

Sentir-se ansioso é algo tão natural quanto beber água, e quando não percebida a tempo pode tomar conta do nosso corpo, mente e alma.

Semana passada, eu estava me sentindo assim muito ansiosa, bateu um bode danado. A mudança de país, a preocupação com o projeto novo, a necessidade de sair o tempo todo para conhecer pessoas, formar vínculos em uma cidade nova, tudo isso pra quem presa muito o silêncio como eu foi se acumulando dentro do meu corpo, e quando menos percebi acordei chata, triste e sem perspectiva. Acordei completamente perdida, me achando feia, me dei nomes, e me comparei aos outros.

Eu não entendia o que estava acontecendo, parecia que tudo o que eu tinha aprendido entre a India e o Nepal, fazendo trilha sozinha, praticando yoga, estudando o Sutras, tudo tinha evaporado.

Confesso que a minha primeira reação foi querer não fazer nada, queria passar o dia todo olhando o Instagram, mas de repente olhando minhas próprias fotos, algumas bem antigas com frases de incentivo que eu mesma escrevi, achei uma de mais ou menos um ano atrás em que eu estava em EKA PADA RAJA KAPOTASANA pela primeira vez. Era dia de filmagem, eu tinha trabalhado 14hs seguidas e mesmo assim cheguei no hotel, fiz alguns Suryas Namaskars e tentei fazer a pose. Deu certo!

asanas para o psoas

O que isso tem a ver com o Psoas e a minha ansiedade? Simples, essa foto me lembrou de que mesmo na correria de filmagens, trabalhando sem parar e quase sem energia, eu achava tempo para praticar yoga. Podia estar exausta, mas mesmo que fizesse práticas pequenas de 5 –10 minutos, só pelo simples fato de eu abrir um pouco meu quadril e alongar o Psoas diariamente, a minha mente era outra. Eu estava pouco preocupada se estava bonita, se era legal, se os atores com quem trabalhava ia com a minha cara ou não. Eu estava feliz e era isso que importava, ao contrário dessas últimas semanas em que passei muito tempo sentada escrevendo e sem praticar.

Muitos anos atrás, em uma das minhas primeiras experiências com yoga ainda em Washington-DC, lembro da professora que já tinha seus 50 anos e muita experiência, terminar a aula na posição do Pombo – Eka Pada Rajakapotasana e dizer a seguinte frase:

“Relaxa, aproveita esse momento para perceber todos os sentimentos que vão surgindo”, ali deitada sobre a perna direita e com a esquerda esticada para trás me lembro de pensar:

Relaxa? Relaxar o que?! Essa mulher tá louca. Lembro também que saí daquela aula flutuando, com muita clareza e de pouco em pouco me tornei adepta a pose que aquele dia tanto me fez suar.

Em uma outra aula, com outra professora, lembro de ter feito um modificação de “low lunge” na parede. “Anjanayasana – libera a raiva que está acumulada dentro de você”, dizia ela, enquanto nós todos sofriamos segurando aquela pose por 90 segundos.

Não há dúvidas de que o nosso consciente e todas as nossas experiências dependem do nosso corpo, isto é a mente e o corpo são de certa forma inextricáveis. Mesmo que muitas pesquisas parecem já ter descoberto que a mente têm um poder por si só, um poder que pode ser alcançado através da meditação, reflexão, e treinos, para a maioria de nós o nosso estado mental ainda é o reflexo da nossa postura física.

Depois daquela aula lembro de andar até em casa pensando – cara, que negócio incrível, quer dizer então que se guardamos todos esses sentimentos negativos pela região do psoas, não é à toa que bate aquela dor na lombar, aquela cólica forte em época de menstruação (para nós mulheres) e para aqueles que que passam muito tempo sentados em frente ao computador rola uma certa ansiedade e desespero de sair correndo depois do trabalho.

Não é à toa que o Psoas é chamado o músculo da Alma.

Relaxando a musculatura do Psoas, melhoramos a passagem de ar pelo corpo, melhoramos circulação e liberarmos também adrenalina, endorfina e demais toxinas que se acumulam pelo corpo e são os grandes causadores de stress, ansiedade, raiva, e todos aqueles sentimentos negativos que surgem as vezes não sabemos de onde e nem porque.

Para quem não sabe o Psoas é o músculo mais profundo e estabilizador no corpo humano, e portanto é o responsável pelo nosso equilíbrio estrutural, a amplitude dos nossos movimentos, o funcionamento dos órgãos do abdomen e a mobilidade articular.

O psoas é o único músculo que conecta a sua coluna à suas pernas e está ainda ligado ao seu diafragma, ou seja é responsável por tudo mesmo – seus movimentos, sua respiração, e a passagem de sangue e linfa para as células do corpo humano.

E o que isso quer dizer? Simples, o “de acordo com pesquisas recentes, o Psoas é senão um órgão de percepção composto de tecido bio inteligente que incorpora literalmente o nosso desejo mais profundo de viver.”

E é claro que se esse músculo tão importante vive tensionando, preso, sem mobilidade nenhuma, nossa vontade de fazer as coisas consequentemente também diminui. Tudo aquilo de negativo que sem querer pensamos durante dias, meses, as vezes até anos no caso de uma pessoa depressiva vão se acumulando por ali. Perdemos a força para andar, temos preguiça de ir até a padaria a pé, passamos muito tempo deitada ou sentada e sentimos muitas dores pelo corpo. As células do corpo que precisam de linfa para reagirem, começam a entender que talvez a gente não precise se exercitar…e de pouco em pouco o corpo vicia em ficar parado. Isso mesmo. Ficar parado, estagnado também é um vício.

Depois de passar por essa rápida crise de ansiedade  eu entendi porque o Psoas é o músculo da Alma. Levantei no dia seguinte, fui caminhar pela praia, mergulhei no mar, e fiz algumas posturas de yoga chegando em casa.

Qualquer tipo de exercício, e principalmente com a prática Yoga, estamos fortalecendo nosso Psoas e gradualmente, iluminando a nossa alma. Cuidando desse músculo tão essencial  ao bem estar, com poses como os Guerreiros I, 2 e 3, a postura do Pombo e muitas outras, nós temos o poder de acariciar o nosso coração, viver mais alegres, e mudar aqueles pensamentos e hábitos negativos que tentam tomar conta da gente.

Não precisamos de truques para viver uma vida equilibrada, já nascemos com muitas ferramentas embutidas que estão só esperando para serem usadas, e o Psoas é uma delas.

Da próxima vez que sentir-se meio pra baixo, ou cansada, lembre-se de lavantar da cadeira, ou da cama, nem que seja pra dar uma volta pela casa, e se for possível entra na pose do Pombo ou do “Low Lunge” , em qualquer variação– o resultado é imediato !

Cuide bem do seu corpo, cuide bem da sua alma!

Namaste !

Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão

Livia Aranha

A cineasta e professora de yoga, Lívia Aranha começou sua jornada em 2008 quando ainda morava em Washington, DC. Além do curso de formação de 200hrs, no Instituto de Yoga em Mumbai, o centro de formação de yoga mais antigo do mundo, Lívia passou três meses se aprofundando em práticas meditativas budistas: em Dharamsala, pelo centro Tushita e no Nepal, no Mosteiro Kopan.

  • Avatar

    Silvia Martins - 23 jun 2017

    Muito bom!

    • Daniel De Nardi

      Daniel De Nardi - 23 jun 2017

      Que bom que você gostou Silvia!

  • Avatar

    Sheila - 18 mar 2018

    Adorei esta reportagem bjk NamAstê

  • Avatar

    Camila - 18 mar 2018

    Lívia, seu relato maravilhoso me trouxe muita realidade e INSPIRAÇÃO. Gratidão por compartilhar! É como se eu tivesse aberto uma janela para a luz! Namastê

  • Avatar

    Thais Evangelista - 18 mar 2018

    Um incentivo!!! Muito bom.

  • Avatar

    carlacaboh - 18 mar 2018

    Que relato maravilhoso!! Esclareceu muito uma dor que já sinto há anos nessa região!! gratidão!!

  • Avatar

    AMANDA-MIL - 1 jun 2018

    Que texto maravilhoso! ❤️