meditacao profunda

O que um praticante percebe num profundo estado meditativo?

HOME > BLOG > O que um praticante percebe num profundo estado meditativo?

Meditação | 14 out 2020 | Daniel De Nardi


O que um praticante percebe num profundo estado meditativo?

Muitas pessoas pensam em estados meditativos como uma viagem quase psicodélica onde revela-se toda a verdade existente no Universo.

Não acredito muito nessa linha, inclusive há o risco de algum dito “iluminado” vender a ideia de que somente ele teve acesso a esse estado e que só alcançará o estado iluminado quem seguir suas orientações.

Desde as primeiras escrituras que falaram de meditação (Rig Veda e Yoga-Sutra) relaciona-se estados meditativos com liberdade. Samadhi (um estado meditativo) conduz a kaivalya (libertação), logo um estado profundo de meditação deve conduzir a isso.

 

 

Que tipo de liberdade buscam os YogINs?

A liberdade buscada pelos YogINs é conseguir discernir nos comportamentos, o que vem do âmago (Purusha) e o que lhe foi imposto (vasana). 

 

A base filosófica dos Vedas e Yoga-Sutra (antigos textos hindus) é uma filosofia chamada Samkhya. O Samkhya acredita que a essência que existe dentro de nós (Purusha), ao entrar em contato com o mundo manifestado (Prakriti), se “infecta” (usando uma simplificação braba) e ao se infectar, não consegue se manifestar plenamente. É como um eclipse desse brilho interno pela vivência do dia a dia.

As interações com o meio, mantém o Purusha obstruído. É a atenção excessiva aos acontecimentos externos que gera a desconexão e consequentemente sensações desagradáveis. O Purusha, não conseguindo se manifestar, torna-se escravo do mundo manifestado.

O exercício de meditação se propõe a criar o ambiente ideal para auto observação. Claro que você pode fazer esse tipo de observação a qualquer momento em qualquer lugar. Vamos usar como exemplo de ambientes para a experiência contemplativa, o simples olhar para as estrelas. Podemos fazer isso de qualquer cidade, mas a experiência de olhar para o céu em São Paulo certamente não é a mesma de que dentro de um centro de observação planetária da NASA no deserto do Arizona.

A meditação ajuda o praticante a diminuir agitações (físicas, emocionais, mentais) que dificultam a auto observação. Se durante o exercício você continuar pensando nas mesmas coisas, lembrando as mesmas coisas e sentindo tudo igual, o Purusha continuará em seu estado e nenhuma mudança profunda será alcançada. A medida que o praticante consegue discernir melhor entre o que é realmente seu (essência) e o que é condicionamento imposto nas interações humanas, começa trabalhar para trazer o aprendizado da experiência para seu dia a dia.

Se durante a meditação você fica esperando esse estado de iluminação revelador que falamos no início, esquece, sua meditação será frustrante. Primeiro porque para meditar você não deve ficar esperando nada, seja um estado de consciência, um mensagem no celular ou outra interrupção do estado. Meditar está mais para observar uma exposição de Arte do que atravessar o Canal da Mancha a nado, cumprindo uma tarefa para obter um objetivo. Sua meditação também será decepcionante pois revelações intensas demais não possuem consistência. Uma pessoa que usa algum tipo de droga pode ter centenas de revelações durante sua viagem, mas será que conseguirá aplicar os insights em sua vida? Dificilmente! Então, o aprendizado com mais valor vindo da meditação é aquele que nos revela pequenos insights, pequenas revelações de nós mesmos que vão aos poucos reconstruindo a conexão com a essência.

Quando você está mais conectado, aprende mais sobre você mesmo e isso é o maior valor que o treinamento de meditação pode proporcionar, muito mais que um estado revelador e que só poucos iluminados alcançaram.

Medite para se observar, sem pretensões de paranormalidade. O estado meditativo é um estado natural, aprenda com ele. Construa seu EU no dia a dia, isso certamente o fará mais livre.

 

Se quiser ouvir um podcast tratando sobre esse mesmo assunto, clique abaixo.

 

 


Compartilhar: Compartilhar no http://WhatsAppCompartilhar no http://FacebookCompartilhar no http://Twitter

Daniel De Nardi>

Daniel De Nardi

Sou Professor de Yoga há mais de 25 anos certificado pelo Yoga Alliance E-RYT 500, reconhecida como uma marca registrada de treinamento de Yoga de alta qualidade, seguro, acessível e equitativo. Também sou o fundador do YogIN App Escola de Yoga Online que se divide em: YogIN App Studio - Aulas de Yoga Online YogIN App Academy - Cursos de Yoga Online Tenho interesse no estudo do Yoga e das raízes dessa Filosofia Milenar. Sou autor dos livros: Asana: Posturas do Yoga Como o Conhecimento Liberta do Sofrimento Sámkhya: Ancestral Filosofia Moderna O Yoga do Autoconhecimento As origens do Yoga e da Meditação Pra que Meditar? Como Funciona a Meditação O Yoga e o Stress Produzo a série de podcasts "Reflexões de um YogIN Contemporâneo" do YogIN Cast, o canal de podcasts de Yoga mais acessado do Brasil. Instagram: @reflexoesdeumyogin

Um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Técnicas Sexuais do Hatha Yoga
Filosofia do Yoga | 25 mar 2022 | Equipe YogIN App
Técnicas Sexuais do Hatha Yoga

Técnicas Sexuais do Hatha Yoga Há muita asssociação do Tantra com técnicas sexuais, mas será que isso é verdade ou distroção? Entenda neste vídeo!   https://youtu.be/qS0Ej3_0gbc  

Uma visão científica das Energias do Yoga
Teoria do Yoga | 24 mar 2022 | Equipe YogIN App
Uma visão Científica das Energias do Yoga

Uma visão científica das Energias do Yoga Uma visão científica das Energias do Yoga. Para a Ciência somente as energias que podem ser medidas existem. Nesse sentido, entenda como as energias do Yoga podem ser explicadas de forma racional. Entenda nesse vídeo https://youtu.be/IevwOtz8W78

Swásthya Yoga é o Yoga mais Antigo
História do Yoga | 23 mar 2022 | Equipe YogIN App
Swásthya Yoga é o Yoga mais Antigo

Swásthya Yoga é o Yoga mais Antigo Swasthya Yoga é uma linha que mistura um monte de misticismo com técnicas do Shivananda Ashram. O Swasthya foi criado pelo Derose no Brasil depois de viajar à Índia Até aí tudo bem, novos sistemas de Yoga são criados todos os dias em todas as partes do mundo. O que não dá para aceitar é que o derose diga que teve a revelação do Yoga mais antigo que existe, um yoga pre-vedico, que somente ele teve acesso. Neste vídeo explicamos como essa é uma mentira que hoje em dia só engana as pessoas que não tem paciência para fazer uma mínima pesquisa na internet.   https://youtu.be/kt1QOjgZ8XQ

YogAteu, Vantagens de Ensinar um Yoga
YogAteu | 22 mar 2022 | Daniel De Nardi
YogAteu, Vantagens de Ensinar um Yoga sem DOGMAS e sem MISTICISMO

YogAteu, Vantagens de Ensinar um Yoga sem DOGMAS e sem MISTICISMO Nesta live vamos entender as vantagens de ensinar o YogAteu, a linha de Yoga criada por Daniel de Nardi, sem DOGMAS e MISTICISMOS. Essa metodologia é o resultado de mais de 10.000 HORAS de PESQUISA sobre o CORPO e MENTE e 25 anos pesquisando e ensinando Yoga todos os dias. Professor de Yoga há mais de 25 anos, certificado pelo Yoga Alliance E-RYT 500H, reconhecida como uma marca registrada de treinamento de Yoga de alta qualidade, seguro, acessível e equitativo.   https://youtu.be/jLusX6EGQtc   Fundador do YogIN App® Escola de Yoga Online, que existe desde 2015. Divide em: YogIN App Studio - Aulas de Yoga Online YogIN App Academy - Cursos de Yoga Online Estamos com uma promoção somente até 31/03/22 para você fazer parte do YogIN App: Para se tornar aluno do YogIN Studio e praticar aula de yoga ao vivo e gravadas com 40% de desconto, clique no link abaixo: https://bit.ly/3CSrVKl Para se tornar Professor(a) de Yoga sob a chancela da maior Formação em Yoga do Brasil com 30% de desconto, clique no link abaixo: https://bit.ly/3Inxi5v