O que é o Yoga?

HOME > BLOG > O que é o Yoga?

Filosofia do Yoga | 24 jun 2016 | Daniel De Nardi


O que é o Yoga?

Acredito que uma das coisas mais fascinantes do Yoga, foi ele ter passado por todos esses anos de história com liberdade para sua definição. Nem mesmo Patanjali, considerado o pai do Yoga, conseguiu determinar exatamente o que é essa prática. Isto permitiu que o Yoga fosse evoluindo conforme as necessidades dos seus praticantes ao logo da História.

Não tenho a mínima pretensão de fazer uma definição definitiva, mas um pouco do conhecimento da História pode ajudar o iniciante que ainda se vê perdido nesse emaranhado de conceitos.

O primeiro tratado sobre Yoga foi escrito por um sábio chamado Patanjali, no século III A.C. Em seu livro, Yoga- Sutra, ele define o Yoga como um processo para reduzir as instabilidades da consciência e encontrar sua verdadeira identidade. Patanjali acreditava que quando não estamos conectados com essa identidade, vivemos diferentes tipos de angústias (klêshas) tais como ignorância, apego, aversão, egoísmo e medo.

SE QUISER VER O VIDEO SOBRE ESSA DEFINIÇÃO DO YOGA CLIQUE AQUI

O Yoga de Patanjali, tinha um caráter de debates. Discutia-se sobre a existência de uma “alma imortal” que o YogIN deveria descobrir através da meditação e quais seriam as consequências para quem vivia enredado nos papeis que a sociedade impõe. As únicas pessoas que podiam fazer parte dessas discussões eram os brahmanes, sacerdotes que conheciam sânscrito (língua dos textos sagrados), conduziam os rituais e escreviam as escrituras.

Aproximadamente no século VII D.C. um grupo de revolucionários chamados de Nathas, começaram a questionar a autoridade dos Shastras (escrituras dos Brahmanes). Para eles, o que estava escrito era secundário, o importante é o que sentiam quando praticavam. A escritura é mais reveladora de todas só poderia ser o próprio corpo, com suas sensações e memórias de tudo o que vivemos. Tudo está no corpo, experiências, traumas, prazeres… Não como mentir para seu corpo, ele é a sua autobiografia. E o Yoga é uma ferramenta para entender a si mesmo a partir de um contato corporal mais íntimo com seu próprio corpo.

Segundo os Nathas, a doença acontece por algum tipo de desequilíbrio energético, seja por maus hábitos, emoções viscosas ou pensamentos negativos. Logo, o YogIN deve praticar asanas para liberar pontos de tensão que podem geram esses desequilíbrios. Os Nathas criaram boa parte dos asanas que conhecemos hoje e também vários tipos de pranayamas, respiratórios para aumentar a energia corporal.

No início do século XX, professores de Yoga começam a dialogar com acadêmicos britânicos e levam YogINs para dentro de laboratórios. Seu objetivo era provar os efeitos que o Yoga gera no corpo e na mente. Obtém-se muitos êxitos com essas pesquisas e o Yoga passa a ser difundido com embasamento científico para o Ocidente.

Mesmo com todas as modificações que o Yoga sofreu desde a época de Patanjali, os YogINs continuam praticando com o intuito de se aproximar mais da sua verdadeira identidade. Os exercícios corporais, respiratórios e meditações ampliam percepções corporais e melhoram a saúde o que ajuda na conexão com essa essência.

Nos dias de hoje, o YogIN usa a prática como um meio de lidar melhor com o stress e com outras situações emocionais turbulentas. A prática traz o YogIN de volta ao seu eixo, ou seu equilíbrio. Independentemente do tipo de Yoga que você pratica, a busca será sempre uma aproximação desse EU e o YogIN tem o objetivo de trazer esse EU para o dia a dia e não deixar que essa experiência dure apenas o tempo da sua meditação.

Ser você mesmo nas situações cotidianas é o que o Yoga mais deseja despertar em você.

 

Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão

Botão

 


Compartilhar: Compartilhar no http://WhatsAppCompartilhar no http://FacebookCompartilhar no http://Twitter

Daniel De Nardi>

Daniel De Nardi

Daniel é Professor de Yoga há mais de 20 anos. Pesquisador do Yoga e das raízes dessa Filosofia Milenar. É autor de diversos livros: "Aprenda a Meditar com o Yoga", "As Origens da Meditação e do Yoga", "Asana - Posturas do Yoga", "Como a Meditação funciona?", "O Yoga do Autoconhecimento", "Pra que Meditar?", dentre outros. Também é responsável por produzir a série de podcasts "Reflexões de um YogIN Contemporâneo" do YogIN Cast, o canal de podcasts de Yoga mais acessado do Brasil. Instagram: @reflexoesdeumyogin

2 comentários

    YogIN App SHARLENE DIAS |

    Texto perfeito Daniel! Eu conheço pouco sobre a história do yoga e estou amando ler seus textos, sempre esclarecedores e objetivos. Gratidão

    YogIN App Daniel De Nardi |

    Obrigado Sharlene, fico feliz em saber que está gostando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Dicas de Yoga | 21 set 2020 | Ellen Lima
Yoga: você pratica e nem imagina!

Yoga: você pratica e nem imagina! Quando alguém fala em praticar yoga logo vem à mente pessoas de corpos esguios, flexíveis e fazendo asanas (posturas) complicados, mas a verdade é que Yoga vai além de asanas lindos, difíceis e cheios de flexibilidade. O asana é a ponta do iceberg que todo mundo enxerga, uma parte importante do yoga, porém existe todo o resto escondido, submerso e tão maior do que se vê e que são práticas tão importantes quanto os asanas. Na realidade não existe nada separado no Yoga, é um estilo de vida que você aplica à sua rotina, desde a hora que acorda até o momento do seu sono. É bem possível que você, mesmo sem conhecer, mesmo senso sedentário, pratique um pouco de yoga em algum momento do seu dia, de forma inconsciente. Se você acorda e antes de qualquer coisa começa a imaginar tudo que terá que fazer durante seu dia e já deseja e mentaliza tudo dando certo, você coloca uma intenção para que seu dia seja bom, no yoga isso se chama Sankalpa. Criar uma intenção direciona o fluxo de energia para aquilo que você pensou, por isso a importância de mantermos bons pensamentos com a gente. Durante uma meditação, um ralaxamento ou até mesmo durante a prática de asanas criar um sankalpa é extremamente importante, já que você está concentrado e focado durante aquele momento. Você se espreguiça. Você já pensou o que isso significa para seu corpo?! Um bom espreguiçamento promove uma pequena tração das vértebras da coluna, movimenta a energia pelo corpo, acorda o cérebro, libera endorfina, alonga os músculos; a prática de asanas no yoga tem como foco a coluna vertebral, trabalhando seus movimentos, melhorando a flexibilidade e juntamente, promovendo o alongamento dos músculos e o fortalecimento de todo seu corpo físico, energético e mental. Você respira fundo tomando fôlego para encarar o dia; por um instante você colocou consciência e atuou na sua respiração. O yoga trabalha a respiração consciente, o chamado Pranayama, que é o controle da respiração e através dela, a expansão do fluxo de prana, energia vital que absorvemos através da respiração . Existem inúmeros tipos de pranaymas e com finalidades diversas: ganho de energia, diminuição do fluxo de pensamentos. A frase de Iyengar ressalta muito bem a importância da respiração: “A mente é o rei dos sentidos, a respiração é o rei da mente.” Quando você toma banho, escova os dentes, assoa o nariz, lava os olhos, você pratica Saucha, purificação externa. Existem ainda purificações internas de grande valor para a saúde e que poucas pessoas tem conhecimento, são os chamados Kriyas, que são técnicas que visam a limpeza e purificação de órgãos como os olhos, o intestino, os pulmões, o estômago. Yoga é ser tolerante e praticar a não violência, Ahimsa, com aqueles que são diferentes e não pensam como você, é aplicar ahimsa com você mesmo, quando você não alcança os resultados esperados. É ser sempre verdadeiro, praticar Satya, com você, com os outros, com a vida; Satya nas ações, sentimentos e pensamentos. É ser grato e manter uma atitude positiva, de contentamento, Santosha . É observar-se, enxergar-se, conhecer-se, praticar Swádhyaya, para buscar ser melhor. É não desistir diante das dificuldades, é se auto-superar, é praticar Tapas. É ter humildade para reconhecer que, mesmo depois de tanto esforço, se algo não aconteceu é porque existe uma Inteligência Superior que rege o Universo; manter a calma diante dessas situações é aplicar Iswara Pranidhana, entregar-se e confiar nessa Inteligência Superior. A verdade é que yoga não é só aquele momento que você faz no seu tapetinho por uma ou duas horas, desconectado do mundo. Yoga é um estado de espírito, um modo de vida que quando você decide conhecer, se dedicar, praticar e viver, muda não as coisas à nossa volta, mas a maneira como enxergamos e reagimos à vida. Se você já pratica de forma inconsciente, algumas das inúmeras atitudes da filosofia yogin, conhecer essa filosofia e praticar de forma consciente pode mudar a sua vida. A qualidade da sua respiração influencia diretamente no seu estado psicológico, portanto a prática de pranayamas ajuda a ampliar a consciência e o auto-controle; a prática de Kriyas, limpeza interna, melhora sua visão, sua respiração, o funcionamento do seu intestino, fígado, vesícula e pâncreas; a prática dos asanas fortalece seu corpo, ajuda no equilíbrio, movimenta sua energia, estimula seus órgãos e glândulas e afeta diretamente todo seu sistema fisiológico, mental e energético. Aprender Yoga é reaprender a fazer todas as coisas essenciais que fazemos de maneira automática e sem qualidade. Yoga é o respirar, é o pensar, o falar, o fazer, o sentir e também é o aprender a cessar todas essas coisas, yoga é também o asana. Yoga é o caminho para desfrutar e fazer jus ao sopro de vida que existe em cada um de nós!   Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão

Filosofia do Yoga | 20 set 2020 | Daniel De Nardi
Karma e Reencarnação

Karma e Reencarnação O hinduísmo passou por fortes rupturas ao longo da sua história, tais como a transferência de poder religioso quando Lutero traduz a Bíblia para o alemão. A Igreja Católica detinha o conhecimento da língua, o latim, e para acessar os ensinamentos de Deus, era necessário uma intermediação dos seus representantes diretos da Igreja. Ao traduzir a Bíblia, Lutero libera aquele conhecimento a qualquer um que soubesse ler. Entretanto, assunto como o perdão e a fé continuaram sendo debates centrais em todas as derivações religiosas que decorreram daquele rompimento. No hinduísmo, o tema do karma e reencarnação continuam sendo centrais desde suas primeiras escrituras. A casta mais alta da Índia é a dos sacerdotes que conhecem os rituais hindus, os brâmanes. Por muito tempo, os brâmanes se posicionaram como os únicos detentores da verdade. No século VII, pensadores e revolucionários indianos começam a questionar a implacabilidade dos Vedas. Esse grupo, os tântricos, criaram seus próprios textos, sua simbologia e trocaram muita informação com jainistas, budistas e ayurvedicos. Nesse caldeirão cultural surge o Hatha Yoga como uma releitura tântrica do Yoga de Patanjali. Nessa releitura, os YogINs tiram a verdade infalível dos textos e a trazem para o corpo. O que sinto e não o que está escrito é que tem valor. Desde aquela época, os YogINs observaram algo que vem sendo comprovado pela neuro ciência, o corpo tem memórias sensoriais. O corpo acumula muita informação sobre nós mesmos e pode nos ensinar sobre traumas e comportamentos condicionados. Além disso, o corpo também envia sinais. quando por exemplo tomamos algum tipo de atitude que sabemos que não é correta ou emocionalmente conflitante, o corpo responde com sintomas de desconforto ou algum tipo de doença. Para os YogINs essas são demonstração de algum tipo de desequilíbrio, energético, emocional ou mental. Tente se lembrar de ter ficado gripado quando estava numa fase muito feliz. Os asanas (posturas) começaram a ser mais explorados pelo Hatha Yoga pois entendeu-se que aumentando a observação das sensações corporais pode-se perceber antes pequenos desequilíbrios e poupar o corpo de desenvolver algo mais grave. Ao longo dos meus 20 anos de ensino e prática de Yoga, pude observar em mim e confirmar com meus alunos essa relação desequilíbrios/doenças e há estudos demonstrando quadros de tristeza com redução do sistema imunológico. O karma é visto no hinduísmo como um conceito de causa e efeito, uma lei universal na qual quando você causa algum tipo de sensação seja angústia ou felicidade aquilo de alguma forma retornará a você. Tem relação também com as respostas do corpo, dependendo do que você gera, terá o retorno. Só que o karma, dependendo da visão filosófica pode ou não ser transmitido para outra vida. A ideia de negar a reencarnação é chamativa, pois é uma ideologia na qual não se tem provas para afirmar. Seria mais racional pensar que o que se tem nessa vida foi o que se plantou, o karma é implacável. Só que quando  vejo casos de crianças, sem nenhuma chance de ter tomado uma atitude tão conflitante a ponto de gerar doenças devastadoras como o câncer, não consigo negar que possa existir reencarnação. Também é cruel pensar que aquela criança, de alguma forma tem que aprender algo dentro do seu caminho de libertação. Acredito que por mais adversa que seja a condição que fomos colocados no mundo, o caminho da liberdade depende apenas de cada um. É claro que o ser humano precisa de condições básicas para desenvolver seu pleno potencial. Não devemos nos cansar de ir ao encontro de própria identidade. Para o hinduismo, é o encontro com a essência (purúsha) que encerra o ciclo de reencarnações, interrompendo o karma e todo o sofrimento residual.    

Filosofia do Yoga | 19 set 2020 | Daniel De Nardi
Dharma e Yoga

Dharma e Yoga - Vídeo sobre a busca do propósito. O Dharma é conceito muito caro ao Yoga. A busca sobre seu papel no mundo e a expressão do EU através da ação é assunto presente em textos antigos como o Bhagavad Gíta. Como o Yoga pode ajudar você a entender melhor o seu Dharma é o assunto desse vídeo. https://youtu.be/H6uD6jMPtsI   Se preferir ouvir como podcast, clique abaixo ;) https://soundcloud.com/yogin-cast/o-que-e-o-dharma Se quiser saber mais sobre o assunto, conheça o novo curso do YogIN App que trata desse assunto. https://yoginapp.com/curso/refletindo-sobre-os-medos-que-nos-travam-dvesha-abhinivesha   Bons estudos!  

yoga para crianças
Dicas de Yoga | 18 set 2020 | Daniel De Nardi
O QI pode aumentar com a prática do Yoga?

Você conhece o Quora? O Quora é uma rede social de perguntas fundada por dois ex-funcionários do Facebook na qual você pode fazer qualquer tipo de questionamento e ser respondido por grandes pensadores como o fundador da Wikipedia, um professor de Harvard ou outro especialista do Silicon Valley. Recentemente, o próprio Obama respondeu perguntas sobre o programa nuclear do Irã. As respostas mais votadas vão subindo no ranking e se tornam \"the answer\" para aquela questão.   Um usuário perguntou - Como eu aumento meu QI? Houve mais de 100 respostas e a mais votada, com 2.500 votos, foi do empreendedor Corobi Soyn que elencava 30 itens. Obviamente apareceu: aumento de leitura, sugestão de sempre tomar notas, hidratar-se, ver menos TV, etc. O que mais chamou a atenção foi a quantidade de técnicas do Yoga que também foram citadas.   Medite ‰- Quando você medita, acalma o cérebro. Essa paz e tranquilidade são cruciais para a construção do intelecto. Exercite-se ‰- Exercícios mantém seu corpo aperfeiçoado e energizado; isto é um ótimo caminho para aumentar sua produtividade e inteligência. Simplifique mentalmente – Inteligência é a habilidade de adquirir e aplicar conhecimentos e habilidades. Tente organizar seus pensamentos e processar as informações uma de cada vez. Você verá que ficará não apenas mais produtivo, mas com uma melhor capacidade mental. Respire ‰- Oxigênio é crucial para o cérebro e ele não consegue sobreviver muito tempo sem ele. Você deve praticar técnicas de respiração e dar ao cérebro o quanto oxigênio ele precisar.      \"Você não precisa saber as respostas. Ninguém é esperto o suficiente para fazer todas as perguntas.\" Autor desconhecido Faça pausas ‰- Seu cérebro é como um músculo e trabalhá-lo demais pode causar problemas. Faça pausas periódicas para manter seu cérebro fresco e produtivo. E nunca se esqueça de dormir. Foco ‰- Inteligência é largamente baseada em quanto foco você consegue ter num determinado período de tempo. Pratique foco nas tarefas cotidianas e lute contra as dispersões. Não desista ‰- Qualquer um pode tornar-se mais esperto e melhorar sua inteligência então, nunca desista e continue tentando. Para concluir com minhas palavras - o Yoga pode ajudá-lo muito nesse processo. Mais uma vez,  é praticar para crer.