O início do Yoga

O início do Yoga – Podcast #24

HOME > BLOG > O início do Yoga – Podcast #24

Filosofia do Yoga | 24 fev 2020 | Daniel De Nardi


O início do Yoga – Podcast #24

O Yoga surgiu há tanto tempo, que é difícil datar precisamente seu início. Neste podcast levantei algumas hipóteses. Para entender, ouça o podcast e tire suas conclusões!

 

Links

 

 

 

 

 

 

 

 

Transcrição do Podcast #24 – O Início do Yoga 

O meu nome é Daniel De Nardi e está começando o 24º episódio de “Reflexões de um YogIN Contemporâneo”, um podcast semanal a respeito do yoga e tudo que envolve essa filosofia.

Essa música eu você está ouvindo chama-se Scheherazade e é uma música que remete a obra clássica importante da literatura que é “As mil e uma noites”, uma obra que se tornou famosa, por uma tradução francesa, mas é um texto muito mais antigo, ele foi registrado em língua árabe no século IX, provavelmente ele te origens mais antigas e indianas. Nesta época, século IX d. C. a Índia tinha acabado de ser dominada pelos muçulmanos árabes, então, muita coisa que havia ali foram apropriadas por esse povo que depois começou a levar para outras culturas, por exemplo as universidades. As primeiras universidades da Europa são fundadas pelos árabes, mas na verdade o conceito veio Índia, da dinastia Gupta que formou várias universidades no século V d.C., uma outra propriedade dos árabes são os números, que era uma ciência indiana, mas que foi levada pelos árabes para fora. As Mil e uma Noites é uma história em que o rei soube que foi traído e ele vai matando uma a uma das suas esposas, a cada dia e Scheherazade todo dia conta uma história para o rei de forma que ele seja envolvido e queira saber a história no dia seguinte e não a escolha para morrer. Então a história é toda encadeada, sendo que um dia depende do outro, dependia da criatividade da Scheherazade para criar uma história que ligasse, que envolvesse o rei a ponto de ele não querer cortar a sua cabeça.

E eu estou usando esta obra porque no primeiro livro escrito sobre yoga, o Yoga Sutra, é traduzido como aforismos do yoga. Aforismo é uma ideia de uma frase completa e sábia por ela mesma, mas os sutras não são aforismos porque uma frase depende da outra, construindo um significado de acordo com o contexto do capítulo. Então são quatro capítulos e cada frase vai puxando a outra, inclusive é por isso que sutra se traduz por cordão, por barbante, porque um vai dando sentido ao seguinte. Como falei no episódio passado, eu montei, agora finalizei, a parte do yoga Sutra da formação, ficou um curso bacana, bastante completo, com várias referências, sempre com os sutras que eu estou comentando, sendo expostos na tela, então ficou muito bacana, é uma das aulas que eu mais gostei. Na semana passada eu também mencionei do webinar que a gente vai organizar no domingo, nesse webinar a gente vai falar um pouquinho dessa parte da estruturação, do nascimento do yoga e como ele foi difundido. Então, é interessante a gente conhecer para saber de onde surge a ideia e quais sãos as consequências daquela ideia, esse webinar vai ser já a primeira aula do nosso curso de formação do segundo semestre, o YogIN APP já está indo para a quarta turma, cada turma teve em torno de 20/25 pessoas e esperamos fazer um curso bastante proveitoso, como foram os demais. Até agora, com um pouco de sorte e um pouco de mérito, só tivemos elogios e bons depoimentos em relação ao curso, inclusive gravamos os depoimentos sobre o curso (vou deixar o link aqui). Então esse curso está muito bacana, ele é de cinco meses, com duas aulas teóricas semanais explicando a estrutura do yoga, as técnicas, os principais conceitos, e aí uma vez por mês a gente tem um encontro online, depois desse encontro a gene tem mais dois encontros presenciais, em que a gente conhece as pessoas e as avalia, além de fazer uma revisão de todos os assunto abordados. O próximo encontro, que irá finalizar a terceira turma será dia 15 de julho, eu estou bem feliz porque este é o momento do fechamento, a gente faz a avaliação das aulas e é muito proveitoso e prazeroso pra mim ver o trabalho sendo construído. Então teremos esse webinar que será no domingo, às 21h, lá a gente vai abrir pra perguntas, vai conversar e vai falar um pouco sobre o que venho falando e já será a primeira aula da quarta turma, mas esta aula será aberta e gratuita.

Como eu estava falando, o Yoga Sutra é fundamental dentro da estrutura do entendimento do yoga, porque ele é o primeiro livro. O Yoga Sutra não é fruto de uma revelação, ele é fruto de debates que vinham acontecendo, mencionando o yoga, como eu já citei aqui alguns textos como vedas e Upanishads, então esses textos todos foram construindo a ideia de yoga, assim como uma ideologia, como um método, como uma doutrina, chegando ao ponto de Patanjali fazer esse momento de formatar tudo isso. Patanjali faz essa organização, não sozinho – como vamos ver mais pra frente –, fruto de debates, então o yoga é o resultado de debates que estavam acontecendo na Índia e ele estrutura esse primeiro formato do yoga em quatro partes, em quatro capítulos.

 

O primeiro capítulo, diz respeito a Samádi, que é o estado no qual você deve praticar todos os outros capítulos e trabalhar dentro do yoga para atingir o último objetivo que é o último capítulo que é o Kaivalya. Algumas pessoas falam que o objetivo do yoga é o samádi, mas ele é o estado em que você deve fazer as coisas, dentro da proposta do yoga, para atingir a libertação, a verdadeira manifestação, a libertação da sua natureza mais autentica. Nesse estado o indivíduo está intensamente junto com algo, essa junção é a interna, a junção do coração, que faz com que a sua mente trabalhe de uma forma mais serena, mais coerente, mais tranquila. Então você estará indo de encontro aquilo que for mais importante pra você e isso vai acalmando a sua mente e o oposto também é verdade, a medida em que você for acalmando a mente você terá um vislumbre maior da sua verdadeira essência. Esse é o estado que Patanjali propõe que se trabalhe os outros capítulos, conceitos relatados por ele. Não vou me estender, o curso, dentro da formação, é que explana todo esse conceito, toda a obra de Patanjali, aqui vamos ver só a estrutura dos quatro capítulos e as evidências da datação de Patanjali.

Em seguida vem o capítulo Sâdhana, que é a pratica buscando a perfeição, então é o trabalho, a prática. Depois ele fala dos resultados da prática que são os vibhutis, que é o terceiro capítulo. E então ele começa a ensaiar a proposta dele que menciono bastante, e vou trabalhar bastante no curso, que é a libertação, o Kaivalya. Como fazer isso, eu vou deixar uma tradução do Yoga Sutra feita pelo Calos Eduardo Barbosa, você pode ler e fazer a sua própria análise, mas você já terá um bom alicerce, entendendo que cada frase deve depender da outra e que esses capítulos vão se montando para se chegar à conclusão final que é o Kaivalya.

Sobre a época em que Patanjali viveu e que a gente pode de fato datar o início formal do yoga. Você pode dizer que o yoga começou em vários períodos dentro da Índia, como na tese do David Frawley, dizer que o yoga começou nos vedas porque o deus maior dos vedas que é Hidra pode se assemelhar a Shiva em muito a aspectos, inclusive com a utilização do fogo em alguns rituais. Mas as evidências maiores mostram que yoga surge nas Upanishads, e passam a tornar forma nelas e o assunto passa a ser mais debatido e observa-se a palavra yoga em muitas das Upanishads já citadas aqui, especialmente nesta que é a Swetaswatara. A Swetaswatara é muito próxima do yoga sutra, então esta é de fato a inspiração do yoga sutra, ela é de 900 a.C. e Patanjali provavelmente viveu em 500 a.C., a data pode variar, mas eu vou colocar os pontos que favorecem a data citada.

O primeiro ponto é como o Yoga Sutra começa, o primeiro capítulo dele é o Samádi, mas a primeira palavra é Atha, uma palavra utilizada nesse período, mais ou menos 5 a.C., foi um período em que a difusão da civilização védica que começa em Varanasi e passa a se espalhar, compondo os textos védicos, esta civilização chegou nesse momento começa em 3.400 a.C., época do primeiro Rigveda, e vai se difundindo, se desenvolvendo e nesse período é uma época em que houve muitas normatizações. Como as cidades começaram a ficar populosa, eles criaram diversos tipos de normas, relacionadas a lei, literatura, matemática, até mesmo de como receber alguém em casa, este período de normas tinha essa expressão que, traduzido, seria mais ou menos como “olha, especialistas discutiram sobre determinado assunto e a conclusão é esta”. O atha não é encontrado apenas no yoga, mas em vários outros textos indianos da época, ele já é uma demonstração do estio literário do período. Justamente por ser um texto normativo, o Yoga Sutra, que não cita rios, que não cita reis, que não cita guerras, acaba dificultando a datação, então nas Upanishads há uma precisão maior justamente por conta disso, há o testemunhos dos episódios históricos, que eles conseguem fazer uma aproximação e chegar, o Yoga Sutra já é mais difícil fazer este tipo de trabalho. Então nós temos essa evidência do estilo literário do Yoga Sutra, e a segunda evidência é que existia um gramático chamado Panini de 520 a 460 a.C. vivendo por sessenta anos, ele desenvolveu normas gramáticas para o sânscrito sendo considerado, inclusive, o fundador do sânscrito que era um tipo de linguagem falada, ele fez uma organização e fez esta fundação do sânscrito nesse período.

Consta que existia um gramático na época que foi, inclusive, aluno de Panini, chamado Patanjali, que se tornou um do maiores eruditos e sábios da antiguidade. A gramática tem relação com o yoga, inclusive Panini usa o termo para expressar a palavra quando ela significa (int.) [14:04]. Então existia uma relação de yoga com gramática nesse período, os grande sábio estudavam a gramática, aí há mais um indício, o mesmo nome, Patanjali, para um período falando de um assunto relacionado, então há mais uma evidência que ele tenha vivido nesse período.

Por fim, existe um texto muito importante para os Vedanta que são os Vedanta Sutras ou Bramas Sutras, esses textos dão a base para o Vedanta, escritos por um sábio chamado Badarayana 200 a.C., ele refuta o yoga. Mas qual? Badarayana refutava o yoga de Patanjali, se sabe disso porque muito tempo depois, em 788 a 820 que é o período em que esse personagem viveu, chamado Schankaracharya, ele faz uma revisão do hinduísmo e das culturas que estavam difusas, ele cita o texto dos Bramas como sendo a base do hinduísmo. Schankaracharya valoriza Bhagavad-Gita e valoriza as Upanishads, o que ele deixa de fora é o Yoga Sutra, isso significa que – como os Brahma sutras dão origem a filosofia de Schankaracharya, Vedanta sutras falam contra o yoga, especialmente sobre o yoga de Patanjali, o yoga tem que ser anterior a 200 anos a.C., por essas aproximações, por a gente ter todas essas evidências, podemos chegar bem próximo a época em que Patanjali no século entre V e IV a.C.

A gente vai falar muito mais no domingo, às 21h, dia 09 de julho. A inscrição é grátis, eu vou deixar o link na descrição do espólio. E para finalizar, como é clássico no nosso podcast, eu vou deixar a música Scheherazade, de Rimsky-Korsakov. Esse não é um compositor famoso, especialmente eu não conheço nada além dessa música, que meu pai ouvia bastante em casa e eu acabei gostando, mas ela e realmente maravilhosa, a música das Mil e uma Noites, até o próximo podcast.

Ohm Namah Shivaya!

 


Compartilhar: Compartilhar no http://WhatsAppCompartilhar no http://FacebookCompartilhar no http://Twitter

Daniel De Nardi>

Daniel De Nardi

Daniel é Professor de Yoga há mais de 20 anos. Pesquisador do Yoga e das raízes dessa Filosofia Milenar. É autor de diversos livros: "Aprenda a Meditar com o Yoga", "As Origens da Meditação e do Yoga", "Asana - Posturas do Yoga", "Como a Meditação funciona?", "O Yoga do Autoconhecimento", "Pra que Meditar?", dentre outros. Também é responsável por produzir a série de podcasts "Reflexões de um YogIN Contemporâneo" do YogIN Cast, o canal de podcasts de Yoga mais acessado do Brasil. Instagram: @reflexoesdeumyogin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

proposta do Yoga para o Autoconhecimento
Filosofia do Yoga | 3 jul 2020 | Lucas De Nardi
Qual a proposta do Yoga para o Autoconhecimento

Como o Yoga desenvolve o autoconhecimento e a espiritualidade - proposta de autoconhecimento! O Yoga é conhecido como uma prática milenar que desenvolve o autoconhecimento, mas de que forma o Yoga se propõe a fazer isso? Entenda a proposta do Yoga para o Autoconhecimento Neste vídeo você vai entender como o Yoga usa suas técnicas para despertar melhor a percepção de si e a evolução pessoal. https://youtu.be/BXPUHKbm8PQ     Este trecho é parte de uma aula completa que você pode assistir aqui mesmo no nosso canal, clicando aqui      https://youtu.be/mUJc-93j1zU   Neste outro trecho da aula você pode entender melhor a relação do Yoga com as posturas, asanas. O corpo pode ser ao mesmo tempo uma ferramenta, mas também um obstáculo à libertação. CLIQUE ABAIXO PARA ASSISTIR   https://yoginapp.com/como-o-corpo-pode-ser-uma-ferramenta-ou-uma-armadilha-na-libertacao/     Namaste! new RDStationForms(\'newsletter-yogin-formulario-1c3fb174b015350a9cd5-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();

Bhuta Shuddhi – A limpeza periódica do corpo
Filosofia do Yoga | 2 jul 2020 | Equipe YogIN App
Bhuta Shuddhi – A limpeza periódica do corpo

Bhuta Shuddhi - A limpeza periódica do corpo! A limpeza periódica do corpo, conhecida como Bhuta Shuddhi é uma das características do yogin. O próprio sádhana, prática disciplinada de yoga, é uma forma de limpeza: praticar as posturas é um exemplo de limpeza do corpo, por estimular órgãos de excreção e eliminação, pranayamas e meditação produzem uma limpeza de canais sutis do corpo, meridianos e uma faxina mental, excluindo os pensamentos da mente condicionada. Além disso, no Hatha Yoga tem-se o chamado shat karma, conjunto de seis kriyas clássicos que merece um post especial, só para explica-los, mas comumente ministro alguns deles nas minhas práticas aqui do YogIN App. Esse período que entramos, de mudança de estação, é um período que yogins costumam intensificar suas práticas de limpeza. Bhuta shuddhi é a prática de purificação dos elementos do corpo:  água, ar, terra, fogo e espaço (éter, akasha). Tudo na Natureza é composto por estes elementos, no nosso corpo a composição é de setenta e dois por cento de água, doze por cento terra, seis por cento ar, quatro por cento fogo, e o éter (akasha) seis por cento. new RDStationForms(\'e-book-treinamento-yogin-de-respiracao-bdf2969b9eeaf2b1af79-html\', \'UA-68279709-2\').createForm(); O termo vem do sânscrito, bhuta, que significa \"elemento\"  e shuddhi, que significa \"purificação\". O objetivo da prática é libertar o yogin de sua natureza física e abrir a porta para níveis mais elevados de consciência, de modo que o praticante possa se sutilizar e tornar-se um com Brahman. Praticar  bhuta shuddhi cria mudanças físicas, emocionais e mentais profundas para limpar o corpo, mente e espírito. Algumas referências modernas acabam catalogando bhuta shuddhi como apenas um período de desintoxicação alimentar, o que faz parte do processo de sutilização dos corpos, mas é uma parcela muito pequena da prática. Bhuta shuddhi também não é um kriya. Kriyas são atividades de purificações, como citei acima o conjunto de kriyas clássicos, dos quais o mais conhecido é o nauli kriya. Existem muitas maneiras de praticar bhuta shuddhi, a fim de purificar os elementos. Um método comum é a meditação no bija mantra de cada chakra, no som dos nossos centros de força. comPara executar este tipo de bhuta shuddhi , comece  15 minutos de asanas simples de alongamento que estimulem a coluna e alguns ciclos de  pranayama. Em seguida, continue com 15 minutos de meditação sobre os chakras. Começando com o chakra da raiz indo até o coronário. Temos práticas dos chakras em nossa página de aulas. Meditação nos chakras e o Bhuta Shuddhi Sente-se com as pernas cruzadas e a coluna ereta, feche os olhos e sinta a vibração do seu corpo e de seus pontos de energia.   [caption id=\"attachment_16534\" align=\"aligncenter\" width=\"370\"] Bhuta Shuddhi atua nos Chakras[/caption]   Comece a entoar o som semente de cada chakra da base em direção ao topo da cabeça, como na foto acima. LAM, VAM, RAM, YAM, HAM, OM, silêncio. LAM, VAM, RAM, YAM, HAM, OM, silêncio. Faça por 10 minutos e depois fique 5 minutos em silêncio em meditação em algum chakra específico ou apenas em silêncio, sem pensar, apenas sentindo e mergulhando na pureza de sua essência.    

Brahma Muhurta
Dicas de Yoga | 1 jul 2020 | Fernanda Magalhães
Brahma Muhurta – Arte de Acordar antes de Todos

Brahma Muhurta: o melhor horário para a prática de Yoga e Meditação! O Brahma Muhurta já me acompanha desde que sou criança. Engraçado né? Eu sempre fui uma pessoa da manhã. Sim, criança meio estranha que acordava antes da hora necessária para me arrumar com calma para a escola. Na verdade, durante a infância, dormir não era uma atividade atrativa para mim. Sempre apreciei esse tempo de silêncio, às vezes ainda escuro onde executava as tarefas matutinas com calma, sem  acordar “no susto”. Mas, há uns 6 anos atrás, quando comecei a acordar às 5 horas da manhã para fazer atividade física antes do dia iniciar, esse momento tomou um significado maior. Ele se tornou o meu momento do dia, onde não havia demandas externas a serem atendidas e eu podia me escutar, me conectar. Semana passada, ganhei um livro que se chama “O Milagre da Manhã” que fala sobre como transformar sua vida incluindo certas atividades como meditação, planejamento, exercícios físicos e escrita antes das 8h da manhã. Venho percebido que está crescendo uma onda de acordar às 5h, ou até mesmo as 4h da manhã, para estimular mudança para a qualidade de vida e eficiência. É, inclusive, uma dica dada pelos grandes empresários visando o sucesso financeiro. De fato, senti mudanças internas nesse período que venho acordando 1 hora mais cedo do que o necessário para poder estar comigo. Não sei o que veio primeiro, o ovo ou a galinha, mas o Yoga entrou justamente nessa época na minha rotina, ainda que devagar,  somente duas vezes por semana. Existem pesquisas que indicam até mesmo que quem acorda mais cedo é mais magro e feliz do que a média! Conforme fui estudando o Yoga e compreendendo as diretrizes para a prática, percebi que utilizar este horário matutino para uma prática de autoconhecimento não era uma questão de encaixe perfeito na minha rotina ou gosto pessoal. Eu, ainda sem saber, estava usufruindo dos efeitos de brahma muhurta - \"A Hora de Deus\" ou \"A Hora do Criador\". Brahma muhurta é um período de dois muhurtas (1 muhurta= 48 minutos), ou cerca de uma hora e meia antes do amanhecer, variando de 3 às 6h da manhã, dependendo do horário do nascer do sol. Este período de tempo, quando a alma humana e o Universo se unem, é dedicado a Brahma, Deus da Criação. É o momento em que você se recria para um novo dia. Unindo a sabedoria dos antigos Yogins e a experiência das pessoas eficientes de nossa era, podemos listar algumas das recompensas em atender ao despertador tocando mais cedo: Sincronização com o Ciclo Circadiano Nosso organismo funciona de forma cíclica em relação a produção de hormônios que regulam nossas atividades diárias. Esse nosso “relógio biológico” é controlado pela luz, que comanda a produção de cortisol durante o dia e melatonina durante a noite. [caption id=\"attachment_493577\" align=\"aligncenter\" width=\"620\"] Ciclo Circadiano e o Brahma Muhurta[/caption]   A melatonina é vista como um estabilizador do estado mental, algo que o deixa confortável por um longo tempo. Ficar mentalmente confortável significa que você não sofre flutuações. Respeitar os ciclos biológicos faz com que possamos utilizar nosso corpo em sua máxima potência. new RDStationForms(\'e-book-o-yoga-do-autoconhecimento-31f024e0c3c56e215246-html\', \'UA-68279709-2\').createForm(); Você estará adiantado   Dê adeus aquele pulo da cama para não se atrasar. Você já estará acordado há um tempo quando precisar sair de casa ou iniciar uma tarefa. Estar adiantado te deixa um tempo de planejamento para fazer a programação do seu dia e deixar preparado o necessário como por exemplo, preparar uma marmita saudável se seu plano é melhorar a alimentação no dia a dia. Este fato te deixa também uma vantagem psicológica de que você iniciou seu dia antes de todos, contribuindo para o próximo benefício.   Trabalhar por ação, e não por reação Como eu disse acima, acordar antes de todos te deixa sem demandas externas, fazendo com que você priorize o mais importante e não o mais urgente. Se colocando nesse momento de prioridade, você estará muito mais preparado para atender as demandas quando elas chegarem. Então, não é só começar o dia antes, mas é importante o como começar seu dia. Se você ainda não tem um ritual matinal, recomendo que coloque isso nas suas prioridades. O seu dia deve ser tratado com um evento importante onde a preparação se dá nessa “hora extra”. Silêncio e o Brahma Muhurta Não que precise explicar esse benefício… Mas é criada a atmosfera perfeita para estudo, trabalho, ou qualquer tarefa que exija concentração. Além do silêncio, se estão todos dormindo ainda, não será interrompido por cônjuges, emails ou mensagens no whatsapp. Quando acordamos nossa mente está calma, e clara e a medida que os estímulos externos vão chegando ela vai se poluindo, desfocando. Aproveitar sua mente nesse estado, significa mais produtividade, mais insights, mais controle, que será levado para o resto do dia.   SE QUISER MAIS SOBRE COMO DESENVOLVER DISCIPLINA - CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO   https://yoginapp.com/meditar-exige-disciplina/   Disciplina Ok, para a maioria das pessoas, acordar cedo não é fácil (embora grande parte destas apenas não tenha desenvolvido o hábito ainda) mas a determinação em levantar com o despertador mais cedo desenvolve a disciplina. Toda situação que desafia nossa zona de conforto é um excelente trabalho de controle mental. Para alcançar qualquer objetivo, seja a vida de Yoga ou o sucesso financeiro, é preciso aprender a fazer o que deve ser feito e não o que nos convém. Assim desenvolvemos Tapas, a autodisciplina. Vivemos no mundo imediatista, atropelando tarefas importantes em prol de tarefas urgentes. O importante sempre vai sendo deixado para o tempo livre, que às vezes não acontece. Não é só o acordar mais cedo, mas sim colocar as coisas mais importantes em primeiro lugar. Como você passa as primeiras horas do dia determina como será o resto dele. “Pratique, pratique e tudo virá” - Sri K Pattabhi Jois new RDStationForms(\'newsletter-yogin-formulario-1c3fb174b015350a9cd5-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();

Melhor Horário para praticar Yoga
Podcast de Yoga | 1 jul 2020 | Equipe YogIN App
Qual melhor horário para praticar Yoga?

Entenda o melhor momento do dia para praticar Yoga. O melhor horário para praticar Yoga é de manhã e no final de tarde. É importante saber que uma prática feita pela manhã deve ser diferente de uma prática feita a noite. Você terá que testar em você qual o melhor horário para praticar Yoga. Uma prática feita pela manhã pode ser mais ativa com posturas mais energizantes. Por exemplo, flexões da coluna para trás são posturas expansivas que podem ser colocadas à vontade em uma prática matinal. A Saudação ao Sol, conhecida no Yoga por Surya Namaskar, aquece o corpo e também pode ser uma excelente prática matinal, especialmente se você puder ver o sol nascendo e fazer a sequência neste momento mágico do dia. Também sugerimos que pela manhã, você execute torções estimulam o funcionamento dos órgãos da cavidade abdominal. Pode-se também praticar udhyana bandha para estimular o fogo digestivo, agni, e ajudar na desintoxicação do corpo; As Melhores Práticas de Yoga para à noite Se você praticar ao final de tarde ou à noite insira posturas para alongar as costas e relaxar ombros e pescoço. Posturas de equilíbrio trazem enraizamento, aumentando a concentração o que pode ajudar no sono. Posturas para frente acalmam e relaxam e devem ser colocadas em uma prática noturna ou quando quer desacelerar.   SE PREFERIR, PODE OUVIR ESSE TEXTO CLICANDO NA IMAGEM ABAIXO   Invertidas Se for pratica de noite o ideal é buscar aquietamento. Evite \"mantras\" batendo palmas. Diminua as retroflexões (movimentos da coluna para trás) e evite invertidas intensas e longas. Procre ficar mais tempo nas posturas, acalmando a respiração também é indicado. Sempre termine a prática de asanas em savasana, postura deitada para relaxamento, não importando o horário em que ela foi feita.   [caption id=\"attachment_100219\" align=\"aligncenter\" width=\"573\"] Qual Melhor Horário para praticar Yoga? Você terá que testar em você mesma. A frase em ingês desta imagem diz \"minha melhor postura é a posição de relaxamento (shavasana).\"[/caption] Brahma Muhurta Existe um período chamado Brahma muhurta, ou horário de Brahma, que consiste no período (muhurta) 1 hora e 36 minutos (96 minutos = 2 muhurtas) antes do nascer do sol. Por exemplo, se o Sol nascer às 6 da manhã, o período de Brahma muhurta é 4:24. Esse horário de Brahma, horário do Criador, é o horário mais auspicioso para prática de yoga e meditação. O Brahma Muhurta é seguido em mosteiros de Yoga que são chamados de ashrans. A ideia do Brahma Muhurta é captar a energia dos primeiros raios solares. Praticar Meditação olhando para o Sol só é possível nos primeiros raios da manhã.   Os horários dos doshas Para o Ayurveda, medicina vedica, nós temos três doshas que constituem nosso físico: Vata (ar e éter), Pitta (fogo e água) e Kapha (terra e água). Durante o dia, esses elementos aumentam e diminuem no nosso corpo. Do nascer do Sol até 10h da manhã é o período de Kapha; das 10:00 às 14:00 é o período de Pitta; das 14:00 até 18:00 é o período de Vata. No final do dia esse ciclo segue a mesma ordem, das 18h às 22h é o período de Kapha, das 22h às 2h da madrugada período de Pitta, e das 2:00 às 6:00 período de Vata. Dessa forma, o Brahma Muhurta acontece durante o período de Vata. Para saber mais sobre a relação dos Doshas com a prática de Yoga, ouça a entrevista com a Professora Giselle Correa   https://yoginapp.com/o-yoga-e-os-doshas-podcast-49/   Pratique quando quiser e Onde Estiver O mais importante é praticar, a hora que der. Nem que sejam nossas aulas de 15 minutos da plataforma. Temos aulas de diferentes objetivos e com tempos que podem ser escolhidos por você no filtro das Aulas. Em aulas que vão de 5 a 60 minutos, você poderá alongar, espreguiçar, respirar, meditar e começar o dia com afirmações positivas. Tempo não é desculpa para não praticar com o YogIN App, pois você faz de casa e a hora que melhor se encaixar no seu dia. CLIQUE AQUI PARA CONHECER NOSSAS ASSINATURAS new RDStationForms(\'newsletter-yogin-formulario-1c3fb174b015350a9cd5-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();