Brand

Literatura indiana

Literatura indiana

 

Difícil falar qual a melhor viagem que você já fez na vida. Eu tenho um conceito de viagem, que viagem deve fazer você viver experiências diferentes daquelas que já temos no dia a dia. Quando viajo tento me abrir ao máximo para a experiência do novo, do diferente, pois são essas situações que farão eu ver o mundo de outra forma.

 

A Índia teve muitas vantagens nesse conceito. A sociedade indiana é uma das mais antigas que existe. Mesmo na época dos grandes impérios, chineses, mongóis ou egípcios, a mãe Índia era a maior produtora de riquezas do mundo. Produzindo 25% do total de alimentos e especiarias, contra 20% da China e 11% de toda a região que chamamos hoje de Europa. Sua História está impregnada nas paredes dos castelos, nos mausoleos e nas tradições e crenças essenciais que o povo permanece respeitando.

 

A Índia é o lugar com mais poder para mudar nossa forma de ver e agir no mundo porque o peso de ser o lugar da mais antiga civilização pesa, pesa tanto que todos os invasores foram mais influenciados pela Índia do que conseguiram influenciá-la.
A Índia possui em suas raízes um peso histórico que nenhum outro país tem. Não é a toa que é chamada Mãe Índia.
Durante a viagem que fiz em 2018, gravei um podcast narrando minha viagem.  Tentei passar um pouco do que eu havia estudado sobre Índia junto com meus estudos de Yoga e contrapunha esse conhecimento teórico com o dia a dia vivo da Índia.
Alguns ouvintes do podcast me perguntavam o que eu tinha lido para ir à Índia. Ao invés de buscar as releituras que escrituras clássicas o que é bastante comum nos livros indianos, eu preferi estudar a Literatura como expressão livre dos escritores que viveram naquele país.
No meu ponto de vista, os romances da Literatura nos levam mais perto da realidade que os livros de História. As histórias dos 3 livros da foto se parecem muito. E várias vezes eu trocava o passado de alguns personagens confundindo com os do outro livro. Os três escritores escreveram suas histórias depois de viagens longas e como não poderiam deixar de ser, transformadoras.
Credenciais não faltam para minhas indicações.
V. S Naipul ganhou o Booker Prize, o maior prêmio da Literatura Inglesa.
Salman Rushdie além do Book Prize do ano de lançamento de Filhos da Meia Noite, ganhou o concurso dos 25 anos do prêmio que avaliou o melhor livro dos 25 primeiros vencedores do Booker Prize.
Vikas Swarapu ganhou o Oscar.
As dificuldades de viver num país com mais de 1 bilhão de pessoas valem para todos que nascem por lá. A vida agitada das megalópoles Delhi e Calcutá. O turismo de Agra, a produção cinematográfica de Bombaim com suas atrizes dramáticas e suicidas.
Se quer conhecer melhor a índia e quem sabe um dia conhecer esse país mágico, ouça seus escritores eles sabem o que é realmente ser indiano.
Boa leitura.

Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão

Botão

 

 

Daniel De Nardi

Head de conteúdo do YogIN App. Autor de 6 livros sobre Yoga. Pesquisador da História do Pensamento Indiano.