Brand

Jejum Intermitente e Meditação

Jejum Intermitente e Meditação

 

A prática do jejum sempre existiu na cultura do Yoga. Os yogis retirantes, até hoje, tem como costume isolar-se da sociedade por alguns períodos para dedicar-se apenas ao sádhana (prática meditativa). Durante esses retiros, praticam longos períodos de jejum e uma alimentação restrita.  Esses saddhus yogis  são chamados Ramatas.

Eu sempre tive facilidade de resistir bastante tempo sem comer, mas não fazia isso, pois sempre me ensinaram que jejum fazia mal. Recentemente, um amigo meu que estuda alimentação me passou uns materiais e vídeos sobre o que a ciência vem descobrindo a respeito de ficar horas sem comer.

O que pesquisadores como Dr. Paulo Olzon afirmam é que há diferentes períodos de jejuns que podem ser experimentados, 6, 12, 16 ou 24h e que cada pessoa pode se adaptar melhor a um ou outro. Ele toca também no ponto do quanto a vontade de comer é necessidade ou apenas costume.

Vou deixar abaixo uma entrevista com o Dr. Paulo esclarecendo melhor os aspectos técnicos do Jejum. O que posso dar como depoimento é a melhoria da prática da minha meditação. É óbvio que com menos alimentos sendo digeridos, a capacidade de aquietar o corpo e a mente serão favorecidos. Só que essa crença de que jejum faz mal, me impedia de praticar jejuns sem me preocupar. O que tenho observado são as mesmos efeitos que ele descreve na entrevista. A medida que você vai vencendo os primeiros instintos da fome, vai tendo cada vez menos fome e isso ajuda você a ficar mais tempo sem comer.
A digestão é um processos mais complexos que nosso corpo faz, diminuir essa atividade, tem relação direta com você conseguir reduzir a agitação da mente.

Na entrevista Paulo também fala que o vegetarianismo é uma ótima alternativa para não gerar inflamações no processo digestivo e também explica como a Meditação pode ajudar no combate do stress.

Confira na íntegra a entrevista que tem a seguinte descrição.

 

“Jejum intermitente: dieta da moda ou prática comprovada pela ciência? Dr. Paulo Olzon, médico clínico-geral, infectologista e nefrologista discute os benefícios dessa modalidade de alimentação e de outras, como veganismo. Ouça agora o último programa da série “Você é o que você come”.”

OBS: qualquer mudança alimentar pode prejudicar a saúde. Se você observar mudanças para pior na sua disposição ou qualquer outro efeito prejudicial, deve buscar consulta de um profissional desta área.

 

Daniel De Nardi

Head de conteúdo do YogIN App. Autor de 6 livros sobre Yoga. Pesquisador da História do Pensamento Indiano.