Blog

Yoga para iniciantes


Alinhamentos Cachorro Olhando para Baixo
Dicas de Yoga | 6 nov 2020 | Fernanda Magalhães

Cachorro Olhando para Baixo: Alinhamentos Essenciais

Alinhamentos Cachorro Olhando para Baixo Quem não conhece o cachorro olhando para baixo?  A postura de Yoga mais conhecida no mundo é muito utilizada como transição entre posturas, sendo inclusive, parte da famosa saudação ao sol (surya namaskar). Ao mesmo tempo que serve de descanso em práticas vigorosas, ela é utilizada também como  postura para fortalecimento de braços, pernas e troncos. O nome vem do sânscrito adhas, que significa \"baixo\", mukha, que significa \"rosto\", svana, que significa \"cachorro\" e asana, que significa \"postura\". O nome descreve a ação feita pelos cachorros para se espreguiçar descendo o peito ao chão com o quadril para o alto, o que se assemelha muito à estética desta postura de Yoga.  Com tanta naturalidade do movimento realizado pelos cães, pode parecer que entrar em adho mukha svanasana é simplesmente subir o quadril e deixar as mão e pés no chão partindo de uma posição de quatro apoios, mas a postura exige uma grande ativação do corpo por inteiro necessitando de alinhamentos sutis em todas as partes.   Para não negligenciar mais esta postura que é repetida diversas vezes em práticas de fluxo, traremos a consciência para os pontos principais a serem observados durante a execução. Começamos a destrinchar os detalhes de alinhamento observando o tal do cachorro se espreguiçando. Podemos perceber que o cão leva o peito ao chão durante o movimento. Não devemos imitar literalmente este movimento ao entrar em adho mukha, permanecendo com as costas retas, o que pode ser um desafio para os mais flexíveis. Uma movimentação das escápulas ajuda a proteger a superexposição do peito. Costumo dizer que devemos girar as axilas em direção ao rosto, direcionando os cotovelos para trás, sem alterar a posição das mãos no chão. Dedo do meio permanece apontando para a frente. Esse movimento encaixa as escápulas “para fora e para baixo” criando espaço entre os ombros para o relaxamento do pescoço. Ao mesmo tempo, para os menos flexíveis, o esforço é o contrário, pois as costas tendem a arquear para fora, como se desenhasse uma corcunda. Se seus isquiotibiais estão rígidos ainda, dobre os joelhos, mas mantenha a coluna alongada e alinhada. Não se apresse em chegar com os calcanhares no chão, aqui é mais importante direcionar os ísquios para cima e sustentar o espaço da coluna. Acredito que posição e ativação das mãos no chão tem um enorme impacto no sucesso desse alinhamento. É a partir delas que seu corpo vai ser “empurrado” para a postura. Assim como os pés funcionam como base das posturas de pé, as mãos são as impulsionadoras do cachorro olhando para baixo.  Mantenha as mãos sempre abertas com seus dedos bem afastados entre eles com o dedo do meio direcionado para a frente. Sinta a conexão com o solo mantendo todas as partes da mão tocando o chão e bem ativas. Existe uma tendência de elevar a parte localizada entre o indicador e o dedão. Resista a esta tentação empurrando a almofada dos indicadores contra o chão. São as partes em contato com o solo que mais vão ajudar na fundação sólida da postura. Lembre-se de trazer essa energia do solo através das suas mãos até seus braços esticando-os mas mantendo a posição das escápulas conforme descrito anteriormente. Os braços estão na largura dos ombros. A energia flui do contato das mãos com o solo passando pelo seu corpo e chegando aos ísquios, em direção ao céu. E então relaxe a tensão do pescoço e deixe sua cabeça pendurar naturalmente entre os braços. A ideia é realizar um “V” invertido com seu corpo levando essa energia das mãos em contato com o solo para os calcanhares no chão, mas não sem antes atingir seu ápice nos ísquios.  E por falar em calcanhar, se estiver vendo grande parte deles ao soltar a cabeça, talvez seja necessário afastá-los partindo de um giro de rotação interna das coxas desde a cabeça do fêmur no encaixe do quadril. Aqui, é como se você quisesse deixar a lateral externa dos seus pés bem paralelas à linha lateral do seu tapetinho. Por último e não menos importante, utilizar a ativação de uddiyana bandha ajuda na subida desta energia sustentando os ísquios na direção correta. Tente colar seu umbigo nas costas a cada inspiração ativando bem a musculatura frontal das coxas. Adho Mukha Svanasana ajuda na digestão, alivia dores de cabeça, insônia, dores nas costas e cansaço e combate pressão alta, asma, ciática e sinusite. Também é conhecida por ajudar a aliviar os sintomas da menopausa e o desconforto menstrual. É uma ótima postura para aumentar o sistema imunológico. Além desta série de benefícios físicos, acredita-se que acalma a mente, mas energiza e rejuvenesce o corpo aumentando a circulação sanguínea nos órgãos do tronco e na cabeça. E assim, fazemos como os cães, espreguiçamos e acordamos o corpo, alongando e energizando-o. O que você está esperando para energizar seu cachorro olhando para baixo? Pratique! Namaste! PRATIQUE COM ESSE VÍDEO EXPLICANDO A EXECUÇÃO DA POSTURA DO CACHORRO OLHANDO PARA BAIXO https://youtu.be/BTZr42819C0 new RDStationForms(\'e-book-o-yoga-do-autoconhecimento-31f024e0c3c56e215246-html\', \'UA-68279709-2\').createForm(); Quer aprender outras posturas do Yoga? Clicando na IMAGEM ABAIXO você terá acesso a uma playlist com treinamento de diversas posturas do Yoga. https://yoginapp.com/como-fazer-as-posturas-do-yoga/ Quer saber mais sobre Asana, as posturas do Yoga? Baixe gratuitamente o livro preenchendo o formulário abaixo. new RDStationForms(\'ebook-asana-posturas-do-yoga-20927af5b3e8c03b81b9\', \'UA-68279709-2\').createForm();

Postura de Lótus
Dicas de Yoga | 18 out 2020 | Adri Borges

Como o Yoga pode ajudar na sua intuição

Como o Yoga pode ajudar na sua intuição Você acredita no seu poder de intuição? Sabe como o Yoga pode te ajudar? A princípio, você sabe o que é intuição? Segundo o dicionário intuição é: substantivo feminino 1. faculdade ou ato de perceber, discernir ou pressentir coisas, independentemente de raciocínio ou de análise. 2. forma de conhecimento direta, clara e imediata, capaz de investigar objetos pertencentes ao âmbito intelectual, a uma dimensão metafísica ou à realidade concreta. 3. visão clara e direta de Deus como a que possuem os bem-aventurados.Apesar de sermos Corpo Mente e Espírito, quando nos encontramos em algum momento desafiador ou de stress, a tendência é nos focar em nosso lado racional. Quando focamos nosso lado racional, perdemos nossa conexão com nosso lado criativo, com nossas emoções e consequentemente com nosso poder de intuição. Segundo Bill George,Professor da Harvard Bussiness School, jamais deixaremos nossa intuição fluir se não nos observarmos. Ele ainda completa que todas as decisões são intuitivas. Se não fossem poderíamos procurar no computador e teríamos todas as respostas. Muitas vezes nosso pensamento racional domina a situação. Tomamos nossas decisões baseado na nossa mente consciente. Com o ritmo alucinante das grandes cidades, overdoses diárias de informações e obrigações o tempo se torna escasso. Não há tempo para respirar, silenciar e nos observar. Sem esta observação perdemos nossa conexão e nos fechamos para nossa habilidade de intuir. Sobrecarregamos nossa agenda com inúmeras programações: compromissos sociais e profissionais, atividades físicas, projetos intermináveis e happy hours com pessoas que muitas vezes nem nos lembramos os nomes. Todas essas distrações nós chamamos de entretenimento. E são elas que muitas vezes nos afastam de nós mesmos impedindo-nos de nos observar e deixar a intuição fluir. Mas qual seria a importância da intuição em nossa vida? Segundo o psiquiatra e autor Iain Mac Glchirist, a intuição é a tomada da consciência das coisas sutis que estão fora do foco da atenção. Coisas das quais temos consciência de forma inconsciente. Ele ainda completa que se passamos muito tempo focados na nossa mente consciente não vemos o que deveria ser importante e consequentemente, eliminamos essa informação. O que me surpreendeu nesta entrevista, foi quando ele disse que bem pouco de nosso processo mental é consciente. 95% possivelmente 99% não é nada consciente e agem para nos alertar de coisas que nossa mente não está ciente. São portanto coisas implícitas, coisas sútis. Como o Yoga pode te ajudar a despertar sua intuição? A prática da meditação é uma importante ferramenta para que você possa se observar e trabalhar sua intuição. Que tal experimentar? Permaneça sentado com as pernas cruzadas (postura meditativa). Mantenha seus olhos fechados e sua coluna bem ereta. Repouse suas mãos sob seus joelhos mantendo seus ombros voltados para baixo e para trás. Permaneça com seu queixo paralelo ao solo. Agora apenas inspire e expire. É chegado o momento de você se aquietar. Mantenha sua respiração nasal, lenta, profunda e consciente. Através dela você irá cessar o fluxo de pensamentos permanecendo assim em seu momento presente. Preste atenção em sua respiração estabelecendo assim uma conexão com seu mundo interior. Abstraia-se de ruídos externos temperatura do ambiente e peso do seu corpo. Agora apenas se observe. Sem se julgar e se envolver com seus pensamentos. Apenas observe! Quando entramos em estado meditativo e começamos a nos observar não há lugar para escapar exceto em si mesmo. Quando esta conexão se estabelece você realmente começa a ser você mesmo. Você começa a entrar em contato com o que há de mais verdadeiro, a essência do seu ser. A partir da sua observação você abre as portas para sua intuição fluir. Vamos meditar? Namastê.

navasana, postura do barco
Dicas de Yoga | 17 out 2020 | Michelle Jandre

Navasana – Postura do barco

Navasana - Postura do barco   Quando pensamos em “barco”, somos levados a imaginar um veículo que possa nos levar em segurança, nos fazendo fluir  pelos rios, mares, oceanos ...que nos faça flutuar e resista as tempestades, a pequenos danos causados pelo tempo. Que nos leve para longe da turbulência e nos traga a calmaria, a tranquilidade, a introspecção, para longe dos barulhos externos e próximos de nós mesmos.  Com navasana, o barco, não é diferente. Nau significa barco e também faz parte da palavra Pranava, a vibração do OM, o som primordial. Nas Upanishads, o OM é descrito como um barco que nos conduz com segurança absoluta através dos mares, por vezes, turbulentos da vida. Essa postura cultiva o centramento como símbolo de nossa conexão com o Ser real. Ele é um ásana que organiza a energia da mente e do corpo. Onde não pode haver dualidade, mas unidade, trazendo paz e satisfação. Em navasana, a postura do barco, o esforço é imediato, não dá para permanecer nele sem presença. A respiração controla a mente, que por sua vez, controlará o corpo, levando-o a estabilidade.  Seus benefícios : é eficaz para o sistema eliminatório, digestório, endócrino, muscular, e energético.  Com a prática constante, fortalecem os músculos das costas e abdominais, nos fazendo envelhecer com graça, conforto, e vigor, e melhorando a nossa qualidade de vida.  É contraindicada para quem tem hérnia inguinal e abdominal.   Como fazer : Com um dos pés no chão- entre na postura com apenas uma das pernas estendida. Eleve os braços paralelamente ao chão, com as palmas das mãos voltadas para dentro. Com joelhos flexionados- mantenha as canelas e os braços paralelos ao chão , ou as pernas estendidas para cima. Obs: em ambas as variações, o peso do corpo fica sobre os ísquios, a coluna longa e o pescoço no prolongamento da coluna. Para praticar conosco confira os horários das aulas ao vivo clicando aqui.     Leia mais sobre Navasana abaixo Navasana sem preconceitos   E para praticar a meditação no OM aperte play abaixo YogIN App - Studio de Yoga OnLine · MEDITAÇÃO OM     Pratique e tudo virá . Pattabhi Jois   Namastê  Michelle Jandre  

Cultivando sua árvore
Dicas de Yoga | 24 set 2020 | Vitória Dantas

Cultivando sua árvore – Vriskshasana, postura da árvore

Cultivando sua árvore Mais do que guiar um passo a passo de como fazer o Vrikshasana minha ideia hoje é te guiar por observações e comparações naturais para o seu estado mental e sutil para a prática. Aparentemente de execução fácil, bastando transferir o peso para um lado da perna base, flexionar o joelho oposto e levar o pé no melhor apoio que puder manter. Calcanhares, panturrilha, coxa, virilha,  ativar os  fechos energético ( bandhas), tração e ativação de todo o corpo. Pronto, você já realizou a postura da árvore. Às vezes fazendo até mesmo em pé lavando a louça ou conversando com amigos. https://youtu.be/2F8dncLRHzo Mas, ao tomar posse conscientemente do Vrikshasana, a postura da árvore, gostaria que sempre pudesse lembrar de Antes de entrar na postura da árvore, tome a base de tadasana. A montanha. E como uma árvore que cresce em solo fértil, cria raízes que ninguém vê, sustenta por séculos a fundação do seu crescimento, que esse alinhamento interno seja igual a sua jornada no Yoga.  Que ao conectar os pés no solo, abrindo os dedos dos pés, como garras que tocam a presa, e distribuindo o peso por todo o pé, crie ali a estabilidade e fundação para a sua sustentação. Honrando a Terra e sua ancestralidade do presente do passado. Enraizando os pés no solo, sentindo vibrar o Muladhara e seu elemento Terra. Sólida, constituinte e nutridora, estabilizando e sendo a base para todos os outros elementos e crescimento é hora de tirar o outro pé do solo.  Que a fluidez, leve e passageira sensação de instabilidade te permita escolher sem ego ou permissão de terceiros, ouvindo o livre arbítrio do Swadhisthana ressoar. Onde hoje você desejar se apoiar? Escute seu corpo e leve-o onde desejar. No calcanhar, panturrilhas, coxas ou bem próximo a virilha.  Para se manter vivo precisamos de estabilidade, segurança e vontade própria. E a postura em pé representa também nova evolução na caminhada humana. Escolhendo sua base e sua versão de estabilidade, no chakra base, raíz, o que antes era motivado por viver, depois por ser livre, agora é para arder. No centro do seu corpo no calor interno de tapas, permita-se no fogo persistir para vencer a vontade de desistir.  Realizando o udiyana bandha com energia necessária para distribuir e transmutar, a energia da ação, o fogo transformador, em recolhimento para o ser sentindo ainda mais estabilidade e vigor.  Para seguir em frente transpondo as vivências anteriores vamos continuar subindo e estimulando agora os Chakras mais sutis. Em seu peito, deixe o prana entrar e transformar. Balançar, preencher e esvaziar. Conectando e mudando a si, os outros e o meio. Sendo o pulmão do mundo. Unindo as palmas das mãos, órgão de ação do Anahata, em frente ao seu peito, morada do seu intocável coração espiritual ❤️, sintonize o seu sankalpa em devoção e compaixão. Considerando que a partir daí o gesto pode assumir diversos significados. Honrando seu guru levando as mãos unidas até a testa, a cabeça à Deus e unidas sobre a cabeça, ao Absoluto sem forma. Seja livre para criar e vibrar o que seu coração comandar.  Vivenciando o Nada Yoga atravessando a ponte do silêncio purificador do Vishudda chegamos ao Ajna chakra transformando agora o seu dristhi exterior, o foco no olhar, no horizonte a sua frente. Ou, fechando os olhos externos, abrindo os internos e focando em um ponto e imagem imutáveis entre suas sobrancelhas. Concentrando e comandando o equilíbrio perfeito para união do seu corpo e sua mente para mais a frente, fundir-se no vazio preenchedor da eternidade.   Não visualizando uma árvore mas sendo a árvore, cresça e expanda para além da sua forma física. Cultive suas raízes, cresça seu caule e tronco e alimente o mundo e a vida transmutando a energia do seu prana em ainda mais vida.  \"As árvores são criaturas pacientes. Eles vivem uma época longa e tranquila e sabem como resistir a todas as mudanças do dia e da noite, do clima e da estação. Silenciosamente\" Zo Newell  

YogIN App
Dicas de Yoga | 14 set 2020 | Equipe YogIN App

5 posições de Yoga para aliviar dores nas costas

YogIN TV - 5 posições para aliviar dores nas costas Dores nas costas é o motivo para muita gente começar a praticar Yoga. Muita gente sente desconforto nas costas que pode ser resolvido com algumas posturas de alongamento. A Prof. Mayara, preparou 5 posições para aliviar dores nas costas. https://www.youtube.com/watch?v=jdBOs2-YxQU   Se quiser se inscrever no nosso Canal do YouTube com vídeo semanais sobre Yoga clique abaixo

Filosofia do Yoga | 11 set 2020 | Daniel De Nardi

Qual melhor tipo de Yoga?

Qual melhor tipo de Yoga? Essa é uma pergunta que nós professores de Yoga ouvimos bastante dos alunos iniciantes no Yoga. Entenda como o sistema de linhas de Yoga mudou nos últimos anos, dando mais autonomia aos professores pesquisarem diferentes tipos de Yoga e ensinarem aquilo que é mais adequado a cada aluno. No YogIN App, você pode fazer aulas com diferentes professores de várias linhagens.  

YogIN App
Dicas de Yoga | 10 ago 2020 | Equipe YogIN App

Quero começar a praticar Yoga. Como começar? Existe Yoga Online?

Prática de Yoga Online para trabalhar o corpo e silenciar a mente! Para entender como a prática de Yoga Online ganhou tantos adeptos nos últimos tempos deve-se observar a grande capacidade das técnicas do Yoga é conseguir uma dupla atuação em benefício dos praticantes. Por um lado, as técnicas do Yoga aumentam a energia vital dos proaticantes. Ao mesmo tempo, reduzem os níveis de stress, produzindo relaxando e tranquilidade. A prática do Yoga amplia consideravelmente a consciência corporal. Tais efeitos, já foram comprovados em inúmeras experiências científicas apresentadas em muitos de  artigo como esse que trata de Como o Yoga pode contribuir para o Controle Emocional. A medida que envelhecemos, nos tornamos naturalmente mais rígidos, tensos e inflexíveis. Com o passar dos anos, nossa energia de vida diminui e se nada for feito, caminha-se para o sedentarismo. Tenho certeza que você não se sentiria bem vendo sua vida ficando cada vez mais parada, né?! E também acredito que se você se considera sedentário, pode mudar essa situação. O Yoga provou-se um fantástico método de bem-estar pelo fato de manter-se vivo, com a mesma base de técnicas, por pelo menos 2000 mil anos. Além disso, o depoimento de cada uma dos milhões de praticantes espalhados pelo mundo (só nos USA são mais de 60 milhões) sobre os benefícios que a prática trouxe para suas vidas é a maior das demonstrações do valor da prática. Mas porque você experimentaria o Yoga? Existe Yoga Online? 1. Ganhar flexibilidade e força muscular Muita gente chega no Yoga buscando algum tipo de alívio físico, seja para desconforto nas costas, seja para conquistar mais alongamento. O trabalho corporal no Hatha Yoga, melhor muito o alongamento e a flexibilidade, mas essa é somente a porta de entrada para o Universo do Yoga. 2. Respirar Melhor Uma coisa que torna o Yoga tão diferente de um exercício comum é a sincronização da respiração com os movimentos ou a melhora do processo respiratório. Os yogins atuam na respiração para tranquilizar a mente e relaxar melhor o corpo. 3. Mais consciência corporal A prática de alongamentos com a observação atenta às respostas do corpo ampliam a consciência corporal dos praticantes. 4. Relaxar o corpo Os exercícios de alongamento produzem profunda descontração muscular. Além deles, há exercícios de relaxamento consciente que melhora o conforto corporal. 5. Meditar Yoga é Meditação e uma prática de Yoga que não contribua para a melhoria da meditação não é considerada por nós como uma prática que cumpre seu objetivo. Há dezenas de benefícios reais que a prática de Yoga pode produzir, mas o mais importante deles é ajudar o praticante a meditar melhor e com isso entender melhor a natureza da sua mente e a investigação do EU. Qual a diferença de Praticar Yoga Online pelo YouTube de ter seu próprio Studio de Yoga Online? No YogIN App Studio vocêpode praticar Yoga ao vivo todos os dias com diferentes professores. O estímulo do professor ajuda muito para quem quer praticar Yoga de verdade. Nossos alunos podem confirmar isso. 😀😀😀😀😀😀😀😀😀 Poderá também fazer aulas gravadas montadas em formato de série conforme seu objetivo na prática. Digamos que seu objetivo com o Yoga seja Alongar. No YogIN App Studio você encontra uma série que vai passo a passo produzir melhor alongamento. Agora, se o que você quer no Yoga é Silenciar a Mente. 🙏🙏🙏 Neste caso, você também encontra Séries de Aulas que Silenciam a Mente a partir da Respiração ou Meditação. Alunos do YogIN App Studio recebem materiais complementares para conhecer melhor tudo o que está por trás dessa prática milenar. São livros exclusivos, aulas teóricas espciais e todo o acompanhamento no nosso fórum das dúvidas com relação aos diferentes aspectos da prática. Aulas de Yoga Ao Vivo Todos os Dias No YogIN App Studio você pode fazer aulas de Yoga ao vivo todos os dias. Para conferir a programação com toda a agenda de aulas dos próximos dias - CLIQUE AQUI ! Aulas com o seu Objetivo Para entender melhor como as aulas no YogIN App Studio estão organizadas - CLIQUE AQUI e busque o que espera com a prática de Yoga. new RDStationForms(\'formulario-post-yoga-online-e50c2f5f6660fd97cfa8\', \'UA-68279709-2\').createForm();

Podcast de Yoga | 31 jul 2020 | Equipe YogIN App

Qual melhor horário para praticar Yoga?

Entenda o melhor momento do dia para praticar Yoga. O melhor horário para praticar Yoga é de manhã e no final de tarde. É importante saber que uma prática feita pela manhã deve ser diferente de uma prática feita a noite. Você terá que testar em você qual o melhor horário para praticar Yoga. Uma prática feita pela manhã pode ser mais ativa com posturas mais energizantes. Por exemplo, flexões da coluna para trás são posturas expansivas que podem ser colocadas à vontade em uma prática matinal. A Saudação ao Sol, conhecida no Yoga por Surya Namaskar, aquece o corpo e também pode ser uma excelente prática matinal, especialmente se você puder ver o sol nascendo e fazer a sequência neste momento mágico do dia. Também sugerimos que pela manhã, você execute torções estimulam o funcionamento dos órgãos da cavidade abdominal. Pode-se também praticar udhyana bandha para estimular o fogo digestivo, agni, e ajudar na desintoxicação do corpo; As Melhores Práticas de Yoga para à noite Se você praticar ao final de tarde ou à noite insira posturas para alongar as costas e relaxar ombros e pescoço. Posturas de equilíbrio trazem enraizamento, aumentando a concentração o que pode ajudar no sono. Posturas para frente acalmam e relaxam e devem ser colocadas em uma prática noturna ou quando quer desacelerar. SE PREFERIR, PODE OUVIR ESSE TEXTO CLICANDO NA IMAGEM ABAIXO Invertidas Se for pratica de noite o ideal é buscar aquietamento. Evite \"mantras\" batendo palmas. Diminua as retroflexões (movimentos da coluna para trás) e evite invertidas intensas e longas. Procre ficar mais tempo nas posturas, acalmando a respiração também é indicado. Sempre termine a prática de asanas em savasana, postura deitada para relaxamento, não importando o horário em que ela foi feita. [caption id=\"attachment_100219\" align=\"aligncenter\" width=\"573\"] Qual Melhor Horário para praticar Yoga? Você terá que testar em você mesma. A frase em ingês desta imagem diz \"minha melhor postura é a posição de relaxamento (shavasana).\"[/caption] Brahma Muhurta Existe um período chamado Brahma muhurta, ou horário de Brahma, que consiste no período (muhurta) 1 hora e 36 minutos (96 minutos = 2 muhurtas) antes do nascer do sol. Por exemplo, se o Sol nascer às 6 da manhã, o período de Brahma muhurta é 4:24. Esse horário de Brahma, horário do Criador, é o horário mais auspicioso para prática de yoga e meditação. O Brahma Muhurta é seguido em mosteiros de Yoga que são chamados de ashrans. A ideia do Brahma Muhurta é captar a energia dos primeiros raios solares. Praticar Meditação olhando para o Sol só é possível nos primeiros raios da manhã. Os horários dos doshas Para o Ayurveda, medicina vedica, nós temos três doshas que constituem nosso físico: Vata (ar e éter), Pitta (fogo e água) e Kapha (terra e água). Durante o dia, esses elementos aumentam e diminuem no nosso corpo. Do nascer do Sol até 10h da manhã é o período de Kapha; das 10:00 às 14:00 é o período de Pitta; das 14:00 até 18:00 é o período de Vata. No final do dia esse ciclo segue a mesma ordem, das 18h às 22h é o período de Kapha, das 22h às 2h da madrugada período de Pitta, e das 2:00 às 6:00 período de Vata. Dessa forma, o Brahma Muhurta acontece durante o período de Vata. Para saber mais sobre a relação dos Doshas com a prática de Yoga, ouça a entrevista com a Professora Giselle Correa https://yoginapp.com/o-yoga-e-os-doshas-podcast-49/ Pratique quando quiser e Onde Estiver O mais importante é praticar, a hora que der. Nem que sejam nossas aulas de 15 minutos da plataforma. Temos aulas de diferentes objetivos e com tempos que podem ser escolhidos por você no filtro das Aulas. Em aulas que vão de 5 a 60 minutos, você poderá alongar, espreguiçar, respirar, meditar e começar o dia com afirmações positivas. Tempo não é desculpa para não praticar com o YogIN App, pois você faz de casa e a hora que melhor se encaixar no seu dia. CLIQUE AQUI PARA CONHECER NOSSAS ASSINATURAS new RDStationForms(\'newsletter-yogin-formulario-1c3fb174b015350a9cd5-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();

YogIN App
Dicas de Yoga | 12 jun 2020 | Equipe YogIN App

6 dicas para começar no Yoga

Dicas para começar bem no Yoga. Por ser uma prática muito completa, o Yoga trabalha tanto a parte física quanto a emocional e mental, os iniciantes no Yoga podem se assustar um pouco ao travarem os primeiros contatos com as técnicas. Não se preocupe, o começo de tudo que vale a pena é sempre desafiador. Separamos algumas dicas para você que está começando nas aulas de Yoga e quer entender melhor como o Yoga pode ajudá-la a viver melhor. Aproveite e boas práticas!! Namastê! Se quiser saber mais sobre os diferentes tipos de aulas de Yoga do YogIN App acesse: https://YogINApp.com

Satya, A Verdade
Filosofia do Yoga | 14 fev 2020 | Daniel De Nardi

Satya, um valor yogin – Podcast #28

Satya, um valor yogin - Podcast #28 A verdade é busca primordial dentro da cultura indiana, não é a toa que no brazão da índia está escrito \"A Verdade triunfará no final.\" Satyameva jayate! https://soundcloud.com/yogin-cast/satya-um-valor-yogin-podcast-28 LINKS Curso de Especialização para Professores de Yoga -   https://yoginapp.com/curso/especializacao-em-yoga-curso-para-professores-de-yoga   Documentário Callas que passou no GNT -\'Callas\' no GNT: documentário imperdível - Patrícia Kogut, O Globo https://t.co/W2avw9SgE7 via @PatriciaKogut — Daniel De Nardi (@danieldenardi) August 10, 2017   Documentário - Maria Callas, Life and Art      Playlist da Série Reflexões de um YogIN Contemporâneo   https://open.spotify.com/user/yoginapp/playlist/2YCabHrhxWDjZAYxdVwusa       Transcrição do Podcast #28   Satya, Um Valor Yogin – Podcast #28 Olá, meu nome é Daniel De Nardi. Você está ouvindo Maria Callas cantando uma ópera de Puccini. Estamos começando o 28º episódio de “Reflexões de um YogIN Contemporâneo”. Nesse final de semana nós gravamos, como eu falei no podcast passado, o curso de especialização para professores de yoga. Então será um curso voltado para aqueles que já fizeram alguma formação, seja no YogIN App ou em uma formação presencial em algum lugar. O curso é voltado para quem já está dando aula ou para quem já fez a formação e tem interesse em dar aula. Foi um curso muito especial, com conteúdo muito rico. Nós começamos com a Renata Mozzini, ela trabalhou com a questão de como montar uma aula de acordo com aquilo que você gosta, ou que o seu aluno precisa, depois a Bianca Vitta falou muito sobre as correções, do toque, o ajustamento perfeito e a adequação da prática para os diferente níveis de dificuldade dos alunos, e a Sá Souza filmou especialmente sobre yoga pra gestantes, como proceder quando uma aluna gestante estiver em aula, embora isso pareça simples e tenha algum tipo de orientação nos cursos de formação, ela falou mais de três horas coisas extremamente interessantes. Então, valeu muito a pena, eu mesmo aprendi bastante, e os próximos cursos estão sendo gravados, vamos montar com seis professores, vai ficar muito bom para aqueles que estão na jornada como professor de yoga. O assunto de hoje do podcast é Satya, que é a verdade. A verdade é um valor muito importante, muito precioso para os yôgins porque a Índia, como um todo, ao longo da sua história, sempre fez uma busca pela verdade. Nos textos indianos é muito mais uma busca pela verdade do que um discernimento entre o bem e o mal, a verdade é aquilo que se busca. A verdade na expressão de si mesmo e como uma coerência existencial. O brasão da Índia tem a frase “Satyameva jayatê”, da Mundaka Upanishad, que significa “no final a verdade triunfará”, porque se você constrói algo em cima da mentira, aquilo se desmancha. Só a verdade que se sustenta, então efetivamente o que nós somos é uma verdade, porque o que a gente realmente é fica e é aquilo que a gente tem que manifestar mais, então é muito importante, dentro do processo do yoga, a gente fazer esse trabalho e esse questionamento interno, se estamos realmente sendo coerentes, verdadeiros. Essa coerência é muito importante para o estilo de vida de um yôgin, entre aquilo que sente, que percebe, aquilo que pensa e aquilo que efetivamente age. Existe um episódio clássico da vida de Gandhi, em que ele foi dar uma conferência no Parlamento inglês, e ele acabou colocando tudo aquilo que realmente acreditava, que a colonização não estava sendo boa para a Índia, falou num certo assim, um pouco agressivo, de forma a desconcertar muitos dos parlamentares, o discurso durou cerca de duas horas. Ao final os repórteres que o viram discursando perguntaram ao assessor de Gandhi como ele discursou durante duas horas sem ter nenhuma anotação como apoio e consulta, o assessor respondeu que quem necessita de papéis para verificar as anotações eram eles, incluindo a si mesmo, que estavam acostumados a falar uma coisa e sentir outra. Como Gandhi buscava uma vida de coerência, claro que como ser humano certamente tinha os seus defeitos, mas ele tinha essa busca pela verdade, pela coerência, então ele não precisava, segundo o assessor, consultar alguma referência. O que ele falava era o que estava sentindo e pensando, e ele manifestava aquilo através da voz. Isso é muito interessante porque é uma demonstração de espontaneidade, de algo verdadeiro. E o Satya e Sat tem o mesmo prefixo que é o de existir, então a verdade é o que existe. Algumas coisas que a gente pode observar, que pode nos ajudar nessa busca de coerência, nesse trabalho de coerência vão muito do cumprimento de contratos, sejam internos, aqueles que você faz consigo ou de externos, com outras pessoas. Não existe muito uma dissociação, então cumprimentos de contrato, quaisquer forem. Essas duas habilidades andam lado a lado, uma vez que você cumpre o que diz a si mesmo, acaba tendendo a cumprir com outras pessoas. Daí você me diz “ah, eu vou ficar muito quadrado, nunca vou poder mudar de planos”. Claro que mudar de planos é sempre necessário, devemos estar abertos para o erro, mas o ponto é que se você não cumpre a sua palavra começa a perder uma força interna, uma força mental de execução. Quando você cumpre o que diz, vai criando uma confiança que aumenta à medida que você cria projetos mais elaborados. Se não cumpre o que diz para si, pode achar normal também não cumprir para com as outras pessoas e isso vai enfraquecendo a sua capacidade de realização e, até mesmo, a sua coerência interna porque sente que deve fazer algo, diz, pensa e age de forma coerente, agora sentir e não fazer por preguiça e em outro momento não fazer também vai criando um nível de incoerência a ponto de que a mentira sempre revela esta incoerência. Um pouco de mentira faz parte da vida, não tem como a gente viver em uma sociedade sendo cem por cento sincero, mas o ponto aqui, o que vale mesmo é o que se faz consistentemente na vida, se você tem uma coerência na sua existência, uma coerência de constância, isso traz espontaneidade. Não criando papéis para interpretar, simplesmente manifestando aquilo que efetivamente é você. Essa coerência vem com essas coisas aparentemente que não tem uma relação como esse cumprimento de verdades nas suas palavras ou atitudes. E esse tipo de treinamento, de cumprir as coisas, precisa ser pensado antes de se fechar o acordo. Por exemplo, se combina algo com alguém, mas no ato não está muito afim, inventa uma desculpa e não vai, isso vai criando uma aceitação da mentira. Quando decide ter tarefas é importante ter certeza se elas tem real sentido para você e se vai consegui entregá-las, porque se não, não se comprometa, é melhor assim do que no final não dar um resultado prometido. Ao fazer uma meditação, por exemplo, pode-se treinar isso, ao fazer uma meditação de dez minutos, que é um tempo muito bom (meditação de dez a quinze minutos tem um tempo excelente, o recomendado), mas aí em cinco minutos após começar já se começa a reclamar e mais dois minutos depois você para. É uma quebra de contrato, houve o comprometimento em se fazer com dez. Ou se faz uma meditação de cinco minutos ou não se faz, porque cumprir com o que se determinou, é parte do processo meditativo. A mente sempre vai dizer o que é mais importante no momento da meditação, ela vai tentar desviar do que é prioridade. “Ah, então eu vou ficar sempre em cinco minutos?” não, eventualmente você vai ter que se desafiar, sair da zona de conforto, perceber que faz sentido sair dela e, então, vai passar dos cinco para os dez. Mas o dia em que se decidir fazer dez ou quinze, precisa cumprir com o prometido, no dia seguinte você pode até recuar, mas precisa cumprir o que determina, isso vai criando um poder interno, crescente, porque a cada contrato cumprindo se ganha uma confiança interna, e se cumpre um contrato com uma pessoa também se ganha confiança e mais crédito com ela. A confiança, que é baseada na verdade, cresce e nos dá mais poder de realização e de manifestação da nossa espontaneidade. Então o que eu queria falar hoje é sobre o Satya que é esse yama muito importante, um dos conceitos éticos do yoga. Hoje escolhi uma ópera, apenas no episódio quatro que coloquei uma – A Flauta Mágica –, e hoje trouxe uma de Puccini que é o compositor de ópera...acho que ele e o Verdi são os mais populares, inclusive essa que você vai ouvir agora, Madame Butterfly, uma das óperas mais populares que já foi escrita. Para quem não sabe, o Japão, no final do século XIX e início do XX, era um país extremamente fechado, não tinha abertura para nenhum país próximo e muito menos para o ocidente, esse processo foi começando aos poucos, mas o que aconteceu foi que os EUA começou a fazer investigações no Japão, levar militares para lá, que tiveram casos com muitas japonesas deixando-as por lá, depois. A história de Madame Butterfly é contada neste contexto, final do século XIX, um militar americano chega ao Japão, compra uma terra e ganha uma gueixa, uma menina de dezesseis anos, e promete casar com ela. O amigo dele, cônsul do Japão, alerta ele de que será muito difícil para ela, ele a fará sofre demais, ele não dá muita bola, mas vai embora dos EUA e diz que vai voltar. A menina fica a sua espera, recebe um pedido de casamento de um outro home, mas não aceita e todos ficam tentando alertá-la de que ela vive uma via ilusória, ela não acredita. Um dia ele volta, porém com a esposa americana, a Butterfly, a gueixa, havia tido um filho dele e leva o menino para uma casa e acaba se suicidando na frente dele. O Japão tem um alto incide de suicídio, muitos causados pela verdade, pela honra. Quando ela se suicida, retira do baú um punhal, que e o pai dela havia cometido um seu, conhecido como haraquiri, um suicídio, um ritual de suicídio. No punhal estava escrito: com honra morre aquele que não mais com honra pode viver. A verdade fere esta ideia antiga, mais do que a vida. Vocês vão ficar com Maria Callas, que foi uma das maiores cantoras de ópera de todos os tempos. Passou um série sobre ela no canal GNT, chamado Callas, quem puder ir atrás, no site da Net pode-se acessar programas antigos, vou deixar um link com a reportagem sobre esse documentário. Maria Callas a vida inteira cantou a ópera, e no fim, quis viver aqueles dramas todos. Teve um relacionamento com Onassis, largou o marido dela para viver com ele, porém este era uma galanteador, ele estava mais preocupado em fazer fama e ela era uma das mulheres mais desejadas no mundo todo, na época e ele a abandonou, fazendo com que ela viesse um final de vida sofrido. Tem um filme sobre Maria Callas que concorreu ao Oscar alguns anos atrás, focando, principalmente no final de vida dela, quando a voz dela começou a falhar e após os problemas amorosos sofreu muito, após o término com Onassis entrou em depressão. Uma das vozes mais lindas da ópera, das mais conhecidas, equivale ao nosso tempo o que é Luciano Pavarotti, com vocês um trecho de Madame Butterfly cantado por Maria Callas. Até o próximo Podcast.