Blog

Respiração e Relaxamento


Respiração e Relaxamento | 22 dez 2019 | Ellen Lima

RESPIRE COM CONSCIÊNCIA, SAIA DO AUTOMÁTICO

RESPIRE COM CONSCIÊNCIA, SAIA DO AUTOMÁTICO Respirar é um ato tão involuntário e automático que damos pouquíssima ou nenhuma atenção a ele. A questão é que respiração e emoção estão diretamente ligadas, uma influencia a outra, portanto se reaprendermos a respirar desenvolveremos uma ferramenta muito poderosa para o controle emocional. O yoga já tinha como foco, há mais de 4000 anos atrás, o que a ciência vem comprovando por meio de pesquisas e estudos relativamente recentes: a respiração, embora seja ato involuntário, deve ser realizada de maneira correta (nasal), e pode ser alterada de forma voluntária e com consciência, o que contribui de forma significativa para a melhora na qualidade de vida das pessoas que praticam essas técnicas (pranayamas). Pantanjali inicia os Yoga Sutras definindo yoga como supressão da instabilidade da mente. No Bhagavad Gita, canto VI, verso 19 diz: “o yogue que tem a mente dominada e, recolhido em si mesmo pratica a yoga, é como uma chama luminosa que, ao brigo do vento, não sofre nenhuma oscilação.” No Hatha Yoga Pradipika diz que a mente pode ser estabilizada através da respiração: “Enquanto a respiração for irregular, a mente permanecerá instável; quando a respiração se acalmar, a mente permanecerá imóvel e o yogi conseguirá a estabilidade. Por conseguinte, deve-se controlar a respiração.” Hatha Yoga Pradipika, II:2 Em Árvore do yoga, comparando a respiração á uma arvore, Iyengar demonstra a importância dos pranayamas: “Como as folhas que arejam a árvore e fornecem nutrientes para que seu crescimento seja saudável, também o Prāṇāyāma alimenta e areja as células, os nervos, os órgãos, a inteligência e a consciência do sistema humano. Quando estamos realizando um àsana-(postura física), só podemos entender plenamente o corpo se sincronizarmos a respiração com o movimento. Prāṇā é energia. Ayama é criação, distribuição e manutenção. Prāṇāyāma é a ciência da respiração, que leva à criação, distribuição e manutenção da energia vital.” A respiração é algo tão importante que a Associação Brasileira de Rinologia, lançou no ano passado (2015) uma campanha chamada “Cuide Bem do Seu Nariz”, onde abordou a importância da respiração correta, a começar pelo fato da respiração adequada ser nasal e sua função: “Quando inspirado pelo nariz, o ar é umedecido, aquecido e filtrado, evitando que as impurezas cheguem ao organismo. Por sua vez, a respiração pela boca não prejudica apenas o sistema respiratório, mas também gera impactos no desenvolvimento da estrutura óssea facial. Além disso, a vida social de quem sofre deste problema também é prejudicada. “Em todas as faixas etárias, quem não respira pelo nariz apresenta irritação, ansiedade e depressão. Outros têm problemas com a audição, voz e até nas atividades sexuais. Por estes motivos, o desempenho no trabalho e nas atividades sociais é afetado”, afirma Roithmann. “A pessoa que respira bem pelo nariz tem melhor qualidade de vida em relação ao que respira mais pela boca. A respiração oral atinge a garganta, o sentido do olfato, a qualidade do sono, a função pulmonar, além de trazer muitos outros malefícios”, afirma o otorrinolaringologista. Mas não basta uma respiração nasal, é preciso trazer consciência para o ato de respirar. Não inspiramos apenas oxigênio para dentro no corpo, mas também energia prânica. As técnicas de pranayama tem como objetivo a expansão dessa energia vital. “O pranaiama não é uma respiração normal, nem simplesmente a respiração profunda. É a técnica de gerar energia vital. Somente as técnicas do pranaiama, que regulam, canalizam e (ao reter a respiração) represam o fluxo para melhor controlar e extrair sua energia inerente, é que produzimos energia suficiente para realizar todo nosso potencial. A jornada para o centro infinito da existência é árdua. Só a energia prânica pode nos levar até lá.” (Luz na Vida, Iyengar) São inúmeros os efeitos das técnicas respiratórias no organismo como: estabilização do sistema nervoso autônomo, aumento da variabilidade da frequência cardíaca, diminuição da pressão arterial, aumento da função pulmonar, aumento do sistema imunológico, melhora na qualidade e padrão de sono e aumento do bem estar e qualidade de vida. (Tecnicas de respiração para redução do estresse em terapia cognitivo-comportamental) No seu livro Treinamento YogIN de Respiração, Daniel De Nardi ensina como realizar as técnicas respiratórias através de um treinamento passo a passo, e tem uma frase que deixo para terminar esse texto, que nos faz repensar na importância da respiração: “O ser humano é capaz de ficar dias sem comer, horas sem tomar água, mas não passa minutos sem respirar. A vida depende desesperadamente da respiração, por tanto se respiramos melhor, vivemos melhor. Quanto mais ar, mais vida.”   Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão

Filosofia do Yoga | 31 out 2019 | Mayara Beckhauser

Nadis e polaridades – O prana, a energia vital – Yoga Falado #33

Saiba mais sobre as Nadis e suas polaridades   Quem faz minhas aulas online aqui pelo YogIN App sabe que comumente começo a prática pedindo para a pessoa analisar como ela está emocionalmente, fisicamente e energeticamente através do swádhyaya, auto estudo, a auto observação que deve estar presente durante todo o sádhana (prática de yoga). Uma das formas que peço para o praticante fazer esse estudo é observando qual narina está mais ativa. Nossa narina direita está relacionada à nadi pingala, canal energético de polaridade positiva; a narina esquerda está relacionada à nadi ida, canal energético de polaridade negativa.   Imagem 1: nadis principais do corpo Na foto acima, estão representadas as três nadis principais do corpo: ida, pingala e sushumna. Cada cruzamento de ida e pingala é a região de um chakra, no total 7 e ida e pingala acabam no sexto chakra, apenas o canal central, sushumna, de polaridade neutra e outras nadis secundárias chegam até o chakra coronário.   Ouça também via Spotify ou Soundcloud.     Estima-se que temos 72.000 nadis pelo corpo. As nadis são como veias do nosso corpo sutil, enquanto pelas veias correm o sangue em nosso corpo físico denso, pelas nadis circulam o prana, a energia vital. Quando fazemos asanas, as posturas do yoga, um dos objetivos é fazer circular a energia por todo esse emaranhado de fios, aumentando nossa vitalidade. Os respiratórios, pranayamas, desobstruem esse canais, os mesmos que a acupuntura trabalha desobstruindo através das agulhas. Porém, enquanto o conhecimento tantrico chama de nadis a medicina indiana chama de meridianos por onde circula chi, a energia vital que aqui chamamos de prana.   Vamos aprofundar o conhecimento das nadis principais   NADI IDA Ida está associada com a energia da Lua, representa o aspecto feminino da personalidade. Esse canal controla as funções do sistema nervoso parassimpático, que acalma a mente e corpo, pois está relacionada com emoções, sentimentos e memórias. Quando a Ida se torna muito forte ou dominante, o cansaço, depressão, introversão e uma incapacidade de ver as coisas com uma perspectiva clara podem tomar lugar meio a mente.   NADI PINGALA Pingala é associada com a energia do Sol, representando o aspecto masculino da personalidade e geralmente é representado na cor vermelha (Yang). Ele controla o sistema nervoso simpático, estimula as atividades, planejamento do corpo e da mente. É responsável pela parte lógica, racional e analítica do intelecto. Quando a Pingala é sobrecarregada devido à agitação da vida da cidade (por exemplo), podemos ter dificuldade em dormir, de concentração, também podemos ficar ansiosos, irritados e impulsivos.   NADI SUSHUMNA É o principal canal energético no corpo humano que circula da base da espinha até o topo da cabeça (como mostra a imagem 1) carregando a energia da Kundalini, a força evolutiva primordial interna que vem de dentro pra cima e que desperta a partir das práticas de Yoga e meditação. Sushumna apenas se abre e flui livremente quando Ida e Pingala estão balanceadas e em equilíbrio, a purificação das três nadis são extremamente importantes para a saúde do corpo e da mente. Na sua próxima prática observe que polaridade está mais ativa e faça uma prática mais introvertida (posturas de alongamento pra frente, respiratórios calmos) se for pingala e; uma prática de expansão (posturas de retroflexão, musculares, respiratórios acelerados) se for ida, para assim equalizar sua energia.   new RDStationForms(\'newsletter-yogin-formulario-1c3fb174b015350a9cd5-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();

EXERCÍCIOS DE YOGA E RELAXAMENTO
Respiração e Relaxamento | 29 jun 2019 | Daniel De Nardi

Exercícios de Yoga – Relaxamento

Exercícios de Yoga - Relaxamento Nesta playlist você encontrará Exercícios Yoga de relaxamento. Essas técnicas de relaxamento possuem vários efeitos importantes para diminuir o stress e a ansiedade. Os exercícios de Yoga de relaxamento podem ser feitos antes de dormir, no final de uma prática ou em alguns minutinhos que você tenha no seu dia a dia. Para fazê-los basta um lugar confortável que você possa ficar uns minutos com os olhos fechados. O resto é a experiência da prática e sua utilização no cotidiano. Aproveite! new RDStationForms(\'e-book-treinamento-yogin-de-respiracao-bdf2969b9eeaf2b1af79-html\', \'UA-68279709-2\').createForm(); Bom Relax!

Dicas de Yoga | 7 abr 2018 | Daniel De Nardi

E-book | As Origens da Meditação e do Yoga

E-book | As Origens da Meditação e do Yoga O livro - As Origens da Meditação e do Yoga retrata como surgiram essas práticas tão importantes nos dias atuais. Para baixar o e-book, basta clicar no botão abaixo. https://youtu.be/XXejJ7cyzvc VEJA AQUI - Curso de Formação Professores Yoga online   Como Salvar um Ebook - PDF from YogIN App on YouTube.   new RDStationForms(\'newsletter-yogin-formulario-1c3fb174b015350a9cd5-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();

Dicas de Yoga | 22 mar 2018 | Mayara Beckhauser

Como a prática de Yoga é benéfica para idosos

Como a prática de Yoga é benéfica para idosos Recebemos essa pergunta de uma senhora de 85 anos na nossa página no Facebook: quais os benefícios do yoga para pessoas mais velhas? Os benefícios do yoga não tem idade. Os yamas e niyamas, por exemplo, preceitos éticos e observância interna (assista o vídeo que explico sobre isso aqui), são construtivos e enriquecedores em qualquer idade; respirar de forma consciente, pacificar o emocional, energizar o corpo fazendo o prana fluir, tudo isso faz bem para qualquer ser humano em todas as fases da vida. Acredito que o receio de idosos praticando yoga seja com relação às posturas. Patañjali define asana como \"sthira sukham asanam\", ou seja, aquilo que é estável e confortável é um asana. Assim, qualquer postura, realizada com consciência, de uma forma estável e confortável constitui um asana. O que pode diferenciar a dificuldade de uma posição para um jovem e um idoso, é que o jovem pode achar desafiador fechar os olhos e mergulhar no tempo, ou ainda meditar, deixar a ansiedade de lado, enquanto para o idoso o desafio maior pode ser a parte corporal. Alguns anos atras, uma certa empresa de seguros organizou uma palestra e convidou professores de Yoga, educação física e médicos. O intuito era que os profissionais ensinassem técnicas para ajudar na prevenção de tombos nos idosos. Tal seguradora se queixava sobre o grande número de pessoas de idade internadas para cirurgia e colocação de prótese da articulação do femur e quadril. Nesta palestra foram listadas uma breve lista de como evitar as quedas: - trabalhando visão e olhos - treinando o equilibrio - exercitando a articulação dos pés, joelhos e quadril - mantendo a coluna vertebral sadia e com flexibilidade Assim, o que mais indico para uma prática de idosos são asanas de equilibrio pois é muito comum quedas nessa fase, e podem ser bastante trágicas. Baseado nessa lista cito algumas técnicas do Yoga benéficas para idosos. new RDStationForms(\'e-book-o-yoga-e-o-stress-ebbbd5c51665ef24833c-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();  Drishti O drishti é uma técnica de fixação do olhar, pode ser usado durante as posturas e meditação para aumentar sua concentração trazendo sua atenção para um único ponto. Existem vários drishtis, olhar para ponta do nariz é o Nasagra Drishti.   Como executar: em qualquer posição sentado ou deitado, fixe o olhar para ponta do nariz e fique de 30 segundos a 1 minuto sem piscar enquanto alonga os músculos oculares. Em seguida, faça Brumadhya Drishti. Como executar: olhe para o espaço entre as sobrancelhas, região do terceiro olho da mesma forma, permanecendo de 30 segundos a 1 minutos sem piscar. Benefícios: alongamentos dos músculos óticos, irrigação sanguínea da região, foco do olhar.  Talasana Talasana é a postura do coqueiro. Como executar: Fique de pé, afaste os pés a distância dos quadris. Enlace as mãos e inspire elevando os braços esticados e o mais elevado possível. Procure aos poucos tirar os calcanhares do chão treinando o equíbrio, ou com os pés no chão, feche os olhos. Permaneça o tempo que for confortável. Repita 3 vezes. Benefícios: alongamento das costas, ombros e abdomen, flexibiliza a coluna, trabalha o equilíbrio e beneficia os pulmões. Virabhadrasana 2 Postura do guerreiro. Como executar: Afaste os pés além da distância dos quadris, cuidado para não fazer de meias e nem em um piso derrapante. Inspire e traga os braços na altura dos ombros, vire o pé direito para fora. Expire flexionando a perna direita e olhando para sua mão direita. Permaneça de 20 segundos a 1 minuto. Faça para o lado esquerdo da mesma forma. Benefícios: Fortalecimento dos músculos locomotores, fortalecimento das articulações dos joelhos, flexibilização dos tornozelos e quadris.

Dicas de Yoga | 21 mar 2018 | Mayara Beckhauser

Bhuta Shuddhi – A limpeza periódica do corpo

Bhuta Shuddhi - A limpeza periódica do corpo A limpeza periódica do corpo é uma das características do yogin. O próprio sádhana, prática disciplinada de yoga, é uma forma de limpeza: praticar as posturas é um exemplo de limpeza do corpo, por estimular órgãos de excreção e eliminação, pranayamas e meditação produzem uma limpeza de canais sutis do corpo, meridianos e uma faxina mental, excluindo os pensamentos da mente condicionada. Além disso, no Hatha Yoga tem-se o chamado shat karma, conjunto de seis kriyas clássicos que merece um post especial, só para explica-los, mas comumente ministro alguns deles nas minhas práticas aqui do YogIN App. Esse período que entramos, de mudança de estação, é um período que yogins costumam intensificar suas práticas de limpeza. Bhuta shuddhi é a prática de purificação dos elementos do corpo:  água, ar, terra, fogo e espaço (éter, akasha). Tudo na Natureza é composto por estes elementos, no nosso corpo a composição é de setenta e dois por cento de água, doze por cento terra, seis por cento ar, quatro por cento fogo, e o éter (akasha) seis por cento. new RDStationForms(\'e-book-treinamento-yogin-de-respiracao-bdf2969b9eeaf2b1af79-html\', \'UA-68279709-2\').createForm(); O termo vem do sânscrito, bhuta, que significa \"elemento\"  e shuddhi, que significa \"purificação\". O objetivo da prática é libertar o yogin de sua natureza física e abrir a porta para níveis mais elevados de consciência, de modo que o praticante possa se sutilizar e tornar-se um com Brahman. Praticar  bhuta shuddhi cria mudanças físicas, emocionais e mentais profundas para limpar o corpo, mente e espírito. Algumas referências modernas acabam catalogando bhuta shuddhi como apenas um período de desintoxicação alimentar, o que faz parte do processo de sutilização dos corpos, mas é uma parcela muito pequena da prática. Bhuta shuddhi também não é um kriya. Kriyas são atividades de purificações, como citei acima o conjunto de kriyas clássicos, dos quais o mais conhecido é o nauli kriya. Existem muitas maneiras de praticar bhuta shuddhi, a fim de purificar os elementos. Um método comum é a meditação no bija mantra de cada chakra, no som dos nossos centros de força. Para executar este tipo de bhuta shuddhi , comece com 15 minutos de asanas simples de alongamento que estimulem a coluna e alguns ciclos de  pranayama. Em seguida, continue com 15 minutos de meditação sobre os chakras. Começando com o chakra da raiz indo até o coronário. Temos práticas dos chakras em nossa página de aulas. Meditação nos chakras: Sente-se com as pernas cruzadas e a coluna ereta, feche os olhos e sinta a vibração do seu corpo e de seus pontos de energia. Comece a entoar o som semente de cada chakra da base em direção ao topo da cabeça, como na foto acima. LAM, VAM, RAM, YAM, HAM, OM, silêncio. LAM, VAM, RAM, YAM, HAM, OM, silêncio. Faça por 10 minutos e depois fique 5 minutos em silêncio em meditação em algum chakra específico ou apenas em silêncio, sem pensar, apenas sentindo e mergulhando na pureza de sua essência. Para saber mais sobre limpeza, desintoxicação dos corpos e alimentação para limpar o corpo físico veja o vídeo abaixo.

YogIN App
Respiração e Relaxamento | 7 mar 2018 | Daniel De Nardi

SÉRIE DE ARTIGOS – COMO FUNCIONA A RESPIRAÇÃO? PARTE 3 – Yoga e ansiedade

Yoga e ansiedade Muitos alunos nos perguntam sobre o que fazer para diminuir a ansiedade. Ansiedade é uma sensação intrínseca ao ser humano - todos temos algum grau de ansiedade que varia de acordo com os acontecimentos externos. Não precisa ficar desesperado se você se sente ansioso durante momentos do seu dia. Em alguns casos, a ansiedade pode até ajudar a aumentar temporariamente a produtividade, em outros é incontrolável - imagine-se ganhando na Mega-Sena. O grande problema da ansiedade é que, como tudo na vida, seu bônus tem um ônus. Ficar eufórico por muito tempo, produz também a sensação desânimo, oposta e proporcional à agitação.   O Yoga não consegue resolver a questão da ansiedade em casos justificados, mas pode sim diminuir bastante esta sensação se isso for importante para a pessoa.     Há diversos estudos demonstrando o aumento de pelo menos 27% do GABA - um dos hormônios responsáveis pela redução dos níveis de ansiedade, nos praticantes regulares de Yoga. Dentre os estudos, há um em particular que me chamou bastante a atenção - uma pesquisa liderada por Khalsa, integrante do corpo docente da Harvard Medical School. Khalsa trabalhou em estudos para verificar se o ajustamento do estado emocional poderia ter benefícios demonstráveis para carreiras e estágios da vida. Neste estudo, trabalhou com os músicos da Orquestra Sinfônica de Boston. Seu objetivo - verificar se o yoga poderia ajudar os iniciantes a dominar uma fobia de palco em geral, e mais especificamente, ter um melhor desempenho diante do público. Khalsa e seus colegas relataram que os músicos yogins, comparados ao grupo de controle, exibiram provas evidentes de não apenas menos ansiedade nas apresentações, mas significativamente menos raiva, depressão, ansiedade geral e tensão. Considero essencial pesquisas científicas com métricas precisas para validar aquilo que pode melhorar nossas vidas. Entretanto, nada substitui a própria vivência. Uma dádiva do Yoga é possibilitar uma transferência quase automática do que treinamos nas práticas para a  vivência no dia a dia. A pesquisa com os músicos demonstrou que nos ensaios não existia variação de ansiedade entre os yogins e o grupo de controle. Era no momento da apresentação, que as diferenças apareciam. Largada do meu primeiro IronMan em 2014. Eu me sentia preparado, mas jamais havia feito outra prova de triathlon na vida. Estava acordado desde às 3 da manhã esperando para uma prova de pelo menos 10h de duração. Se eu disser que não estava ansioso, minto. Quando parei na faixa da largada, olhei para os lados e vi atletas pulando de tensão, outros batendo no peito e muitos tremendo. Preparar-se para uma prova de longa distância exige pelo menos um ano de dedicação. Ninguém está ali \"só pela festa.\" Há um senso de respeito e medo dos atletas por esta prova. Eu poderia modificar aquele cenário. Largar nervoso em um IronMan não é algo muito recomendado. A adrenalina desgasta, gera tensōes fazendo você pular na água com o coração acelerado. Comecei a alterar minha respiração. Inspirava profundo, soltava o ar devagar. É na expiração lenta que a mágica acontece. É quase instantânea a alteração emocional. É expirar e descontrair imediatamente! Quando você expira lentamente a ansiedade baixa, os batimentos cardíacos se aquietam e a mente fica mais serena. Você deixa de desperdiçar energia com o que está por vir e foca toda sua força naquilo que importa, o momento presente.   Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão      

Respiração e Relaxamento | 15 ago 2017 | Daniel De Nardi

E se sua vida dependesse do fato de você ser obrigado a viver o presente?

E se sua vida dependesse do fato de você ser obrigado a viver o presente? Essa palestra do TED dada pelo recordista mundial de mergulho em profundidade, Guillaume Néry, demonstra muito mais do que a importância de se respirar amplamente. Na situação altamente perigosa em que ele se coloca, qualquer sensação de ansiedade pode acelerar os batimentos cardíacos e impedir seu retorno à superfície. Veja o vídeo e pense na pergunta que dá título ao post!

YogIN App
Respiração e Relaxamento | 24 jul 2016 | Daniel De Nardi

Série de artigos – Como funciona a respiração? PARTE 1

Como funciona a respiração? Apesar de respirarmos o tempo todo, da primeira inalação do parto até a última expiração da vida, são poucos os momentos que paramos para sentir este ato tão vital. Somente percebendo a respiração é que podemos melhorá-la.   OS PULMÕES NÃO SÃO MÚSCULOS E NÃO CONSEGUEM RESPIRAR SOZINHOS   A primeira coisa que você deve saber a respeito da respiração é que seus pulmões não são músculos. Isto pode ser óbvio para quem tem um mínimo conhecimento de anatomia, mas mesmo para estes, não adianta saber disso apenas teoricamente, é preciso sentir na prática o movimento dos músculos responsáveis pela respiração, para aí sim poder melhorá-la.   Já que não são os pulmões os responsáveis pelo ar entrar e sair quem fica com a bronca? Os pulmões movimentam-se empurrados por músculos, não são eles que fazem os movimentos responsáveis pela respiração. Este papel fica principalmente para o diafragma - músculo em forma de guarda chuva demonstrado na imagem acima. Ele abre o espaço para os pulmões, afastando inclusive as costelas flutuantes como você pode ver no vídeo abaixo ou sentir no seu corpo. É importante entender um pouco da estrutura muscular para conseguir atuar melhor nela. Respirando mais amplamente, consegue-se ampliar a quantidade de oxigênio e energia. Esta respiração mais ampla pode ser usada tanto na prática do Yoga como no dia a dia. O movimento do diafragma, descendo, abre espaço para que o ar seja \"sugado\" pela diferença de pressão, para dentro dos pulmões. Este movimento pode ser muito bem entendido com o vídeo abaixo. Os pulmões ficam exatamente acima do diafragma, o músculo que se movimenta na filmagem. A medida que o diafragma força os outros órgãos para baixo, o pulmão ocupa espaço e o ar entra.  Veja o movimento para poder sentir melhor como ele acontece no seu corpo. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=T5gY6G64H54[/embed] PARA FAZER EM CASA O primeiro exercício desta série de textos sobre respiração será bastante simples, mas extremamente importante para o aprendizado da respiração profunda. Deite-se em uma posição confortável. Feche os olhos e sinta os músculos responsáveis pela respiração. Lembre-se do vídeo e procure expandir o movimento do seu diafragma. Expanda a musculatura para que mais ar entre. e Para expirar, simplesmente relaxe e o músculo fará o ar sair naturalmente. Para o ar entrar, empurre o diafragma para baixo, para sair, simplesmente relaxe! Faça isso por 5 minutos e treine esta respiração no dia a dia, enquanto dirige, trabalha ou até quando caminha!   Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão