Blog

Qualidade de Vida


Dicas de Yoga | 27 fev 2021 | Juliana Beneton

Mindful Eating – O que é comer consciente?

Mindful Eating – O que é comer consciente?   Você às vezes se encontra comendo porque está entediado, triste, feliz, ou simplesmente porque teve um dia difícil? A boa notícia é que você não está sozinho. Comer demais, de vez em quando é normal, no entanto, comer de forma emocional pode facilmente sair do controle e levar ao ganho de peso e outros problemas de saúde. Mindfulness vai além de disciplina e força de vontade, e tem a ver com o poder de estar completamente presente no momento, sem julgamentos e sem críticas. Desse princípio surgiu o Mindfulness eating, que tem como foco encorajar as pessoas a se tornarem adeptas de hábitos alimentares mais saudáveis. A prática ensina a estar presente no momento da refeição, apreciando o cheiro, cores e sabores do alimento. Ensina também a lidar com as emoções e escutar a própria intuição, fazendo com que assim as pessoas consigam ter prazer em comer e como consequência ainda perder peso. Os princípios básicos de Mindful Eating: para poder praticar o mindful eating, é muito importante que você esteja consciente das distrações ao seu redor, sempre trazendo sua atenção de volta para a comida. Essa prática ensina a estar presente com a sua comida e seu corpo antes de começar a comer, enquanto você esta comendo, e irá determinar quando parar de comer. Mindful eating não é mágica e nem traz resultados da noite para o dia, apenas requer que você esteja conscientemente empenhado em estar presente e observar. Mas afinal, como aplico essa teoria à prática? Alguns autores que estudam métodos de mindful eating normalmente sugerem iniciar com esses seis conselhos básicos: 1 – Respire e confira se você realmente tem fome 2 – Observe a sua comida 3 – Desacelere 4 – Investigue a sua fome durante a refeição 5 – Mastigue bem 6 – Aprecie a sua comida Respire e sinta seu estômago. Antes de começar a comer, respire bem fundo e relaxe o seu corpo. A maioria das pessoas hoje em dia não presta atenção na respiração e não tem idéia da importância desse hábito. Note se você realmente tem fome, sem julgar, sem tentar bloquear o que você esta sentindo. De uma nota de 0 a 10 para a fome, sendo 0 “nenhuma fome” e 10 “a maior fome que já senti”. Sente que poderia comer qualquer coisa para satisfazer a fome ou tem desejos específicos? Coma apenas quando tiver fome de verdade. Se você sente desejos específicos, quer comer a qualquer custo mesmo sem estar com fome, se pergunte: por que quero comer sem fome? O que realmente estou precisando que acho que vou encontrar na comida? Não se preocupe em encontrar respostas imediatas, como comentei acima, esse é um processo de aprendizado sobre a sua relação com a comida e com você mesmo. Observe a sua comida Pare por um ou dois minutos para observar a comida. A apresentação, as cores, o cheiro… Comer de forma distraída acontece muito rapidamente e quando você se da conta, na maioria das vezes, nem sabe o que comeu, nem que gosto ou forma o alimento tinha. Não pense na quantidade de carboidratos, proteína e gordura presentes na comida. Desacelere e vá com calma Comer devagar ajuda a apreciar a refeição e curtir os sabores. Algumas coisas que ajudam nessa prática são: comer longe da televisão, sem o celular na mão, apoiar os talheres entre uma garfada e outra, parar para respirar e mastigar bem a comida. Se você está comendo na presença de outras pessoas, tente ouvir a outra pessoa sem ficar com os talheres na mão ou comendo enquanto a outra pessoa fala. Você acabará notando até uma melhora na digestão da comida. Investigue a sua fome durante a refeição. Quando estiver na metade da refeição, investigue se ainda tem fome. Se dê permissão para continuar ou parar de acordo com a sua fome e não por causa de regras como “você precisa limpar o prato”, “não pode jogar comida fora, tanta gente passando fome no mundo”. Não me leve a mal, o problema de miséria e fome é algo seríssimo e muito triste, mas vamos combinar que você “limpando o prato” não estará contribuindo em nada com a fome mundial. Se você nota que tem desperdiçado muita comida, nas próximas vezes que for ao supermercado ou restaurante, opte por comprar menos comida ou pedir porções menores. Mastigue bem a sua comida Essa todo mundo está cansado de escutar, porém, quantas pessoas realmente mastigam bem a comida? Preste atenção em todas as sensações enquanto mastiga. Você consegue perceber que sua digestão está começando e a fome aos poucos desaparece? Quando você mastiga, a comida começa a se quebrar em pedaços menores e enzimas começam a agir. Comida bem digerida significa mais nutrição para as nossas células e consequentemente mais energia. Aprecie a sua comida Comer a comida com prazer significa que você esta comendo algo que verdadeiramente lhe satisfaz. Apreciar a comida e comer com prazer acontece apenas quando você esta totalmente presente durante o ato de comer. Mas e se você só fica satisfeito comendo uma pizza ou uma barra de chocolate inteira? Bom, alguns estudos demonstram que gosto é algo que se adquire. Ninguém nasce gostando apenas de determinados alimentos, ou seja, se você cresceu comendo sempre as mesmas coisas, provavelmente adquiriu gosto por esses alimentos e se acostumou a comer aquilo. No entanto, quando você começa esse processo de treinar sua mente para comer de forma consciente, irá notar que muitas comidas que acreditava adorar, agora nem se parecem mais tão saborosas. Para saber se esse é realmente o caso, aprecie e coma com prazer as comidas que gosta e veja como se sente.   Mindful eating pode realmente ajudar a fazer as pazes com a comida de forma com que você coma apenas quando tem fome e em menores quantidades. Com o passar do tempo e o aperfeiçoamento da prática, note como seu entendimento sobre seus sentimentos em relação à comida mudam e amadurecem.   Nota: é importante mencionar que pessoas que sofrem de distúrbios alimentares devem sempre procure ajuda profissional. Uma equipe multidisciplinar com psicólogos e nutricionistas podem ajudar, porém muitas vezes apoio médico também é necessário.

Por que meditar parece tão difícil?
Qualidade de Vida | 14 jan 2021 | Equipe YogIN App

Yoga no Everest

Yoga no Everest Dr Jon Kedrowski alpinista profissional 🧗‍♀️ com 4 cumes do Everest (ponto mais alto do globo 🌍). Jonkedski é praticante de Yoga 🧘🏻‍♂️ e usa as técnicas nos momentos mais extremos nas expedições em montanhas 🏔 . Nesta foto, ele ensina algumas posturas a outros alpinistas do seu grupo no heliponto do acampamento 🏕 base do Everest 🏔.    

YOGA PARA INICIANTES - 6 DICAS PARA COMEÇAR
Dicas de Yoga | 13 jan 2021 | Daniel De Nardi

YOGA PARA INICIANTES – 6 DICAS PARA COMEÇAR

Yoga para iniciantes - 6 dicas para começar já! O começo de qualquer atividade é sempre um pouco estranho. Não conhecemos o meio em que vamos pisar, seus trejeitos particulares ou gestos ocultos. Mas também é sempre a possibilidade de novas descobertas, de outras aventuras e experiências. No final, conhecer algo novo sempre vale a pena, mesmo que seja apenas uma vez, mesmo que seja só pelo novo aprendizado. Iniciar a prática de Yoga é começar a entender um universo de conhecimento que vem crescendo por mais de cinco mil anos. É como acessar um site que vem sendo alimentado por usuários do mundo todo ao longo de séculos. Claro que você não fará o acesso todo de uma vez. Sun Tzu, autor de A arte da Guerra, falava sobre os cuidados que os guerreiros devem ter sempre que pisam em território desconhecido. É preciso ir aos pouco, mas neste caso o começo é bastante simples.   DESEJA SABER O QUE É O YOGA?   Qual melhor tipo de Yoga BLOG from YogIN App on YouTube. INVISTA EM UM BOM MAT Você já deve ter visto as pessoas andando de lá para cá com seus tapetinhos enrolados nas costas. Pois bem, o mat representa para o yogin o mesmo que uma bicicleta para um ciclista - o local onde ele vai viver suas alegrias daquela atividade. Com um tempo geramos uma relação afetiva com o objeto. Um bom mat ajudará muito na sua experiência, é um dinheiro bem gasto que vale a pena o investimento.   ENCONTRE UM LUGAR AGRADÁVEL A medida que você aprimora sua capacidade de foco e abstração dos sentidos, o local passa a ter menos importância, entretanto, especialmente para o iniciante, é essencial que o local de prática seja arejado, iluminado, de preferência pelo sol, limpo e quieto. Nas primeiras práticas, você precisará deste “isolamento” para poder prestar mais atenção no seu corpo, respiração e sensações. Quanto menos dispersão fora, mais experiências dentro.   DESLIGUE O CELULAR Mesmo que você vá usá-lo para colocar as músicas da aula, mantenha-o no modo avião. O Yoga acontece da pele para dentro. É preciso esquecer um pouco o turbilhão de coisas que estão acontecendo lá fora para se dedicar ao que acontece dentro. Deixe as dispersões para depois da prática, você terá muito tempo para elas.   new RDStationForms(\'e-book-yamas-e-niyamas-1f965e8db29fe9c4625b-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();     VIVA NO PRESENTE Essa dica pode parecer um pouco clichê, mas não há nada tão importante para a qualidade da prática do que você estar com 100% da sua consciência no momento em que executa alguma técnica. Os efeitos do Yoga muitas vezes são sutis, sensações que nos ensinam sobre nós mesmos, e se você estiver pensando em outra coisa no momento em que essas sensações vierem à tona, elas escaparão como uma mão tentando agarrar o ar.   ESCUTE SEU CORPO Um dos objetivos da prática do Yoga é ampliar a consciência corporal, então, seria discrepante se o praticante não atentasse para os sinais que o corpo envia. Para o progresso dentro da prática é essencial o constante contato com esses sinais. Vejamos, por exemplo, a evolução dentro de um alongamento. Quando alongamos, o corpo precisa de um tempo, que varia de pessoa para pessoa, para começar a se soltar. Se o praticante não presta atenção nesse tempo, irá forçar o alongamento antes da hora e o corpo irá enrijecer num grau que não haverá força que fará ele evoluir no alongamento. É preciso que se respeite este tempo interno do corpo para cada modificação, desprezar isto é adiar em meses o progresso na prática. Além disso, ouvir o corpo é a garantia evitar qualquer tipo de lesão.     ANOTE SEUS PROGRESSOS Tenha um local onde você possa anotar seus progressos. Pode ser aqueles cadernos de anotação indianos que lembram os Moleskines ou uma página no Drop Box. Fazer anotações dos seus insights durante a prática ou de aspectos puramente físicos como o ponto em que suas mãos tocaram as pernas em determinadas posições possibilitará um acompanhamento mais preciso da sua evolução na prática. new RDStationForms(\'newsletter-yogin-formulario-1c3fb174b015350a9cd5-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();

medtidacao ganges
Dicas de Yoga | 23 dez 2020 | Juliana Beneton

Cansaço crônico e desânimo? Conheça os sintomas da fadiga adrenal e como o Yoga pode ajudar

Cansaço crônico e desânimo? Conheça os sintomas da fadiga adrenal e como o Yoga pode ajudar Todos nós passamos por situações de estresse - isso é completamente normal – e, muitas vezes, saudável. Nosso corpo realmente foi feito para lidar com esses tipos de situações. Por exemplo, se voltarmos no tempo e pensarmos na época em que nossos ancestrais viviam na selva e sobreviviam da caça, conseguimos entender o quão benéfico seria dispor desse mecanismo eficiente de estresse. Vejamos da seguinte forma: você está caçando, avista um animal perigoso, seu organismo entra em estado de alerta, o coração dispara e você precisa correr! Muito mais do que simplesmente sair correndo, seu organismo irá liberar uma séria de substâncias e hormônios capazes de acelerar seus batimentos e alterar seu metabolismo, ajudando você a sobreviver diante dessas situações de perigo. Bem, a diferença é que nosso corpo não foi feito para viver em constante mecanismo de alerta. As nossas glândulas adrenais (localizadas logo acima dos rins) são responsáveis pela produção de cortisol - e outros hormônios como o DHEA (dehidroepiandrosterona), que são liberados em reposta ao estresse, seja esse proveniente de estresse físico, emocional ou fisiológico. Uma vez que, nos dias de hoje, as situações do dia a dia nos levam a um estado de estresse constante, a produção desses hormônios disparam e ao longo do tempo acabam causando uma \"exaustão\" dessas glândulas, prejudicando a secreção desses hormônios. E daí o nome: fadiga adrenal.   Glândula adrenal (acima dos rins) A fadiga adrenal normalmente causa uma série de sintomas como: * sentimento de cansaço constante; * desânimo e depressão; * irritação e ansiedade; * ganho de peso (principalmente ao redor do abdômen); * dificuldade em pegar no sono; * pressão baixa ou hipoglicemia; * desejo por alimentos doces e também bem salgados; * diminuição da libido; * dificuldade de focar em tarefas do dia a dia. Os sintomas muitas vezes são confundidos com depressão ou distúrbios da tireoide. A propósito, o fato de não existir um exame específico que seja capaz de diagnosticar a fadiga adrenal, muitos pacientes entram em tratamento para depressão. Entretanto, existem análises dos níveis de cortisol que, juntamente com todos os sinais e sintomas, são capazes de traçar um possível diagnóstico. Devido à dezenas de estudos científicos envolvendo esse tema, hoje em dia, muitos profissionais da saúde, extremamente capacitados, apostam no tratamento de fadiga adrenal de forma natural e com incrível sucesso. Mas o que fazer para melhorar o funcionamento das suas glândulas adrenais? Melhorar a qualidade da sua dieta Evitar todos os alimentos industrializados que aumentam a inflamação do seu organismo. Alimentos processados, cheios de sal e/ou açúcar não entram nesse tipo de dieta. Aumentar o consumo de alimentos coloridos, proteínas de boa qualidade e grãos (de preferência sem glúten). Ir para a cama cedo Dormir antes das 23h é obrigatório para qualquer pessoa que sofra de fadiga adrenal. Técnicas de relaxamento e respiração podem ser boas aliadas nesse processo, assim como alguns suplementos capazes de auxiliar na indução do sono. Pratica de Yoga constante para a saúde das adrenais A prática de yoga é conhecida por ter um impacto positivo no que se diz respeito à ansiedade e relaxamento. Um estudo da Universidade de Medicina de Boston, demonstrou que após a prática de yoga, há um aumento nos níveis de GABA (ácido gama aminobutírico ou gamma-aminobutyric acid, em inglês), capaz de melhorar o humor e diminuir a ansiedade. [1] Além disso, yoga também é considerada uma forma de exercício e prática ajuda na liberação dos neurotrasmissores como endorfinas, responsáveis pela sensação de bem-estar. Por yoga ser uma prática mais consciente e mais gentil com o nosso corpo, é mais indicada durante o tratamento de fadiga adrenal. Aposte em suplementos Os suplementos adaptogênicos, como ginseng, rhodiola, awshagandha, licorice e holy basil são excelentes para as adrenais, além das vitaminas do complexo B, bem como as vitaminas C e D; os minerais - como magnésio, zinco e selênio; os aminoácidos - como teanina e as gorduras boas - ricas em omega 3. Aposte nos chás Camomila, melissa, valeriana e mulungu são excelentes contra ansiedade. Hidrate-se Sabe aquela sensação de que mesmo depois de tomar litros de água estamos sempre com sede e com a boca seca? Desidratação é um sintoma de fadiga adrenal. Água mineral e água de coco são as melhores opções. Outra dica é tomar água morna com limão pela manhã e, ainda, você pode adicionar uma pitadinha de sal rosa na sua garrafinha de água. Exercite-se com moderação Exercícios aeróbicos longos e de alta intensidade não são recomendados para aqueles que sofrem de fadiga adrenal. Opte por exercícios leves, como caminhadas pela manhã e yoga, duas vezes por semana. Mude suas perspectivas Hoje em dia, tantas pessoas correm em busca do tão almejado \"sucesso\". Trabalham horas sem cessar, dividem-se na execução de mil tarefas e deixam a vida pessoal em segundo plano. Mas, e você... “Qual é a sua definição de sucesso?” A maravilhosa escritoria, poeta e ativista Maya Angelou diz que: \"Sucesso é gostar de você mesmo, gostar do que você faz, e gostar de como você faz tudo isso\". Espero que você também compartilhe dessa ideia. new RDStationForms(\'e-book-o-yoga-e-o-stress-ebbbd5c51665ef24833c-html\', \'UA-68279709-2\').createForm(); Nota da nutricionista: A administração de qualquer suplemento deve ser feita por recomendação de um médico ou nutricionista. Alguns dos suplementos citados acima não podem ser prescritos em conjunto com antidepressivos e/ou ansiolíticos. Os sintomas de fadiga adrenal são muito mais sutis quando comparados aos de Doença de Addison, para o tratamento dessa doença, especialistas devem ser cosultados para a reposição adequada de hormônios. Referências: Mary Ann Liebert, Inc. (2010). “Yoga’s ability to improve mood and lessen anxiety is linked to increased levels of a critical brain chemical, research finds”. http://www.sciencedaily.com/releases/2010/11/101111160539.htm

Dicas de Yoga | 11 dez 2020 | Equipe YogIN App

Como a prática de Yoga é benéfica para idosos

Como a prática de Yoga é benéfica para idosos Recebemos essa pergunta de uma senhora de 85 anos na nossa página no Facebook: quais os benefícios do yoga para pessoas mais velhas? Os benefícios do yoga não tem idade. Os yamas e niyamas, por exemplo, preceitos éticos e observância interna (assista o vídeo que explico sobre isso aqui), são construtivos e enriquecedores em qualquer idade; respirar de forma consciente, pacificar o emocional, energizar o corpo fazendo o prana fluir, tudo isso faz bem para qualquer ser humano em todas as fases da vida. Acredito que o receio de idosos praticando yoga seja com relação às posturas. Patañjali define asana como \"sthira sukham asanam\", ou seja, aquilo que é estável e confortável é um asana. Assim, qualquer postura, realizada com consciência, de uma forma estável e confortável constitui um asana. O que pode diferenciar a dificuldade de uma posição para um jovem e um idoso, é que o jovem pode achar desafiador fechar os olhos e mergulhar no tempo, ou ainda meditar, deixar a ansiedade de lado, enquanto para o idoso o desafio maior pode ser a parte corporal. Alguns anos atras, uma certa empresa de seguros organizou uma palestra e convidou professores de Yoga, educação física e médicos. O intuito era que os profissionais ensinassem técnicas para ajudar na prevenção de tombos nos idosos. Tal seguradora se queixava sobre o grande número de pessoas de idade internadas para cirurgia e colocação de prótese da articulação do femur e quadril. Nesta palestra foram listadas uma breve lista de como evitar as quedas: - trabalhando visão e olhos - treinando o equilibrio - exercitando a articulação dos pés, joelhos e quadril - mantendo a coluna vertebral sadia e com flexibilidade Assim, o que mais indico para uma prática de idosos são asanas de equilibrio pois é muito comum quedas nessa fase, e podem ser bastante trágicas. Baseado nessa lista cito algumas técnicas do Yoga benéficas para idosos. new RDStationForms(\'e-book-o-yoga-e-o-stress-ebbbd5c51665ef24833c-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();  Drishti O drishti é uma técnica de fixação do olhar, pode ser usado durante as posturas e meditação para aumentar sua concentração trazendo sua atenção para um único ponto. Existem vários drishtis, olhar para ponta do nariz é o Nasagra Drishti.   Como executar: em qualquer posição sentado ou deitado, fixe o olhar para ponta do nariz e fique de 30 segundos a 1 minuto sem piscar enquanto alonga os músculos oculares. Em seguida, faça Brumadhya Drishti. Como executar: olhe para o espaço entre as sobrancelhas, região do terceiro olho da mesma forma, permanecendo de 30 segundos a 1 minutos sem piscar. Benefícios: alongamentos dos músculos óticos, irrigação sanguínea da região, foco do olhar.  Talasana Talasana é a postura do coqueiro. Como executar: Fique de pé, afaste os pés a distância dos quadris. Enlace as mãos e inspire elevando os braços esticados e o mais elevado possível. Procure aos poucos tirar os calcanhares do chão treinando o equíbrio, ou com os pés no chão, feche os olhos. Permaneça o tempo que for confortável. Repita 3 vezes. Benefícios: alongamento das costas, ombros e abdomen, flexibiliza a coluna, trabalha o equilíbrio e beneficia os pulmões. Virabhadrasana 2 Postura do guerreiro. Como executar: Afaste os pés além da distância dos quadris, cuidado para não fazer de meias e nem em um piso derrapante. Inspire e traga os braços na altura dos ombros, vire o pé direito para fora. Expire flexionando a perna direita e olhando para sua mão direita. Permaneça de 20 segundos a 1 minuto. Faça para o lado esquerdo da mesma forma. Benefícios: Fortalecimento dos músculos locomotores, fortalecimento das articulações dos joelhos, flexibilização dos tornozelos e quadris.

Dicas de Yoga | 10 dez 2020 | Adri Borges

Quer iniciar sua prática de Yoga? – Esse texto é para você!

Quer iniciar sua prática de YOGA - Esse texto é para você! Este texto é para você que pretende iniciar suas práticas de Yoga. Segundo Iyengar, as qualidades exigidas de um praticante de yoga são disciplina, fé, tenacidade e perseverança. As práticas de Yoga devem ser regulares e sem muitas interrupções. O asana ( postura do yoga ) traz firmeza, saúde e leveza aos membros. Eles não são meros exercícios de ginástica, são posturas estáveis e agradáveis (no início pode não ser tanto dependendo da dificuldade de cada um ) confere equilíbrio mental e evita a inconstância da mente. Com a prática, você vai desenvolver agilidade, equilíbrio, resistência, vitalidade, saúde e um estado de completo equilíbrio de corpo, mente e espirito. Através da prática dos asanas você conquistará o Corpo e fará dele um veículo adequado para o espirito. Segundo Iyengar, seu Corpo é um templo que abriga a Centelha Divina. Negligenciar ou negar as necessidades do Corpo e pensar nele como algo não Divino é negligenciar ou negar a vida universal da qual você faz parte. As necessidades do Corpo são as necessidades do espirito divino que vive através do Corpo. O praticante de Yoga não olha para o céu para encontrar Deus, porque sabe que Deus encontra-se em seu interior. Como um vaso de barro que se dissolve na água se não for cozido no forno, o Corpo se degrada rapidamente. Portanto é preciso assar o Corpo no fogo da disciplina do Yoga de modo a fortalece-lo e purifica-lo. Além de exercitar os músculos do Corpo, os asanas atuam nos nervos e glândulas. Eles reduzem a fadiga e acalmam os nervos. new RDStationForms(\'e-book-treinamento-yogin-de-respiracao-bdf2969b9eeaf2b1af79-html\', \'UA-68279709-2\').createForm(); Descrevo abaixo algumas regrinhas do antes, durante e depois da prática. O ideal é que antes de começar sua prática, você esteja com a bexiga vazia assim como tenha evacuado. Quanto menos elementos nos sistemas digestivo e excretor melhor. É preferível praticar o yoga de estomago vazio. Se for difícil, uma xícara de chá ou café, chocolate ou leite pode ser ingerida antes da prática. Caso não exista essa possibilidade experimente praticar sem desconforto uma hora após uma refeição muito leve. Alimentos podem ser ingeridos meia hora depois de terminada a prática. Os asanas são mais fáceis depois de um banho. Após a prática recomenda-se tomar outro banho cerca de 15 minutos mais tarde. Tomar um banho ou uma chuveirada tanto antes quanto depois de sua prática de yoga refresca o corpo e a mente. A melhor hora para praticar é bem cedo pela manhã ou no final da tarde. Pela manhã os asanas oferecem certa dificuldade, pois o corpo está rígido. A mente por outro lado, ainda está fresca, mas sua agilidade e determinação diminuem à medida que o tempo passa. A rigidez do corpo é vencida com a prática regular. A prática matutina ajuda a trabalhar melhor nossa vocação pessoal enquanto a vespertina remove a fadiga do esforço do dia e nos deixa revigorada e calma. Segundo Iyengar, asanas difíceis devem ser feitos pela manhã, quando a determinação é maior. Não pratique asanas depois de se expor muitas horas ao sol quente. Durante a prática não deve haver tensão nos músculos faciais, ouvidos e olhos. A expressão deve ser serena. De preferência carregue aquele leve sorriso nos lábios. Durante a prática de asanas, somente o corpo deve estar ativo, enquanto o cérebro deve permanecer passivo, vigilante e alerta. Se as posturas forem feitas com o cérebro, você não será capaz de perceber seus próprios erros. A respiração deve ser realizada apenas pelas narinas. Não segure o ar ao entrar ou ao permanecer nas posturas. A prática correta dos asanas traz leveza e alegria tanto ao corpo quanto à mente, e um sentimento de unidade de corpo, mente e alma. A prática contínua modifica a atitude do praticante, que passa a disciplinar-se na alimentação, no sexo, no asseio e no caráter e se transforma em uma nova pessoa. Uma vez dominado o asanas ele se torna fácil e sem desconforto. “Ao praticar os asanas, o corpo do aluno assume numerosas formas de vida encontradas na criação- desde o mais baixo inseto até o mais perfeito sábio- e ele compreende que o mesmo Espirito Universal- o Espírito de Deus – respira em cada uma delas. Ele olha para dentro de si enquanto pratica e sente a presença de Deus nos diferentes ásanas que realiza com um sentido de entrega aos pés do Senhor. ” Iyengar “Uma alma sem um corpo é como um pássaro privado de seu poder de voar. ” Iyengar Trechos do livro Luz sobre o Yoga B.K.S Iyengar

como fazer as posturas do yoga
Qualidade de Vida | 18 nov 2020 | Fernanda Magalhães

Por que fazer Yoga?

Por que fazer Yoga? Bom, eu sei porque eu pratico e os meus motivos pessoais sofreram grandes mudanças ao longo do tempo de prática, mas levantar esta questão realmente me fez parar para pensar. A maior parte das pessoas que buscam o Yoga através de mim chegam com a expectativa de ganhar flexibilidade no corpo ou para relaxar a mente. De fato, são duas excelentes consequências da prática e por isso, vamos começar com elas: O Yoga te deixa mais flexível, forte e trabalha seu equilíbrio Muita gente acha que não deve praticar por não ser flexível, quando na verdade, a flexibilidade é a grande consequência positiva para o seu corpo no trabalho com asanas. Todas as posturas possuem variações que cabem em qualquer nível de flexibilidade. Yoga é para todos. Trabalhar a flexibilidade de quadris e coluna melhora a mobilidade geral do corpo. O fortalecimento da musculatura do core ajuda a melhorar a postura e é capaz até de te fazer crescer alguns milímetros. Todas as questões físicas são trabalhadas também no emocional durante a prática, e o equilíbrio não fica para trás. Quando você se torna mais flexível e forte através do yoga, não estamos falando unicamente do corpo, mas também da mente. É sempre um trabalho em conjunto que te fortalece de dentro para fora. Com o equilíbrio acontece o mesmo. Equilíbrio é foco. É lógico que existem musculaturas a serem trabalhadas (e serão durante a prática) que contribuem para a estabilização do corpo e ajudam a trabalhar desafios de equilíbrio, mas sem uma mente concentrada, de nada serve tanta estabilidade física. Por isso, vamos para o segundo motivo para você praticar. O Yoga te traz para o momento presente Vida acelerada gera pensamento acelerado. Nossa mente está sempre a frente do nosso corpo, desejando, planejando, especulando. Por alguns momentos ela retorna ao passado, em geral trazendo algum arrependimento ou questionamento. Dessa forma seguimos o nosso dia a dia com a “mente fora do corpo” trazendo sofrimento para momentos perfeitamente equilibrados. Quero que você pare por um instante e pense: neste exato momento eu tenho um problema? E não estou dizendo dá conta que vence hoje ou da reunião agendada para a tarde… Digo agora, neste exato momento. Provavelmente a resposta é não! Criar expectativas gera ansiedade, quando nada disso é real. O Yoga traz sua mente de volta para o corpo e o corpo está sempre no presente. Estar unido com o corpo é o objetivo da prática física. Se você fizer um esforço para se lembrar de um momento quando foi realmente feliz, vai entender o que é estar no próprio corpo. São os momentos que te trazem para o presente que fazem você perceber que possui tudo aquilo que precisa. O Yoga te desacelera Por mais agitada que seja a sua prática, ainda sim ela funciona em um ritmo mais leve que a vida cotidiana. Ela provavelmente funciona no ritmo da sua respiração, que também toma um ritmo modificado nesse momento. Te faz conectar com um ritmo só seu, que é perdido durante o dia com todas as exigências externas. Você volta para si e não para fora. Você aprende o seu tempo de funcionamento e o respeita durante esses minutos de prática. Além disso, ao final de toda prática física é realizado um relaxamento. O estado mental proporcionado por alguns minutos pós pratica onde você se concentra em soltar mente e corpo, pode te ajudar a dormir melhor à noite contribuindo também no alívio da insônia. A respiração correta libera a tensão e o estresse do seu corpo, por isso o próximo benefício é: Você melhora a qualidade da sua respiração Exercícios respiratórios são parte importante da prática de Yoga. Exercitar a respiração traz consciência para o ato de respirar. Aprender a respirar pelo nariz é um benefício pouco comentado da prática de Yoga. Você não tem ideia de quantas pessoas respiram pela boca sem perceber. A respiração oral altera a forma como a língua funciona e a anatomia do rosto, o que pode afetar a fala, deglutição e mastigação de formas problemáticas. Também aumenta o risco de infecções já que o ar não está sendo filtrado pelo nariz. A respiração leva oxigênio ao sangue, controla a nossa energia vital (prana) e, proporciona domínio emocional. Nós sabemos que nossa respiração pode oscilar de acordo com o nosso estado emocional, e o contrário também é verdadeiro, alterando nossa respiração, podemos afetar nosso estado emocional. Através de alterações no ritmo respiratório com exercícios como Kapalabhati podemos também trazer vitalidade para mente e corpo. Podemos acelerar ou desacelerar atraves da respiração consciente. Você já observou sua respiração em um momento de estresse intenso, medo, pânico? Respiração curta e acelerada = descontrole emocional, logo, uma respiração consciente, profunda e nasal traz o equilíbrio. Por isso, o último e mais importante benefício da prática de Yoga: O Yoga trabalha o domínio de suas emoções Já mencionamos acima que nossas emoções e respiração estão conectadas. Trazendo a consciência para a respiração, você consegue clareza para enxergar seu estado emocional. Por exemplo, talvez usar a consciência na respiração te impeça de dizer algo que o faria se arrepender. Aquela velha historia de realizar 10 respirações conscientes antes de tomar uma atitude. Você já ouviu isso? Se nunca testou, faça da próxima vez que começar a sentir o sangue subindo a cabeça, especialmente se você é uma pessoa impulsiva. Aguarde essa clareza chegar antes de reagir e observe as diferenças na sua relação com os outros. Somos todos pessoas feridas que não aprendemos a lidar com as emoções. Muitas destas emoções ficam guardadas em nossa mente e corpo. Nosso corpo é um reservatório dessas emoções. O encontro da mente com o corpo torna o espaço silencioso no tapete de yoga um lugar seguro para encontra-las e cura-las. Sem o barulho mental usual podemos nos ouvir de verdade, chegar no íntimo, na intuição, no eu. Quando algo dá errado é natural fugir e querer deixar o desconforto da experiência. É assim que nossas emoções são afogadas no nosso interior ao longo da vida, para que não seja preciso enfrentá-las. Mas isso apenas adia e aumenta as questões relacionadas aquela emoção que está guardadinha, fazendo com que a cura, em algum momento, seja necessária. É provável também que com o tempo de prática você comece a reconhecer algumas emoções dentro de si que até hoje eram desconhecidas. E pode ser que nesse momento você queira fugir da prática. Talvez você comece a chorar copiosamente em uma postura. Mas preciso te explicar que é totalmente normal, não controle ou fuja do que surgir no tapete, permita que a cura aconteça. Agora podemos compreender que o que foi dito sobre o equilíbrio no primeiro item do nosso texto, possui um sentido muito maior nos benefícios da prática de Yoga. O equilíbrio físico, como consequência de um equilíbrio mental e emocional, é proporcionado pelo trabalho interno totalmente conectado ao seu corpo material. Porque é através do nosso corpo que vivenciamos as experiências, e como consequência as emoções. E é através dele que nos relacionamos com o outro, gerando um ciclo de novas emoções, que podem ser desenvolvidas com essa nova consciência trabalhada no seu tapetinho. Então, se você deseja ser uma pessoa flexível, forte e equilibrada, pratique Yoga! “Seja a mudança que você quer ver no mundo”. - Mahatma Gandhi Namaste

Qualidade de Vida | 3 nov 2020 | Equipe YogIN App

Pesquisas Provam que Yoga atua contra o declínio cognitivo no envelhecimento

Pesquisas Provam que Yoga atua contra o declínio cognitivo no envelhecimento   ​   Cientistas do Instituto do Cérebro (Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein), da Universidade Federal do ABC e da Harvard Medical School fizeram imagens do cérebro de mulheres idosas praticantes de yoga e encontraram um córtex pré-frontal mais espesso em regiões associadas a funções cognitivas como atenção e memória. Os resultados sugerem que o yoga pode ser uma maneira de proteger o cérebro contra o declínio cognitivo que ocorre no envelhecimento. Quando envelhecemos, ocorrem mudanças estruturais e funcionais do cérebro e isto frequentemente leva ao declínio cognitivo, incluindo deficiências na atenção e memória. Uma das mudanças é a redução da espessura do córtex cerebral, o que os cientistas têm associado ao declínio cognitivo. Então, como podemos retardar ou reverter estas mudanças? Para continuar lendo CLIQUE AQUI   https://www.einstein.br/noticias/noticia/estudo-sugere-praticantes-yoga-tenham-protecao-contra-declinio-cognitivo-envelhecimento  

Postura de Lótus
Dicas de Yoga | 18 out 2020 | Adri Borges

Como o Yoga pode ajudar na sua intuição

Como o Yoga pode ajudar na sua intuição Você acredita no seu poder de intuição? Sabe como o Yoga pode te ajudar? A princípio, você sabe o que é intuição? Segundo o dicionário intuição é: substantivo feminino 1. faculdade ou ato de perceber, discernir ou pressentir coisas, independentemente de raciocínio ou de análise. 2. forma de conhecimento direta, clara e imediata, capaz de investigar objetos pertencentes ao âmbito intelectual, a uma dimensão metafísica ou à realidade concreta. 3. visão clara e direta de Deus como a que possuem os bem-aventurados.Apesar de sermos Corpo Mente e Espírito, quando nos encontramos em algum momento desafiador ou de stress, a tendência é nos focar em nosso lado racional. Quando focamos nosso lado racional, perdemos nossa conexão com nosso lado criativo, com nossas emoções e consequentemente com nosso poder de intuição. Segundo Bill George,Professor da Harvard Bussiness School, jamais deixaremos nossa intuição fluir se não nos observarmos. Ele ainda completa que todas as decisões são intuitivas. Se não fossem poderíamos procurar no computador e teríamos todas as respostas. Muitas vezes nosso pensamento racional domina a situação. Tomamos nossas decisões baseado na nossa mente consciente. Com o ritmo alucinante das grandes cidades, overdoses diárias de informações e obrigações o tempo se torna escasso. Não há tempo para respirar, silenciar e nos observar. Sem esta observação perdemos nossa conexão e nos fechamos para nossa habilidade de intuir. Sobrecarregamos nossa agenda com inúmeras programações: compromissos sociais e profissionais, atividades físicas, projetos intermináveis e happy hours com pessoas que muitas vezes nem nos lembramos os nomes. Todas essas distrações nós chamamos de entretenimento. E são elas que muitas vezes nos afastam de nós mesmos impedindo-nos de nos observar e deixar a intuição fluir. Mas qual seria a importância da intuição em nossa vida? Segundo o psiquiatra e autor Iain Mac Glchirist, a intuição é a tomada da consciência das coisas sutis que estão fora do foco da atenção. Coisas das quais temos consciência de forma inconsciente. Ele ainda completa que se passamos muito tempo focados na nossa mente consciente não vemos o que deveria ser importante e consequentemente, eliminamos essa informação. O que me surpreendeu nesta entrevista, foi quando ele disse que bem pouco de nosso processo mental é consciente. 95% possivelmente 99% não é nada consciente e agem para nos alertar de coisas que nossa mente não está ciente. São portanto coisas implícitas, coisas sútis. Como o Yoga pode te ajudar a despertar sua intuição? A prática da meditação é uma importante ferramenta para que você possa se observar e trabalhar sua intuição. Que tal experimentar? Permaneça sentado com as pernas cruzadas (postura meditativa). Mantenha seus olhos fechados e sua coluna bem ereta. Repouse suas mãos sob seus joelhos mantendo seus ombros voltados para baixo e para trás. Permaneça com seu queixo paralelo ao solo. Agora apenas inspire e expire. É chegado o momento de você se aquietar. Mantenha sua respiração nasal, lenta, profunda e consciente. Através dela você irá cessar o fluxo de pensamentos permanecendo assim em seu momento presente. Preste atenção em sua respiração estabelecendo assim uma conexão com seu mundo interior. Abstraia-se de ruídos externos temperatura do ambiente e peso do seu corpo. Agora apenas se observe. Sem se julgar e se envolver com seus pensamentos. Apenas observe! Quando entramos em estado meditativo e começamos a nos observar não há lugar para escapar exceto em si mesmo. Quando esta conexão se estabelece você realmente começa a ser você mesmo. Você começa a entrar em contato com o que há de mais verdadeiro, a essência do seu ser. A partir da sua observação você abre as portas para sua intuição fluir. Vamos meditar? Namastê.

Dicas de Yoga | 1 out 2020 | Daniel De Nardi

Como a meditação pode ajudar um estudante?

Como a meditação pode ajudar um estudante? Se você tirar toda a filosofia por de trás da meditação, o que sobra é um excelente exercício de concentração que já teve seus efeitos comprovados por inúmeros experimentos. No final do dia, o que mais importa no processo de aprendizado é o tempo que você consegue reter sua atenção naquilo que está aprendendo. Toda dispersão cria vácuos no aprendizado, se a dispersão for muito longa o estudante perde o fio de meada e não consegue mais entender a matéria. Sendo assim, a concentração é a habilidade mais importante a ser desenvolvida por quem quer melhorar seu processo de aprendizado. A meditação ensina o praticante a retomar sua concentração o mais rapidamente possível. O processo de aprendizado sempre possui essa dificuldade do aluno começar a estudar a matéria e poucos minutos depois já estar pensando em outro assunto. Para se aprender deve-se aprofundar no assunto, e aprofundar passa necessariamente por mais tempo de atenção. A meditação para estudantes pode sim, ser um excelente aliado para bons resultados. Acesse nosso canal de podcast com diversos exercícios de meditação para você treinar. CLIQUE PARA MEDITAR   Para começar a praticar Yoga, Meditação, Exercícios de respiração (pranayamas), ter acesso a conteúdos exclusivos e se tornar um aluno YogIN App, clique em : Quero Praticar Yoga    new RDStationForms(\'e-book-as-origens-da-meditacao-e-do-yoga-84b39b698136958eda59-html\', \'UA-68279709-2\').createForm();