Blog

Posturas do Yoga – Asanas


Paschimottanasana
Dicas de Yoga | 15 jun 2021 | Fernanda Magalhães

Paschimottanasana

Paschimottanasana Talvez você esteja se perguntando o porquê de um texto sobre uma postura tão simples. É que eu gosto das posturas simples. É muito fácil para o nosso ego se sentir estimulado a entrar em um asana difícil, ou tentar. Lutar pelo desfiador é estimulante, é o que nos move. E não me leve a mal, não é errado. Somos humanos, sem o desejo, não nos movemos, ficamos estagnados. Mas o que acontece quando praticamos focados no ego, é que as posturas ganham valores diferentes, quando, na verdade, o exercício mais importante da prática é a presença. E presença é SER, em todas as posturas com o mesmo empenho. Se você já praticou Yoga alguma vez na vida, é bem provável que você já tenha executado um paschimottanasana. Uma das mais tradicionais posturas do Hatha Yoga, descrita no Hatha Yoga Pradipika, o texto sagrado escrito há mais de 500 anos atrás, é também uma postura muito popular.  Por ser classificada como de fácil execução, aparece com frequência nas sequências de asanas sentados. Mas não se engane pela aparente simplicidade do movimento, há muito trabalho envolvido neste alongamento posterior intenso… Paschima - Oeste, considerando a parte traseira do corpo quando se é praticado conforme a tradição, voltado ao nascer do sol (leste). Uttana - Alongamento Intenso. Asana - Postura Sânscrito: पश्चिमोत्तानासन;   PASCHIMOTTANASANA   Segundo Lino Miele, no Astanga Yoga, o controle de mulabandha e uddiyanabandha durante a execução, permite que o ar estimule Sushumna Nadi. A inalação e exalação ativam o fogo digestivo (agni) ajudando a purificar os órgãos.   Paschimottanasana A, B, C e D por John Scott - Astanga Yoga, Lino Miele Sushumna Nadi é o canal mais importante do nosso corpo energético por onde passa a energia mais preciosa para a prática de Yoga, a Kundalini. Sushumna segue pelo eixo da coluna vertebral até a extremidade da cabeça. “É considerável seu efeito (de paschimottanasana) sobre baço e rins, Vitalizando os centros nervosos lombares e sacros, beneficia todos os órgãos por eles inervados (sexuais, bexiga, próstata e reto). É de excepcional eficácia contra os distúrbios do estômago, onde estimula a produção de suco gástrico. Normaliza fígado, rins e intestinos, varrendo deles o catarro, curando também a prisão de ventre. Para melhor efeito contra hemorroidas, pode-se associar a este abençoado asana o que os yoguins chamam de aswini-mudra - contrair e descontrair o esfíncter. É especificamente indicado para vencer a dilatação do baço e fígado. Controla e estabiliza o diabete e polução noturna. Vence insuficiência hepática e restaura o apetite. Tem sido constatada, por médicos de institutos da India, a cura do lumbago cronico e das dores ciáticas. Incomparável para rejuvenescimento e emagrecimento. É indicado para restaurar a força das senhoras depois de seus trabalhos diários. Tanto são os benefícios que os yoguins o chamam de - a fonte da energia vital” - Hermógenes, Autoperfeição com Hatha Yoga Paschimottanasana ainda é conhecido por energizar o manipura chakra, aumentando a autoconfiança e a energia. new RDStationForms(\'e-book-o-yoga-e-o-stress-ebbbd5c51665ef24833c-html\', \'UA-68279709-2\').createForm(); Alonga toda a parte posterior do corpo dos tornozelos até a cabeça. E além de tudo isso, é uma delícia! É uma postura revigorante e introspectiva. É espetacular o quanto você consegue se sentir relaxado apesar de todas as ações que ocorrem durante a execução.   Como executar:   Como toda prática física de yoga, é ideal estar com estômagos e intestinos vazios antes de entrar no asana. Programe-se para ao menos algumas horas de jejum. Inicie sentado em Dandasana, pernas esticadas à frente, dedos dos pés flexionados em direção ao seu abdômen. Ao inspirar, sinta o espaço criado entre as suas costelas e a sacro-ilíaca. Rotacione a bacia para trás, de maneira que o cóccix fique voltado para trás. Ao exalar, incline-se para frente a partir das articulações dos quadris, não da cintura, com objetivo de levar seu queixo até canela e deitar seu abdômen em suas coxas. O ventre inferior deve tocar primeiro as coxas, depois o ventre superior, depois as costelas e a cabeça por último. Leve os dedos indicadores e médios abraçando os dedões dos pés para paschimottanasana A, ou segure os pés para as demais versões. Segure firme para ajudar a intensificar a postura, mas não tensione seus ombros. Mantenha pescoço alongado e relaxado. A cada inspiração em paschimottanasana, alongue a sua coluna permitindo-se ir mais a frente. Exalando, tente deitar o rosto entre as canelas. Desta forma, o corpo alonga e flui na postura quase imperceptivelmente junto com a respiração. Talvez você consiga até mesmo esticar os braços além dos pés no chão e segurar seus punhos. Mantenha por no minimo 5 respirações. Para sair da postura, ao inspirar alongue a coluna mantendo o gancho feito com as mãos e esticando os braços. Exale ainda nesta parcial da postura e na próxima inspiração, retorne o corpo a dandasana.   Não deixe suas coxas rotacionarem para fora ou a sola de seus pés se fecharem uma em direção a outra. Mantenha as pernas ativas como se estivesse em pé no chão Não arredonde as costas, afastando o tronco das pernas. Isso criará tensão e inibirá sua respiração, o que pode prejudicar suas costas. Se você é iniciante e/ou necessita de adaptações, dobre os joelhos para manter a coluna alongada. Para maior conforto, coloque um cobertor enrolado ou um bolster abaixo dos joelhos. Outra variação é usar uma faixa passando pela sola dos pés para manter os joelhos esticados. Não se preocupe em tocar os pés. Ou em esticar os joelhos. Escute onde o asana quer te levar mas nunca sacrifique seu corpo para “fechar” uma postura. Com a prática, e o tempo necessário, seu corpo se tornará muito mais flexível. Evite paschimottanasana se tiver asma, diarreia ou estiver grávida. Em caso de lesões nas costas, procure orientação especializada. Eu gosto de paschimottanasana, eu gosto dos asanas fáceis. Daqueles que você sente seu corpo inteirinho entrando na postura. Que você pode relaxar e sentir a expansão a cada inspiração. Que você pode sentir com facilidade. E que se deixa levar à entrega e intensidade de cada exalação. Quando sua consciência percorre cada cantinho seu, e vem um conforto de estar na sua pele. Pratique sua presença onde quer que esteje. Não importa se é em um asana fácil ou na fila do pão.   Om Namah Shivaya  

chaturanga dandasana yoginapp blog
Dicas de Yoga | 16 dez 2020 | Lucimar Ana Crispin

Dicas como fazer Chaturanga Dandasana

Chaturanga Dandasana é uma postura que adoro e que está muito presente nas aulas de hoje. É  muito usada nas transições entre posturas. Entre seus benefícios mais conhecidos são o fortalecimento dos músculos em volta dos ombros, parte de cima das costas, braços, “core\", pernas e preparo do corpo para inversões e posturas de equilíbrio nos braços. Chaturanga Dandasana exige um certo cuidado assim como todas as posturas , mas por ela ser uma flexão exige bastante força dos membros superiores e se executarmos com padrão de movimento errado repetidas vezes isso pode ser muito prejudicial a curto médio e longo prazo. Sim, o Yoga pode ser lesivo. Por isso é importante, nesses tempos de lives online sem a presença do professor te vendo e acompanhado que você possa se cuidar, respeitar, ou ter um professor para te acompanhar, guiar e tirar as suas dúvidas. Assim como é aqui no YogIN App com as minhas e  demais aulas interativas e ao vivo. Se quiser conhecer, escolha uma assinatura clicando aqui e aproveite alguns dias gratuitos. Aqui vão algumas dicas para você executar daí. Nas minhas aulas, de colegas e até mesmo na sua prática pessoal. Sempre lembrando claro, de respeitar e ouvir seu corpo. Para realização: - Comece um aquecimento dos punhos. - Inicie na postura da prancha. Feito isso você vai realizar a postura indo de encontro ao seus alinhamentos mas basicamente, ativando mula bandha e uddhyana bandha e ombros na linha dos punhos. - Quando estiver na prancha primeiro a ponta do pé empurra seu corpo a frente, essa fase é importantíssima porque a partir daí quando você for flexionar seu cotovelo, você vai flexionar com ele em 90 graus para que a força vá para a ponta dos dedos e não para seu punho . - Desça com o corpo estabilizado e por igual, de encontro ao solo. Aqui, para o seu treinamento vale também flexionar os joelhos para ir acostumando o corpo e preparando para a postura completa. Fica aí essa dica pra você que gosta tanto quanto eu dessa postura  Leia mais sobre Bandhas.  [embed]https://yoginapp.com/bandhas-contrair-para-soltar/[/embed]    

navasana, postura do barco
Dicas de Yoga | 17 out 2020 | Michelle Jandre

Navasana – Postura do barco

Navasana - Postura do barco   Quando pensamos em “barco”, somos levados a imaginar um veículo que possa nos levar em segurança, nos fazendo fluir  pelos rios, mares, oceanos ...que nos faça flutuar e resista as tempestades, a pequenos danos causados pelo tempo. Que nos leve para longe da turbulência e nos traga a calmaria, a tranquilidade, a introspecção, para longe dos barulhos externos e próximos de nós mesmos.  Com navasana, o barco, não é diferente. Nau significa barco e também faz parte da palavra Pranava, a vibração do OM, o som primordial. Nas Upanishads, o OM é descrito como um barco que nos conduz com segurança absoluta através dos mares, por vezes, turbulentos da vida. Essa postura cultiva o centramento como símbolo de nossa conexão com o Ser real. Ele é um ásana que organiza a energia da mente e do corpo. Onde não pode haver dualidade, mas unidade, trazendo paz e satisfação. Em navasana, a postura do barco, o esforço é imediato, não dá para permanecer nele sem presença. A respiração controla a mente, que por sua vez, controlará o corpo, levando-o a estabilidade.  Seus benefícios : é eficaz para o sistema eliminatório, digestório, endócrino, muscular, e energético.  Com a prática constante, fortalecem os músculos das costas e abdominais, nos fazendo envelhecer com graça, conforto, e vigor, e melhorando a nossa qualidade de vida.  É contraindicada para quem tem hérnia inguinal e abdominal.   Como fazer : Com um dos pés no chão- entre na postura com apenas uma das pernas estendida. Eleve os braços paralelamente ao chão, com as palmas das mãos voltadas para dentro. Com joelhos flexionados- mantenha as canelas e os braços paralelos ao chão , ou as pernas estendidas para cima. Obs: em ambas as variações, o peso do corpo fica sobre os ísquios, a coluna longa e o pescoço no prolongamento da coluna. Para praticar conosco confira os horários das aulas ao vivo clicando aqui.     Leia mais sobre Navasana abaixo Navasana sem preconceitos   E para praticar a meditação no OM aperte play abaixo YogIN App - Studio de Yoga OnLine · MEDITAÇÃO OM     Pratique e tudo virá . Pattabhi Jois   Namastê  Michelle Jandre  

Vrikshasana e a Sabedoria da Árvore
Posturas do Yoga - Asanas | 6 out 2020 | Daniel De Nardi

Vrikshasana e a Sabedoria da Árvore

Vrikshasana e a Sabedoria da Árvore Vrikshasana e a Sabedoria da Árvore - Durante duas semanas nas aulas ao vivo do YogIN App Studio, exploramos vivências e conceitos do Vrikshasana, também conhecida como Postura da Árvore. O Vrikshasana é considerado uma das posturas mais clássicas do Yoga. A postura é mencionada em uma das escrituras mais antigas e importantes do Hatha Yoga, a Gheranda Samhita, na qual no II Capítulo a frase 36 diz: \"Tendo colocado o pé direito na raiz da coxa esquerda este é o vrikshasana.\" A árvore é um elemento que representa sabedoria na tradição hindu. O Bhagavad Gita, menciona Ashvatta, a Árvore da Vida descrita como tendo seus galhos para baixo da Terra e onde estão contidos os versos dos Vedas. Os rituais vedicos tinham o intuito de extrair das árvores, o elemnto que proporciona sua elevação. Na crença hindu, se esse elemento pudesse ser extraído e transferido espiritualmente para uma pessoa, ela conquistaria ascenção espiritual. Por isso, quem passa pelos rituais hindus ingere um líquido enibriante extraído das plantas chamado Soma. A ideia é que o Soma, junto com Mantras e Meditações transfira a força de ascenção das árvores para a pessoa. Como vimos neste vídeo, muitos sadhus praticam auto superação (tapas) com a postura da árvore, vrikshasana. A intenção é absorver essa força de ascenção que há nas árvores para dentro de si. Aproveite tudo o que aprendeu neste post e inclua isso nas suas vivências de vrikshasana. Se quiser saber mais sobre o Vrikshasana e os Sadhus (yogins retirantes) clicando na IMAGEM abaixo. https://yoginapp.com/vrikshasana-a-imperturbavel-atencao-do-yogin/   Ramatha Sadhus Os ramatha sadhus geralmente moram em cavernas e possuem apenas um pano para se proteger do frio e uma cumbuca para comer e tomar água. No vídeo editado por nós, vemos um desses yogins retirantes praticando em meio às objeções que a Natureza impoõe. Nem a forte chuva de granizo é capaz de afetar sua imperturbável imobilidade. https://youtu.be/oU-TXoQSbpM  

Postura da árvore
Dicas de Yoga | 29 set 2020 | Michelle Jandre

Postura da árvore – A expansão da consciência

A expansão da consciência através da postura  A postura da árvore é a postura eleita, depois das invertidas, para ostentar fotos nas redes sociais. Porém ela é muito mais do que só uma pose para a foto. Vrikshasana nos ensina sobre nossas raízes, nos ensina a nos conectar com a nossa base, nossa ancestralidade, nos leva ao início. Ao fecharmos os olhos e nos concentrarmos na base alinhada de nossos pés, é possível sentir toda a potência das nossas raízes, conectadas ao nosso chakra muladhara; é uma força que se expande através de nossas pernas, e se potencializa com a ativação das nossas coxas, até chegar ao nosso baixo ventre, ligado ao nosso segundo chakra, svadhisthana, cujo qualidade é nos “trazer de volta pra casa”, nos dando segurança e equilíbrio emocional. Essa força segue se expandindo até chegar no nosso plexo solar, no nosso manipura chakra, diretamente nos conectando ao nosso poder e brilho pessoal, pois carregamos conosco a força e o brilho do Sol. Ao chegarmos até aqui ,nossa base da cintura para baixo já está firmemente estabelecida. E então começa a nossa ao Todo e a nossa conexão com o Ser absoluto que habita em nós. É possível sentir a energia do amor absoluto, quando então unimos as nossa mãos em frente ao peito e deixamos que nossos dedos polegares toquem suavemente o nosso esterno, a entrada da morada de nossa alma, nosso anahata chakra, a ponte que nos une diretamente a nossa espiritualidade. E então, quando erguemos nossos braços , passamos a nos expressar sem apegos, a nos unir à nossa intuição e a expandir de fato a nossa consciência, ativando os 3 últimos chakras , os superiores.  É sim possível que durante a nossa jornada terrena, a árvore de nossa alma, tenha seus galhos quebrados, algumas cicatrizes fincadas à faca no nosso caule ,tronco, galhos, por aqueles que passaram por nossas vidas e deixaram as suas marcas, é possível que as situações durante a jornada não sejam favoráveis, nos desestabilizando, fazendo-nos, balançar, quebrar, nos despedaçar, mas com nossas raízes fortes, renascemos, crescemos, na direção da luz, rumo ao nosso despertar. Estejamos atentos às nossas raízes, pois como disse Rumi;” ás vezes procuramos nos galhos, o que só encontramos nas nossas raízes.”   Como fazer a Postura da Árvore Fique de pé na postura da montanha. Flexione o joelho direito e coloque o calcanhar direito na raíz da coxa esquerda. Apoie o pé na coxa esquerda com os dedos apontando para baixo. Equilibre-se na perna esquerda, junte as palmas das mãos ( optando por deixá-las separadas ,uma virada para outra , estique o braços acima da cabeça  Obs: os pés podem também ser apoiados no tornozelos com os dedos tocando o chão, ou na panturrilha, mas NUNCA em cima dos joelhos. Para assistir um vídeo com as variações da Postura da Árvore, clique na imagem abaixo! https://youtu.be/2F8dncLRHzo Saiba mais sobre a postura da árvore clicando aqui https://yoginapp.com/vrksasana-e-a-importancia-do-equilibrio/ Namastê