Brand

Castas de Poder – Podcast – Podcast #93

Castas de Poder – Podcast – Podcast #93

 

O sistema de castas vem sendo refutado por pessoas importantes na política como a atual 1º ministro indiano Narendra Modi e intelectuais como Sri Baba Ram Dev. Segundo essa releitura do conceito das castas, elas foram originalmente estruturadas para que cada pessoa, seguisse sua vocação após um treinamento e não apenas pela descendência. Neste podcast usaremos a estrutura das castas para compreender melhor como o poder se distribui na sociedade.

 

 

 

LINKS

 

As castas não são de nascimento – Podcast #62

 

 

 

Transcrição

“Quando desmembraram Purusha, em quantas partes o dividiram? Em que a sua boca se transformou? E os seus braços, o que se tornaram? Como são chamadas agora as suas coxas? e os seus pés? A sua boca tornou-se o bralmane, os seus braços se transformaram no shatrya, as suas coxas em vaishya e dos pés nasceu o shudra” — Ṛig Veda, X,90-11,12

 

  • Quem decide seguir a tradição do Yoga e entra num ashram, mosteiro da Natha Sampradaya, terá sua casta desconsiderada. Os Yogins são vistos como seres sem castas e a busca do Yoga não passa pelo processo das castas.
  • Seguir o Dharma, a verdadeira vocação é parte dos tratados mais importantes do Hinduísmo, como o Bhagavad Gíta, no qual Arjuna realiza sua vocação como Kshatrya e batalha mesmo contra seus primos. A busca da vocação ou propósito, dharma, é parte do caminho espiritual em direção à moksha, o último estágio de iluminação.
  •  As castas surgem com o objetivo de haver intercâmbio de conhecimento entre as comunidades indianas.  Até hoje na Índia, são as mães que escolhem o casamento da maior parte dos filhos. Antigamente essa escolha era baseada no que cada família podia trazer de know-how para a comunidade.  Já expliquei no episódio #62 chamado AS CASTAS NÃO SÃO DE NASCIMENTO que a riqueza tanto material quanto espiritual só pode florescer num ambiente em que a expressão da individualidade é valorizada. Determinações hierárquicas acabam com a criatividade e produtividade. O conceito de castas nasceu na Índia como uma escolha após um treinamento e não por hereditariedade. As família tinham suas especialidades de trabalho, mas originalmente isso não impedia que a pessoa pudesse tentar outra vocação que não fosse a da família. Entretanto, em determinado momento, quem estava no poder, achou conveniente congelar aquela estrutura da sociedade e impedir a troca de castas ou extrato social.
  • A forma como o sistema foi implementado demonstra justamente como cada casta pode exercer seu poder. O poder é a foma de você convencer alguém a fazer algo. Isso pode acontecer desde uma ameaça violenta até o convencimento por argumentos.  Diferentemente da estrutura rígida das castas , na História Ocidental, dependendo do período determinado grupo desses, utilizou diferentes maneiras de exercer o poder.
    Quais são as castas?

 

A espiritualidade indiana tem como objetivo a libertação, conhecida como moksha.  Que é a percepção plena do purusha, que foi mencionado na frase do Rig Veda sobre construção das castas.
Para se atingir Moksha

Os parias, chamados hoje de dalits ou como Gandhi os chamou harijans, filhos de Hari, Brahma, não possuem casta alguma. Então estão fora da esfera de poder.

Os shudras operários, artesãos e pessoas de profissões mais simples possuem muito pouca capacidade de influenciar a sociedade. O que já ocorreu na História foi a utilização desses grupos como massa de manobra para beneficiar um dos grupos acima. Dentro do processo de evolução das castas, aqueles que nascem como shudras, apenas seguem o Kama, os desejos. Vivem pelos instintos mais prementes.

Os vaishyas, são os comerciantes, que controlam o poder econômico. Esse poder é muito forte nos dias atuais, mas mesmo assim, por mais rica que uma pessoa ou uma empresa seja, ela ainda estará submetida aos sistemas políticos/militares. Quem nasce como vaisha deve controlar seus desejos, kamas para produzir mais riqueza.

Os Shatryas são os guerreiros/políticos. Antigamente, o Rei era o cara que conquistava alguma terra. Até o desenvolvimento da democracia eleitoral, os reis sempre foram de famílias de guerreiros. Logo, o poder político era o mesmo que o poder militar. Esses poderes são também fortíssimos, mas mesmo os reis curvavam-se a figuras de sacerdotes ou de professores. Os shatryas trabalham na sua evolução como casta para não serem tomados pela sede do poder e possam ter discernimento, viveka. para governar pelo bem comum.

Os brahmanes exercem o poder espiritual ou intelectual.  Os bramanes são a classe dos sacerdotes e professores, os brahmanes são difusores do conhecimento.
Esse poder é o que demora mais tempo para ser construído. Entretanto, é o mais perene. A influência daqueles que produzem as ideias ou que ensinam é maior do que quem paga ou quem cria leis. A formação dos indivíduos numa sociedade exerce uma tremenda influência em como cada pessoa irá se comportar e seguir sua vida.

Uma das provas da força desse poder é que mesmo os párias conseguem legalmente ascender na Índia, há leis para punir qualquer tipo de discriminação baseada nas castas, entretanto como isso foi ensinado ao longo de séculos pelos Brahmanes , na prática, a discriminação por castas continua acontecendo.

Já que vamos falar de Formação falamos do Curso de Formação que terá um formato novo, com uma trilha de modos mais voltado para o conhecimento do Yoga na nossa época como ferramenta de autoconhecimento, o mais importante dos conhecimentos.

 

Daniel De Nardi

Head de conteúdo do YogIN App. Autor de 6 livros sobre Yoga. Pesquisador da História do Pensamento Indiano.