Blog



YogIN | 10 abr 2015 | Daniel De Nardi

Trilogia de Aprofundamento no Yoga

Trilogia de Aprofundamento no Yoga Esta série de 3 vídeos tem o intuito de apresentar uma visão mais ampla do que é o Yoga. O primeiro episódio traz a origem do Yoga na Índia, o segundo explica como esta prática se expandiu no Ocidente e o terceiro vídeo explica como é o dia a dia de quem dá aulas. Assista aos 3 vídeos e saiba mais sobre essa filosofia que há milênios produz benefícios aos seus praticantes.   O Yoga na Índia - episódio 01     Esta a 1ª aula da série de aprofundamento. Nela trataremos das raízes desta filosofia e como ele se desenvolveu por toda Índia. O Yoga no Ocidente - episódio 02   O 2º episódio da série explica como o Yoga foi trazido para Ocidente e como se desenvolveu por aqui. Além disso, esta aula traz estudos científicos sobre os efeitos da prática e da Meditação e apresenta depoimentos de praticantes.   A profissão de Professor de Yoga - episódio 03 Nesse último episódio,  você vai entender melhor o que faz um professor, como produz dinheiro, qual o tipo de aula que dá e com quais públicos trabalha. Ao final da aula gravamos depoimentos de professores que já atuam na área para que você se familiarize. E para o fechamento da série e esclarecimento de qualquer dúvida teremos um webinário (ao vivo) na semana que vem com um dos ministrantes do Curso de Formação.   A Profissão de Professor de Yoga - Episódio 03 da Trilogia from YogIN App on YouTube.   Webinário de revisão do conteúdo   

YogIN | 8 out 2015 | Daniel De Nardi

COMO FAZER PASCHMOTTANASANA – 2ª dica YogIN App

COMO FAZER PASCHMOTTANASANA - 2ª dica YogIN App O paschmottanasana é postura que mais produz relaxamento por alongamento ao longo do corpo. Paschmottana significa alongamento posterior, a palavra diz sobre o local de atuação da postura. O treinamento desse asana produz relaxamento em toda musculatura posterior das pernas, coxas, glúteos, costas e pescoço. É ótimo para desfazer dores e desconfortos nas costas.  

YogIN App
Dicas de Yoga | 14 dez 2015 | Daniel De Nardi

Google homenageia Iyengar em seu 97 aniversário

Google homenageia Iyengar em seu 97 aniversário

YogIN App
Formação de Professores | 25 Maio 2016 | Equipe YogIN App

Formação de Professores Online 2016

YogIN App apresenta a segunda turma de FORMAÇÃO DE PROFESSORES ONLINE Estamos muito felizes e gratos pela confiança de todos os inscritos até agora na nossa primeira turma do curso de formação. Certamente entrará para a história! Uma expectativa muito grande aqui entre todos nós da equipe e com certeza ai com vocês. Queremos entregar um conteúdo de primeira, através da bagagem que cada um de nós conquistou ao longo de anos nesta profissão. Nossa motivação é saber que com essa iniciativa, cada vez mais e mais pessoas terão acesso a esse conhecimento muito precioso, cultivado e transmitido a milhares de anos. Faça parte desta força de tradição e conhecimento. Nosso curso foi elaborado para aqueles que desejam apenas um aprofundamento e maior entendimento de todo o universo do Yoga até para os alunos que desejam seguir carreira ensinando essa filosofia. Você pode participar, aproveite e faça sua inscrição. Condições especiais até 31/05/2016. Clique aqui e conheça o programa Para saber mais DEIXE SEU E-MAIL AQUI   Ou escreva para formacao@yoginapp.com com suas duvidas.   https://www.youtube.com/watch?v=ohpGQc166ug   Separamos o curso em 5 módulos com 35 vídeo/aulas gravadas para você ver, rever e estudar quantas vezes quiser (os vídeos serão subsequentes, liberados para o estudo à medida que o aluno assistir completamente a aula anterior, para que mantenha a ordem do conteúdo e da programação), 5 aulas live stream para revisão da matéria e 2 encontros presenciais intensivos de 2 dias. Contamos com um timaço de professores Daniel De Nardi - professor de Yoga ha 18 anos já formou dezenas de excelentes professores, um imenso conhecedor da história e técnicas da filosofia. Dará aulas sobre:  História do Yoga, Índia, Hinduísmo e Mitologia; Sámkhya, filosofia naturalista; Sânscrito - língua morta da Índia; Respiração, pranayama e mudras; Ciência e meditação; Asana - estudo dos 108 asanas; Business do Yoga. Marcio Rossetti - 14 anos de experiência no Yoga, comandará quase toda parte corporal da formação com sua excelência técnica e teórica nos asanas, e também, ministrará as aulas sobre: Yoganidra - a ciência do relaxamento profundo; Kundalini e os centros energéticos, os chakras; Mentalização - a arte de visualizar e criar imagens; Sutilização dos nossos corpos: físico, emocional e mental e a correlação com a prática; Asana - estudo dos 108 asanas; Business do Yoga.  Mayara Beckhauser Amaral - professora há mais de 10 anos, ministrará as aulas sobre: yamas e nyamas, os preceitos éticos do Yoga: os oitos estágios do Yoga Clássico; os primeiros ramos de Yoga; Mantra - sons ancestrais; Bhuta Shuddhi e Kriyás; Hatha Yoga; Business do Yoga. Professores convidados Pedro Franco - um dos mais respeitados professores de Yoga do Brasil e do mundo, Premananda é o nosso convidado especial para ministrar aula sobre Tantra. Renata Mozzini - professora de Yoga há 10 anos e administradora, fez uma pesquisa sobre o business do Yoga e como gerir a carreira. Sa Souza - professora com certificações de peso como Yoga Aliance e em SUP Yoga com Rachel Brathen, e convidada para falar sobre o estilo Vinyasa. Beth Pedote - uma das professoras de Ashtanga Yoga mais conhecidas e queridas do Brasil, falará sobre este estilo. Joaquim Roxo - 20 anos de experiência em Yoga e formado em fisioterapia, ministrará as aulas sobre anatomia e fisiologia dos asanas. OM NAMAH SHIVAYA

YogIN App
Dicas de Yoga | 21 jun 2016 | Mayara Beckhauser

Dia Internacional do Yoga

Esse é o segundo ano que é comemorado o Dia Internacional do Yoga no dia 21 de junho. A data foi oficializada no dia 11 de dezembro de 2014 pela Assembleia Geral das Nações Unidas. Para celebrar a data comemorando essa linda filosofia prática, começamos o dia com uma meditação ao vivo na nossa página do Facebook ministrada pela professora Liana Linhares, para assistir CLIQUE AQUI À noite tivemos uma transmissão ao vivo também pela fan page. Assista a aula de Pranayama e Mentalizações comigo: CLIQUE AQUI Além disso, temos as aulas aqui do YogIN App dessa semana para quem se cadastrar NESTE LINK, basta preencher e esperar ser redirecionado para outra página, na nova página você deve clicar em comprar (é grátis) e se cadastrar no site. Próximo passo praticar bastante e descobrir que dia do yoga é todo dia :)   O OM é o símbolo que o Yoga adotou para representa-lo. O OM é o corpo sonoro do Absoluto. [caption id=\"attachment_2837\" align=\"aligncenter\" width=\"126\"]<a \"http://yoginapp.com/12543305_478018299049934_949411593_n/\"> Om Namah Shivaya![/caption] Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão  

YogIN App
Filosofia do Yoga | 24 jun 2016 | Daniel De Nardi

O que é o Yoga?

O que é o Yoga? Acredito que uma das coisas mais fascinantes do Yoga, foi ele ter passado por todos esses anos de história com liberdade para sua definição. Nem mesmo Patanjali, considerado o pai do Yoga, conseguiu determinar exatamente o que é essa prática. Isto permitiu que o Yoga fosse evoluindo conforme as necessidades dos seus praticantes ao logo da História. Não tenho a mínima pretensão de fazer uma definição definitiva, mas um pouco do conhecimento da História pode ajudar o iniciante que ainda se vê perdido nesse emaranhado de conceitos. O primeiro tratado sobre Yoga foi escrito por um sábio chamado Patanjali, no século III A.C. Em seu livro, Yoga- Sutra, ele define o Yoga como um processo para reduzir as instabilidades da consciência e encontrar sua verdadeira identidade. Patanjali acreditava que quando não estamos conectados com essa identidade, vivemos diferentes tipos de angústias (klêshas) tais como ignorância, apego, aversão, egoísmo e medo. SE QUISER VER O VIDEO SOBRE ESSA DEFINIÇÃO DO YOGA CLIQUE AQUI O Yoga de Patanjali, tinha um caráter de debates. Discutia-se sobre a existência de uma \"alma imortal\" que o YogIN deveria descobrir através da meditação e quais seriam as consequências para quem vivia enredado nos papeis que a sociedade impõe. As únicas pessoas que podiam fazer parte dessas discussões eram os brahmanes, sacerdotes que conheciam sânscrito (língua dos textos sagrados), conduziam os rituais e escreviam as escrituras. Aproximadamente no século VII D.C. um grupo de revolucionários chamados de Nathas, começaram a questionar a autoridade dos Shastras (escrituras dos Brahmanes). Para eles, o que estava escrito era secundário, o importante é o que sentiam quando praticavam. A escritura é mais reveladora de todas só poderia ser o próprio corpo, com suas sensações e memórias de tudo o que vivemos. Tudo está no corpo, experiências, traumas, prazeres... Não como mentir para seu corpo, ele é a sua autobiografia. E o Yoga é uma ferramenta para entender a si mesmo a partir de um contato corporal mais íntimo com seu próprio corpo. Segundo os Nathas, a doença acontece por algum tipo de desequilíbrio energético, seja por maus hábitos, emoções viscosas ou pensamentos negativos. Logo, o YogIN deve praticar asanas para liberar pontos de tensão que podem geram esses desequilíbrios. Os Nathas criaram boa parte dos asanas que conhecemos hoje e também vários tipos de pranayamas, respiratórios para aumentar a energia corporal. No início do século XX, professores de Yoga começam a dialogar com acadêmicos britânicos e levam YogINs para dentro de laboratórios. Seu objetivo era provar os efeitos que o Yoga gera no corpo e na mente. Obtém-se muitos êxitos com essas pesquisas e o Yoga passa a ser difundido com embasamento científico para o Ocidente. Mesmo com todas as modificações que o Yoga sofreu desde a época de Patanjali, os YogINs continuam praticando com o intuito de se aproximar mais da sua verdadeira identidade. Os exercícios corporais, respiratórios e meditações ampliam percepções corporais e melhoram a saúde o que ajuda na conexão com essa essência. Nos dias de hoje, o YogIN usa a prática como um meio de lidar melhor com o stress e com outras situações emocionais turbulentas. A prática traz o YogIN de volta ao seu eixo, ou seu equilíbrio. Independentemente do tipo de Yoga que você pratica, a busca será sempre uma aproximação desse EU e o YogIN tem o objetivo de trazer esse EU para o dia a dia e não deixar que essa experiência dure apenas o tempo da sua meditação. Ser você mesmo nas situações cotidianas é o que o Yoga mais deseja despertar em você.   Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão  

YogIN App
Respiração e Relaxamento | 24 jul 2016 | Daniel De Nardi

Série de artigos – Como funciona a respiração? PARTE 1

Como funciona a respiração? Apesar de respirarmos o tempo todo, da primeira inalação do parto até a última expiração da vida, são poucos os momentos que paramos para sentir este ato tão vital. Somente percebendo a respiração é que podemos melhorá-la.   OS PULMÕES NÃO SÃO MÚSCULOS E NÃO CONSEGUEM RESPIRAR SOZINHOS   A primeira coisa que você deve saber a respeito da respiração é que seus pulmões não são músculos. Isto pode ser óbvio para quem tem um mínimo conhecimento de anatomia, mas mesmo para estes, não adianta saber disso apenas teoricamente, é preciso sentir na prática o movimento dos músculos responsáveis pela respiração, para aí sim poder melhorá-la.   Já que não são os pulmões os responsáveis pelo ar entrar e sair quem fica com a bronca? Os pulmões movimentam-se empurrados por músculos, não são eles que fazem os movimentos responsáveis pela respiração. Este papel fica principalmente para o diafragma - músculo em forma de guarda chuva demonstrado na imagem acima. Ele abre o espaço para os pulmões, afastando inclusive as costelas flutuantes como você pode ver no vídeo abaixo ou sentir no seu corpo. É importante entender um pouco da estrutura muscular para conseguir atuar melhor nela. Respirando mais amplamente, consegue-se ampliar a quantidade de oxigênio e energia. Esta respiração mais ampla pode ser usada tanto na prática do Yoga como no dia a dia. O movimento do diafragma, descendo, abre espaço para que o ar seja \"sugado\" pela diferença de pressão, para dentro dos pulmões. Este movimento pode ser muito bem entendido com o vídeo abaixo. Os pulmões ficam exatamente acima do diafragma, o músculo que se movimenta na filmagem. A medida que o diafragma força os outros órgãos para baixo, o pulmão ocupa espaço e o ar entra.  Veja o movimento para poder sentir melhor como ele acontece no seu corpo. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=T5gY6G64H54[/embed] PARA FAZER EM CASA O primeiro exercício desta série de textos sobre respiração será bastante simples, mas extremamente importante para o aprendizado da respiração profunda. Deite-se em uma posição confortável. Feche os olhos e sinta os músculos responsáveis pela respiração. Lembre-se do vídeo e procure expandir o movimento do seu diafragma. Expanda a musculatura para que mais ar entre. e Para expirar, simplesmente relaxe e o músculo fará o ar sair naturalmente. Para o ar entrar, empurre o diafragma para baixo, para sair, simplesmente relaxe! Faça isso por 5 minutos e treine esta respiração no dia a dia, enquanto dirige, trabalha ou até quando caminha!   Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão

YogIN App
Formação de Professores | 26 jul 2016 | Equipe YogIN App

Depoimento alunas Curso de Formação em Yoga

Depoimento alunas Curso de Formação em Yoga Confira o que algumas alunas acharam do curso e nos enviaram com suas avaliações. Gratidão imensa com uma turma com pessoas tão especiais, que se tornaram amigas e com quem aprendemos muitos. https://youtu.be/jPGgluaHjCs Para saber mais da nossa formação em Yoga semi presencial:   

YogIN App
Vídeos de Yoga | 7 set 2016 | Daniel De Nardi

Yoga e Ansiedade

Ferramentas do Yoga para reduzir a ansiedade Neste vídeo falo sobre as ferramentas que o Yoga possui para reduzir a ansiedade, pesquisas científicas e técnica aplicada na vida. https://youtu.be/Z5mpmgf0iT4?list=PL3Y5CFIJsp-zNlhOw9t2Tdf1ECwPz_lzs

YogIN App
Filosofia do Yoga | 4 out 2016 | Daniel De Nardi

O Novo Impressionismo

 O Novo Impressionismo - A Mayara esteve em Chicago semana passada, passamos um tempo conversando sobre a cidade, seus museus e lugares interessantes. Visitei Chicago em 2007 e senti a cidade como uma Nova York, mais organizada, limpa e americana. Chicago tem um dos mais importantes museus do mundo, o Art Institute Chicago que possui vasto acervo de arte impressionista. Muitos dos quadros de Van Gogh, Monet, Degas que vemos nos livros fazem parte do seu patrimônio do museu. Passei algum tempo naquele museu e ao sair escrevi este texto que continua bastante atual. Quando Monet, Manet, Renoir, Degas e outros pintores franceses juntaram-se para criar este que talvez tenha sido o mais revolucionário movimento da história da Arte, o Impressionismo, não estavam somente rompendo com o paradigma reinante proposto pelo Realismo - o que já seria, por si só, uma atitude bastante audaciosa. O grande desafio lançado por estes gênios foi o de procurarem transpor para as telas a forma como realmente enxergavam todas as coisas, ilustrando uma realidade que não é ideal, exata e estática, como as antigas pinturas faziam supor. Escandalosamente, iluminaram a chocada sociedade da época para o fato de que nossa visão é diretamente afetada pela incidência da luminosidade, e que a forma como vemos o mundo ao nosso redor não é igual o tempo todo. Atualmente, vivemos um momento parecido com o do final do século XIX. Torna-se evidente o fato de que há algo de mais profundo na constituição da matéria, e a sensibilidade de algumas pessoas começa progressivamente a despertar para estas novas impressões. Assim como na época de Monet, não é possível hoje aguardar passivamente que os cientistas descubram, publiquem e aceitem estes avanços. O próprio estudo da interferência da luz em nossa visão só se desenvolveu graças à influência daquele movimento cultural.    De onde virá o lampejo desta vez? Nossas apostas: (1) de um conjunto de diferentes áreas, como a filosofia, a música e as artes; (2) das pessoas mais sensíveis, que já não aceitam o congelado paradigma de realidade ao qual estamos sujeitos. Esta alternativa alimenta a primeira: portanto, podemos considerá-la a principal. Sabemos que a ciência possui um timing peculiar, e que este se encontra em descompasso com a experiência do conhecimento intuitivo, por exemplo. Séculos de estudos se passaram, e ainda hoje a comunidade científica não chegou a uma conclusão clara sobre o fenômeno da consciência. Considerá-la um epifenômeno (fenômeno externo), como interpretam alguns pesquisadores, não chega a ser por demais convincente para o momento presente. Assim, convido-o a perceber mais a consciência que é inerente a tudo, e que está ainda mais presente em nós, seres humanos. É importante começar a segui-la com mais atenção, e descobrir o quanto ainda podemos nos bem “impressionar” com o mundo em que vivemos.   Para saber mais sobre conteúdo de Yoga aperte este botão

1 2 3 54