Sanscrito a lingua do Yoga

Kleshas: As Raízes do Sofrimento Humano

HOME > BLOG > Kleshas: As Raízes do Sofrimento Humano

Filosofia do Yoga | 6 ago 2020 | Fernanda Magalhães


Como os Kleshas explicam a angústia!

Com certeza você já ouviu que “a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional” por aí. Segundo Patanjali, nos Yoga Sutras, a fonte de todo esse sofrimento são os Kleshas.

Traduzido do sânscrito como “Veneno”, os Kleshas são como toxinas provenientes das diversas camadas que adicionamos em nossa personalidade. Os Kleshas são manifestos nesta identificação com o ego impedindo a compreensão do nosso verdadeiro Eu, a perfeição por baixo das camadas.

No verso 2.3 do Yoga Sutras, Patanjali descreve como 5 as raízes de todo sofrimento humano. São elas:

“avidyā-asmitā-rāga-dveṣa-abhiniveśaḥ kleśāḥ”

IGNORÂNCIA – PRIMEIRO dos KLESHAS

Avidya é a ignorância, Asmita é a identificação com o ego, Raga é o desejo, dvesha é a aversão e Abhinivesha é o medo da morte.

 

O primeiro klesha, Avidya, é considerado por patanjali como “…o campo fértil para os outros quatro…” Gloria Arieira, O Yoga que Conduz a Plenitude.

 

“avidyā-asmitā-rāga-dveṣa-abhiniveśaḥ kleśāḥ”

Isto porque Avidya é a ignorância de quem somos, quando estamos identificados com os personagens adicionados por nós mesmos ao longo de nossa vida. Nos tornamos a mãe, a professora, a filha, a amiga, a esposa, e assim por diante…

O prefixo ‘a’ significa ‘não’, e “Vidya” significa conhecimento. Não é uma ignorância por falta de capacidade intelectual, mas sim uma falta de capacidade de ver a verdade, como um véu em frente a nossos olhos. É como se algo negasse o nosso conhecimento verdadeiro que está acima de toda essa bagagem que forma nosso ego.

Nossa forma de ver o mundo está ligada a nossas experiências materiais que são tão individuais que moldam realidades diferentes para cada um. Dentro desta “nossa realidade individual” confiamos em nossos pensamentos como reais e nos conectamos com o ego permitindo que as portas para os próximos kleshas se abram.

Osegundo klesha é Asmita que nos faz crer que somos nosso corpo e ego. A identificação com os rótulos ou personagens que criamos para nós mesmos. Me esquecendo de quem verdadeiramente sou (avidya), busco esta identificação com o que é passageiro. Se sou meu corpo, sou finito e sofro, como resultado de Raga e Dvesha.

Raga e Dvesha estão relacionados aos desejos do ego e ao apego ao resultado de nossas ações. Como se Raga fosse nosso desejo por obter desejo, satisfação e felicidade e Dvesha fosse o medo de não obter. Então tenho desejo e apego pelo que meu ego considera bom e aversão pelo que considera ruim.

É fácil sentir-se apegado a uma experiência prazerosa como sabor doce, o cheiro de café ou os efeitos de uma droga. Em relacionamentos, podemos nos apegar a pessoas que nos ofereçam sensação de segurança ou afeto.

Mas estar ligado a algo, é uma indicação de que você está com medo daquilo ser tirado de você, criando tensão e ansiedade.

Desenvolver este mesmo medo pelas experiências que julgamos desagradáveis provoca o mesmo estado de tensão. Você se lembra de aguardar o resultado de um exame médico cheio de tensão por conta do possível resultado? Esta é uma expressão clara de dvesha. Você julga a experiência como negativa e não a quer para sua vida (aversão) e, neste caso, mais expressivamente ainda, porque você está ligado a Abhinivesha.

Abhinivesha, o medo da morte, só ocorre na identificação com o corpo finito. Naturalmente possuímos nosso instinto de sobrevivência e nascemos e morremos com o medo da morte.

O conhecimento de que no mundo material tudo é passageiro, inclusive a vida, nos torna conscientes de que o sofrimento é somente uma ilusão provocada por nós mesmos.

O entendimento dos kleshas é essencial para que haja uma mudança na forma de lidar com nossas reações automáticas provenientes de nosso ego.

Todos os 5 kleshas falam de alguma forma sobre a nossa necessidade de controlar. Queremos controlar as ações e resultados, e percebendo que não estamos no controle, sofremos. Como um remedio contra este “veneno” podemos usar “Pranidhana”, a entrega. Para entender um pouco sobre Pranidhanahttps://yoginapp.com/pranidhana-a-entrega/#axzz5m6rqmP8C

Pranidhana – a entrega

Alguns Kleshas estão manifestos constantemente em nossa vida de forma sutil e outros podem provocar grandes dores. Independente da intensidade de sua manifestação, os kleshas são o que nos impede de desfrutar desta vida compreendendo que não somos apenas este corpo mortal.

Dizem que os kleshas são superados com meditação, tapas e conhecimento verdadeiro.

Estar no presente e aceitar o fluxo da vida é a receita contra este ciclo de “produção de sofrimento”, portanto, pratique, respire, sorria, seja grato e aproveite cada experiência proporcionada a você.

 

 

Ouça também sobre os Kleshas – via Spotify ou Soundcloud.

 

YogIN Cast

YogIN Cast

 

 

As Origens da Meditação e do Yoga – Ebook Gratuito


Compartilhar: Compartilhar no http://WhatsAppCompartilhar no http://FacebookCompartilhar no http://Twitter

YogIN App

Fernanda Magalhães

Fê é carioca, pisciana, arquiteta, ambientalista e entusiasta do estilo de vida saudável. Despertou sua atenção ao corpo físico em 2001, através de consciência alimentar e atividade física regular. Apaixonada por estudar sobre o assunto, chegou a repensar sua escolha pelo curso de arquitetura. Durante esta busca, o Yoga se tornou uma ambição, alcançada somente em 2012, quando a prática se tornou rotina.  É praticante de Ashtanga Vinyasa Yoga e professora de Hatha e Ashtanga. Sempre idealista e sonhadora,  quer levar o bem viver a todos que cruzam sua jornada. Em 2016 finalmente formou-se em Yoga pelo YogginApp.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

O Segredo do Yoga que até Patanjali esondeu
O Maior Segredo do Yoga | 20 jun 2021 | Equipe YogIN App
O Segredo do Yoga que até Patanjali esondeu

O Segredo do Yoga que até Patanjali esondeu https://youtu.be/kMJwiYHaX4M Patanjali foi o primeiro mestre a escrever um livro exclusivamente de Yoga e ele escondeu um segredo que vou revelar no Dia Internacional do Yoga, dia 21 de junho, às 21h.  Quer saber qual o maior segredo da História do Yoga? Inscreva-se para saber mais no botão abaixo.    

O Maior Segredo do Yoga
Dicas de Yoga | 20 jun 2021 | Equipe YogIN App
O Maior Segredo do Yoga no Dia Internacional do Yoga

O Maior Segredo do Yoga O Maior Segredo do Yoga no Dia Internacional do Yoga, dia 21 de junho! https://youtu.be/wSn6gAegqHk Há um segredo no Yoga desconhecido por quase todos os professores de Yoga.  Em comemoração ao Dia Internacional do Yoga, dia 21 de junho, às 21h, vamos revelar esse segredo numa live surpreendente.  Quer saber qual o maior segredo da História do Yoga? Inscreva-se para saber o segredo através do botão abaixo!  

Dia Do Yoga
Filosofia do Yoga | 19 jun 2021 | Equipe YogIN App
Dia Internacional do Yoga – 21 de junho Dia do Yoga

Dia do Yoga - Por que esta é a data mais importante para os Yogins? Dia do Yoga, entenda a importância desta data!   https://youtu.be/RnRXlzIIIP0   A oficialização na ONU Você sabia que a oficialização do Dia Internacional do Yoga na ONU foi a votação mais bem sucedida em toda a história das Nações Unidas?  O Dia do Yoga foi aprovado por todas nações em apenas 90 dias. 175 Nações concordaram em difundir os benefícios desta prática milenar.   Por que 21 de junho? O Dia 21 de junho marca o Solstício de Verão, o dia em que o Sol fica mais próximo da Terra no Hemisfério Norte. Esse é o Dia mais longo do Ano. O Hinduísmo considera o Solstício o momento em que as divindades adormecem em seu sono celestial, mas segundo a tradição, elas voltam a despertar 6 meses depois no equinócio, que é o oposto do Solstício, é nesta data, a terra fica mais longe do sol, por isso, o dia com menos luminosidade do ano.   Uma Homenagem aos Professores Além disso, a primeira lua cheia após o solstício é chamada de Guru Poornima. Uma data que também é importante no calendário dos Yogins. O Guru Poornima é uma festividade em homenagem aos professores, gurus, aqueles que colocam luz no caminho. Para saber mais sobre a data Guru que inspirou o Dia do Yoga - Clique AQUI https://yoginapp.com/mestres-de-yoga-album-de-fotos/   O Primeiro Guru e o Primeiro Yogin De acordo com a tradição yogin, a primeira transmissão do conhecimento do Yogin foi feita neste dia por Shiva, o primeiro Guru e também primeiro Yogin. Fique atento ao Instagram do YogIN App Studio   O Maior Segredo da História do Yoga Há um segredo no Yoga desconhecido por quase todos os professores de Yoga.  Em comemoração ao Dia Internacional do Yoga, dia 21 de junho, às 21h, vamos revelar esse segredo numa live surpreendente.  Quer saber qual o maior segredo da História do Yoga? Inscreva-se para saber o segredo através do botão abaixo     Esperamos você por lá! Namastê!

Bakasana
Dicas de Yoga | 18 jun 2021 | Daniel De Nardi
Bakasana – Garça ou Corvo?

Bakasana postura da garça ou do corvo? O Bakasana é uma postura tradicional do Yoga. Conhecida também pelo nome de kakasana, mas isso, provavelmente foi um erro de transmissão de conhecimento, visto que o nome bakasana aparece apenas numa escritura do sul da Índia chamada Hatha Radha Navali, no entanto, escolas do norte da Índia, como a Shivananda, visitaram o sul para aprender posturas e entre elas estava o bakasana que depois começou a ser ensinado com o nome de kakasana em algumas escolas do Norte. Baka significa garça e Kaka corvo. Comparando a postura com os dois animais fica evidente que a postura assemelha-se muito mais a uma baka, garça, que a um corvo kaka.     Baka é uma expressão usada tanto para pureza quanto para a falsidade, hipocrisia. Como algo pode ser puro e ao mesmo tempo falso? Religiosos indianos (vaishnas) chamam de baka o falso devoto, aquele que se diz devoto, mas não é. Eventualmente, os vaishnas chamam os yogins de bakas ou falsos devotos. Isso acontece, porque os yogins, reconhecem que a divindade está dentro de si, o que para os religiosos não passa de uma egolotria. Já os yogins usam a expressão baka para tratar da pureza. Na visão do Yoga, o que é divino e verdadeiro não precisa ser buscado fora, já está no nosso interior. Textos yogins como as Upanishads, consideram que Brahman, o divino, está dentro do coração de cada pessoa. Para reforçar esse conceito, Yogins usam a expressão, Shivoham que significa Eu Sou Shiva, Eu Sou Deus. A postura do bakasana pode ser executada com uma Meditação sobre as aparências, onde o que é falso a partir de um ponto de vista pode ser verdadeiro quando visto sob outra ótica. Se você acredita na divisão entre humanos e divindades, baka pode significar hipocrisia, já se reconhece o divino dentro de si, baka é a pureza, a verdade.   Aprenda mais sobre as posturas do Yoga, os asanas baixando o ebook! new RDStationForms(\'ebook-asana-posturas-do-yoga-20927af5b3e8c03b81b9\', \'UA-68279709-2\').createForm();